Arquivo da tag: Guiana

OTCA – Países amazônicos se reúnem para ter turismo integrado

A Festa do Divino Espírito Santo, no Vale do Guaporé, em Rondônia une Brasil e Bolívia.

Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Guiana e Suriname, países membros da Organização do Tratado da Cooperação Amazônica (OTCA), aprovaram em Manaus (AM), durante a Reunião Regional de Turismo dos Países Amazônicos ocorrida esta semana as principais linhas estratégicas para desenvolvimento do turismo na Região Amazônica. O documento propõe ações de curto, médio e longo prazo, para o incremento do fluxo turístico na região, tendo em vista a proteção das culturas indígenas e dos recursos naturais.

Segundo o diretor executivo da OTCA, Mauricio Dorfler, a organização trouxe para discussão uma proposta de agenda com cinco linhas estratégicas de ação de desenvolvimento do turismo regional: sistematização da informação regional do turismo, criação de circuitos integrados transfronteiriços, desenvolvimento do turismo comunitário, fortalecimento da imagem turística da Amazônia e criação de mecanismo de financiamento regional do turismo.

Durante o encontro os países membros se comprometeram a compartilhar informações sobre ações e projetos específicos desenvolvidos em cada região. A ideia é apoiar o desenvolvimento dos circuitos turísticos integrados entre os países.

Sobre a OTCA

A Organização do Tratado da Cooperação Amazônico (OTCA) é um organismo intergovernamental que reúne oito países que compõem a Região Amazônica: Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela. Com sede permanente em Brasília (DF), a Secretaria Permanente da OTCA foi estabelecida em dezembro de 2002, para implementar os objetivos do Tratado de Cooperação Amazônico (TCA), assinado pelos países em 1978. Na época, os países membros assumiram o compromisso comum da preservação do meio ambiente e uso racional dos recursos naturais da Amazônia. Para mais informações acesse www.otca.info.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Monte Roraima – Terra de lendas e plantas exóticas

Como todos os tepuis desta região, o Monte Roraima começou a ser desenhado há quase dois bilhões de anos, quando nem sequer os continentes apresentavam seus contornos atuais. O topo do Roraima é um lugar sinistro, sem referências geográficas em qualquer outra região da Terra. O exército de pedras escuras do platô, com formas e dimensões distintas que variam conforme a luz seria capaz de instigar a imaginação até do mais duro e cético dos escritores. Muitos trechos dos seus quase 90 km de área permanecem ainda intocados, seja pela dificuldade de acesso ou pelas crenças indígenas que os isolam. Para ser ter uma idéia, somente em 1976 é que o primeiro homem (o escritor venezuelano Charles Brewer-Carias) desvendou o impressionante Vale dos Cristais, local próximo ao ponto que marca a tríplice fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana. Já as lendas mantidas vivas pelos índios fazem com que visitantes e estudiosos jurem ter visto criaturas pré-históricas, ou ouvido urros estranhos e horrendos quando alojados na área do Monte Roraima. Mas os únicos seres vivos devidamente registrados no topo do Monte são alguns insetos, entre eles a peculiar borboleta-tigre e o sapo de nome científico Oreonphynella Quelchii (é um sapinho preto da barriga vermelha, do tamanho da unha do dedão). Estima-se que pelo menos 400 tipos de bromélias e mais de 2.000 tipos de flores e samambaias compõem a diversidade da flora. Isoladas ao longo de milhões de anos, forçadas a adaptar-se por causa da falta de nutrientes do solo, elas evoluíram em novas espécies – as bromélias, por exemplo, criaram surpreendentes hábitos carnívoros, alimentando-se de insetos.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações