Arquivo da tag: Troféu JOSÉ PETRILLO

14º FICA : Festival de cinema ambiental mais importante do Brasil abre inscrições

O XIV FICA – Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, que acontece entre os dias 26 de junho e 1º de julho na Cidade de Goiás – Goiás, está com inscrições abertas no site www.fica.art.br. Longas, médias, curtas metragens e séries de televisão com temática ambiental, produzidos a partir de janeiro de 2010, nas bitolas 16mm e 35mm e em vídeo de todos os formatos, podem se inscrever até o dia 9 de abril. Além das premiações habituais, que totalizam R$ 240.000,00 (duzentos e quarenta mil reais), o FICA irá conceder o premio de melhor filme eleito pelo júri popular no valor de R$10.000,00 (dez mil reais). As obras inscritas podem também ser selecionadas para a programação do FICA ANIMADO, mostra não competitiva de animações e ficções voltadas para o público infantil.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

XII FICA – Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental recebe inscrições até o dia 26 de março

Última atualização (1º/07/2010) Veja aqui a revista do XII FICA – http://tinyurl.com/2u68sn7

Começa o XII FICA !
A histórica Cidade de Goiás oferece aos seus moradores e visitantes os diversos prazeres de um lugar afastado dos grandes centros urbanos. Ruas de pedras e o casario de arquitetura colonial, a rica gastronomia goiana, o ar puro e a beleza do Cerrado são apenas algumas delas. Porém, sem perder suas características interioranas, a cidade se modifica em junho com o agito do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, o FICA, que será aberto nesta próxima terça-feira, 8 de junho e vai até o domingo, dia 13.

Um dos mais importantes festivais temáticos do mundo, o FICA é uma oportunidade rara para o público unir paixões como natureza, cinema e tantas outras. Além de desfrutar das sessões de Cinema da mostra competitiva, cursos, palestras e debates sobre a sétima arte e temáticas ambientais, o participante do Festival tem a oportunidade de se deliciar com o empadão goiano, prato típico da cidade, ou visitar a casa onde viveu a doceira Cora Coralina, maior poetisa do estado.

Inseridos na magia do Cerrado e imersos na atmosfera da antiga capital goiana, estarão não apenas público e moradores, mas diversos ambientalistas, jornalistas, cineastas, músicos, entre outros. Algumas personalidades que irão marcar presença são o francês Jacques Aumont, considerado um dos mais importantes teóricos mundiais do cinema, os pesquisadores ambientais Luís Fernandez e Suzana Kahn, além dos músicos Lulu Santos, Alcione, Yamandu Costa e Paula Lima.

Nas telas, poderão ser conferidos 28 trabalhos pela mostra competitiva, dos quais 12 são produções estrangeiras. Uma seleção enxuta entre as 552 obras (de 67 países) inscritas. Um destaque entre os selecionados é o documentário “The Cove”, vencedor do último Oscar na categoria Melhor Documentário. A obra aborda a matança de golfinhos no Japão e tem causado muita polêmica mundo afora.

Além dos filmes e vídeos em competição, rola uma mostra paralela que, entre outros, exibe “Avatar”, de James Cameron. O filme é um dos grandes fenômenos recentes do Cinema mundial e foi vencedor de três Oscar. Embora a maior parte da mídia tenha se atentado apenas para o sucesso de seus efeitos em 3D, o que o traz para o FICA é sua temática, pois a obra busca mostrar o choque cultural entre o homem terráqueo  e a população  nativa  da lua Pandora, que vê suas terras ameaçadas pela ganância humana.

Reconhecida pela Unesco como Patrimônio Histórico e Cultural Mundial por sua arquitetura e tradições seculares, a Cidade de Goiás tem sua existência como motivo mais do que suficiente para uma visita. Apelo que aumenta ainda mais enquanto ela é palco do FICA. O Festival intensifica seu saboroso caldeirão cultural repleto de boas novidades para quem não perde por nada uma boa viagem, seja ao passado, presente ou futuro.

O número recorde de inscrições internacionais ao XII FICA – Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, confirma uma vez mais o prestígio mundial do evento.  Este ano o festival será realizado de 8 a 13 de junho, na cidade de Goiás, Brasil. As inscrições, encerradas na última sexta-feira, 26, totalizam 546 filmes, sendo 201 nacionais e 345 estrangeiros.  Entre produtores e co-produtores, 69 países participam da seleção do XII FICA, marcado para o período de 8 a 13 de junho.

São Paulo é o estado brasileiro com o maior número de inscrições (40 filmes), seguido por Goiás (38 obras), Rio de Janeiro (28) e Minas Gerais (21). Além desses, participam também produções do Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

No júri de pré-seleção o escritor Luís Araújo, o psicanalista Roberto Mello, o cineasta Kin-Ir-Sem, representando a Associação Goiana de Criadores de Vídeo (AGCV), Luiz Araújo Mundim, representando a Associação Brasileira de Documentaristas de Goiás (ABD-GO) e a professora da PUC-Goiás, Maria Aparecida Borges.

www.fica.art.br

O FICA premiará 7 (sete) obras:

I. Grande prêmio CORA CORALINA para o maior destaque entre as obras apresentadas, constituído de um troféu e de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais);

II. Troféu CARMO BERNARDES e mais R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais) para o melhor longa-metragem;

III. Troféu JESCO VON PUTKAMER e mais R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) para o melhor média-metragem;

IV. Troféu ACARI PASSOS e mais R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) para o melhor curta-metragem;

V. Troféu JOSÉ PETRILLO para a melhor produção goiana e R$ 40.000,00 (quarenta mil reais);

VI. Troféu JOÃO BÊNNIO para a melhor produção goiana e R$ 40.000,00 (quarenta mil reais);

VII. Prêmio BERNARDO ÉLIS e mais R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) para a melhor série ambiental para tevê.

Promovido pelo governo de Goiás, via Agência Goiana de Cultura (Agepel), o FICA é o maior festival do gênero na América Latina e um dos mais conceituados mundialmente. A cada edição, distribui R$ 240 mil em prêmios.  A última edição inscreveu 556 obras, produzidas por realizadores de 47 países, tendo sido selecionados 33 filmes de 13 países.

Durante o festival são realizados palestras e debates que, em 2009, assumiram a dimensão de um Fórum Ambiental de caráter internacional, com a participação de especialistas como o pesquisador  do National Reserarch Council (NRC), Eric Davidson, e o idealizador do REED (Reduções de Emissões por Evitamento de Desmatamento e Degradação), Andrea Cattaneo.

LISTA DOS FILMES E VÍDEOS SELECIONADOS  PARA A MOSTRA COMPETITIVA DO XII FICA (2010)

CATEGORIA LONGA-METRAGEM = 7 FILMES (579 minutos)

1.      A ENSEADA (The Cove, EUA, 2009). Direção: Louie Psihoyos. 90 min. Documentário.

2.      BANANAS! (Bananas!, Suécia, 2009). Direção: Fradrik Gertten. 76 min. Documentário.

3.        EFEITO RECICLAGEM (Brasil-SP, 2009). Direção: Sean Walsh. 93 min. Documentário.

4.      QUEBRADEIRAS (Brasil-SP, 2009). Direção: Evaldo Mocarzel. 71 min. Documentário.

5.      REIDY, A CONSTRUÇÃO DA UTOPIA (Brasil- RJ, 2009). Direção: Ana Maria Magalhães. 77 min. Documentário.

6.      TAMBORO (Brasil-RJ, 2009). Direção: Sergio Bernardes. 100 min. Documentário.

7.      UM LUGAR AO SOL (Brasil-PE, 2009). Direção: Gabriel Mascaro. 72 min. Documentário.

CATEGORIA – MÉDIA-METRAGEM = 6 FILMES (302 minutos)

1.      CAÇANDO CAPIVARA (Brasil, MG, 2009). Direção: Derli, Marilton, Fernando, João Duro, Janaína, Joanina, Juninha, Zé Ca. 57 min. Documentário.

2.      ENTRE MONTANHAS E MURIQUIS (Brasil-MG, 2009). Direção: Pedro Vilela, Paulo Vilela e Leandro Santana Moreira. 54 min. Documentário.

3.      HEAVY METAL (Hu Xiao de Jin Shu, China, 2009). Direção: Huaqing Jin. 50 min. Documentário.

4.      NIMBUS (Day-Shui-Yun, Taiwan, Republic of China, 2009). Direção: Hsinyao Huang. 36 min. Documentário.

5.      O ÚLTIMO KUARUP BRANCO (Brasil-SC, 2008). Direção: Bhig Villas Bôas. 52 min. Documentário.

6.       UM NEGÓCIO FLORESCENTE (A Blooming Business, Holanda, 2009). Direção: Ton van Zantvoort. 52 min 30 s. Documentário.

CATEGORIA – CURTA-METRAGEM = 13 FILMES (220 minutos)

1.      AQUELA QUE MEDE (She Who Measures, Croácia, 2008). Direção: Veljko Popovic. 6 min 40 s. Animação.

2.       AVE MARIA OU MÃE DOS SERTANEJOS (Brasil-PE, 2009). Direção: Camilo Cavalcante. 12 min. Documentário.

7.      COWBOY – OFICIAL DO MEIO AMBIENTE. (Brasil-GO, 2009). Direção: Bruno Fiorese Fernandes. 18 min 7 s. Documentário.

8.      ESPERANÇA EM UMA MUDANÇA CLIMÁTICA (Hope In A Changing Climate, Reino Unido, 2009). Direção: Jeremy Bristow. 28 min 50 s. Documentário.

9.      JANGADEIROS (Reino Unido/Co-Brasil, 2009). Direção: Adrian Cowell. 24 min. Documentário.

10.   LA GRIPPE DE LAISSEZ-FAIRE (França, 2009). Direção: Arthur Rifflet. 26 min. Documentário.

11.   OLHAR DE JOÃO (Brasil-GO, 2010).  Direção: Mariley Carneiro. 20 min 58 s. Documentário.

12.   ORANUS (Estônia, 2009). Direção: Girlin Bassovkaja. 17 min. Animação.

13.   OS ANJOS DOS DEJETOS (Les Anges Dechets, Canadá, 2008). Direção: Pierre M. Trudeau. 5 min. Animação.

14.   RECIFE FRIO (Brasil-PE, 2009). Direção: Kleber Mendonça Filho. 24 min. Ficção.

15.   SEMEADOR URBANO (Brasil-MG, 2009). Direção: Cardes Amâncio. 7 min 40 s. Ficção.

16.   SONHO DE HUMANIDADE (Brasil-GO, 2010). Direção: Amarildo Pessoa. 14 min. Documentário.

17.   VIDA SECA – SOM DE SUCATA (Brasil-GO, 2009). Direção: Diego Mendonça. 12 min 36 s. Documentário.

CATEGORIA — SÉRIE TELEVISIVA = 2 SÉRIES COM 2 EPISÓDIOS CADA (57 minutos)

1.      VOZES DO CLIMA (Brasil-RJ, 2009). Direção: Estevão Ciavatta e Jean Carlo Bellotti. Série televisiva.

Capítulos:

·   CIDADES. (Capítulo 1) 23 minutos.

  • ENERGIA E DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO. (Capítulo 4) 23 minutos.

2.      TRAZENDO VIDA AO ESPAÇO (Bringing Life to Space, Dinamarca, 2010). Direção: Jakob Gottschau e Ojvind Hesselager. Série televisiva.

Capítulos:

·   UM ANO TRANCADOS EM UM CONTAINER (One year locked in a Container). (Capítulo 1) 28 min 30 s.

  • DOIS ANOS LACRADOS EM UMA REDOMA DE VIDRO (Two years Sealed under Glass).(Capítulo 2) 28 min 30 s.

Shows regionais e música no Festival

A Agência Goiana de Cultura (Agepel) divulgou a relação de artistas e grupos selecionados para os shows durante o XII Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), que acontece de 8 a 13 de junho, na Cidade de Goiás. A comissão de seleção foi composta por Flávia Cruvinel, professora e coordenadora de Cultura da Universidade Federal de Goiás (UFG), Nonato Mendes, músico e arranjador e Tânia Bastos, diretora de Ação Cultural da Agepel. Entre os critérios de seleção estão a não participação do artista na edição do Fica em 2009.
Confira a lista dos músicos e grupos:

1. Danilo Verano Trio
2. Show Na Melodia dos Versos de Cora Coralina – Daniel de Melo e Elenízia da Mata (Cidade de Goiás)
3. Som de Gafieira
4. Luiz Augusto e Amauri Garcia
5. Cega Machado
6. Umbando
7. Monster Bus
8. Banda Mugo
9. Black Drawning Chalks
10. João Caetano
11. Nila Branco
12. Marco Antonini
13. Em Nome do Samba
14. Espetáculo Infantil – “O Contador de Historias do Cerrado” Grupo de Arte de Fogo
15. Cortejo Coró de Pau
16. Mr Gyn
17. Banda Pequi

Também haverá shows com a cantora Paula Lima,Lulu Santos, Alcione e o violonista Yamandu Costa .

Daniel de La Calle, diretor de fotografia do filme A Sea Change (Uma Mudança no Mar), premiado no FICA de 2009, volta ao festival este ano para uma programação especialmente voltada para as crianças. Ao saber que seu documentário será exibido na Mostra Infantil, o FICA Animado, Daniel se ofereceu para realizar uma palestra, seguida de atividades pedagógicas. Segundo ele, desde a concepção do filme, já tinha um interesse especial em atingir o público infantil. A Sea Change será exibido às 10 horas, do dia 11 (sexta-feira) no Cinemão.

Uma Mudança no Mar é o primeiro documentário sobre a acidificação oceânica, o outro lado do aquecimento global. O filme alerta: com as mudanças climáticas em poucos anos os peixes terão desaparecido dos oceanos. A história é contada por um professor aposentado. Preocupado em explicar ao neto a catástrofe, ele viaja por belíssimas regiões onde viveram seus antepassados (Noruega, Alasca e a Costa Oeste dos EUA), conversando com pesquisadores que estudam o problema da acidificação dos oceanos.

Após a exibição do filme, o diretor vai contar aos pequenos expectadores sua experiência de viajar pelo mundo com um co-protagonista infantil. Durante a palestra, fará experimentos simples mostrando às crianças como acontece a acidificação da água do mar e pedirá que façam um desenho ilustrando toda a história. Por isso, a criançada que for ao Cinemão para assistir o documentário deve levar papel e lápis de cor. Os autores dos melhores desenhos ganharão prêmios como bonés e camisetas de divulgação do documentário, e poderão ver suas criações exibidas no site do filme. A iniciativa em Goiás será gravada em vídeo pelo diretor e também exibida na Web.

Produção chinesa vence o XII FICA

Confira trailers dos filmes 

A produção chinesa Heavy Metal (Hu Xiao de Jin Shu), de Huaqing Jin, é a grande vencedora do XII Festival de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), recebendo o prêmio de maior destaque do festival. A noite de premiação foi realizada no sábado, 12, no Cinemão, instalado no Colégio Alcides Jubé, na Cidade de Goiás. Outras cinco produções nacionais, dentre elas quatro goianas, e mais quatro estrangeiras também foram premiadas no FICA, que teve ainda a entrega de prêmios e troféus aos vencedores da 8ª Mostra ABD Cine Goiás.

A polêmica questão dos resíduos eletrônicos compõe a saga de Heavy Metal (Hu Xiao de Jin Shu). O filme conta a história de cerca de 50 mil trabalhadores migrantes das partes atingidas pela pobreza do centro-oeste da China, que decompõem e reciclam, com métodos primitivos, cerca de dois milhões de toneladas de lixo eletrônico por ano. A obra mostra, entre gemidos e suspiros, vítimas de graves doenças, travando uma luta diária pela sobrevivência.

Na categoria troféu imprensa foi agraciado o documentário holandês Um Negócio Florescente (A Blooming Business), de Ton van Zantvoort traz um alerta sobre as pessoas no Quênia que são prisioneiras da indústria mundial das flores.

Durante quatro dias de Mostra Competitiva e público significativo, o festival, que se encerra neste domingo, 13, escolheu 10 obras, dentre os 28 trabalhos concorrentes, numa enxuta seleção de 552 filmes (de 67 países) inscritos. A programação contou com temas envolvendo o meio ambiente e produções diversificadas, além de convidados de renome nacional e internacional.

Os filmes vencedores serão exibidos no domingo, 13, a partir das 9 horas, no Cinemão.

CONFIRA LISTA OFICIAL DOS PREMIADOS DO XII FICA

Troféu Cora Coralina – R$ 50 mil – O grande prêmio do XII FICA, conferido ao maior destaque do Festival: Heavy Metal (Hu Xiao de Jin Shu), de Huaqing Jin (China / 2009).

Troféu Carmo Bernardes – R$ 35 mil – Destinado ao melhor longa-metragem: Efeito Reciclagem, do diretor Sean Walsh (Brasil – SP/2009).

Troféu Jesco Von Putkamer – R$ 25 mil – Para o melhor média-metragem: Caçando Capivara, dos diretores Derli, Marilton, Fernando, João Duro, Janaína, Joanina, Juninha e Zé Ca (Brasil-MG/2009).

Troféu Acari Passos – R$ 25 mil – Para o melhor curta-metragem: Recife Frio, do diretor Kleber Mendonça Filho (Brasil-PE/2009).

Troféu Bernardo Élis – R$ 25 mil – Oferecido à melhor série televisiva: Bringing Life to Space (Trazendo Vida ao Espaço), dos diretores Jakob Gottschau e Ojvind Hesselager (Dinamarca/2010).

Troféu José Petrillo – R$ 40 mil – Primeira melhor produção goiana: Sonho de Humanidade, direção de Amarildo Pessoa (Brasil-GO/2010).

Troféu João Bennio – R$ 40 mil – Segunda melhor produção goiana: Vida Seca, direção de Diego Mendonça (Brasil-GO/2009).

Troféu Luiz Gonzaga Soares (Sem premiação em dinheiro) – Conferido pelo júri popular, contemplando o melhor filme na visão do público: Bananas!*, do diretor Fredrik Gertten (Suécia/2009).

Troféu Imprensa (Sem premiação em dinheiro) – Melhor filme, eleito pelos profissionais da imprensa que participam da cobertura do XII FICA – A Blooming Business (Um Negócio Florescente), de Ton van Zantvoort (Holanda, 2009).

Menção Honrosa (Sem premiação em dinheiro) – Melhor curta-metragem: escolhido pelo júri por sua forma gráfica e inusitada aproximação ao problema do lixo: Les Anges Dechets (Os Anjos dos Dejetos), do diretor Pierre Trudeau (Canadá/2008).

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias