Arquivo do dia: 26/12/2012

Eu cansei! (via cafés mexidos!)

Houve tempos, nem tão distantes assim, em que eu tinha certeza de ter encontrado o meu lugar. Era nítido, era claro, era maravilhoso… era uma mentira.
Naquelas poucas semanas, me lembro de sentir dois extremos: um gratificante alívio por não me importar com absolutamente nada e conseguir dormir com a mente vazia à noite, e um enorme NADA. Até hoje não consegui escolher o que eu prefiro. Não consigo escolher se prefiro dormir tranquila, porém vazia, ou se prefiro viver nesse tormento sem fim que dilacera e põe fogo em tudo que passa, deixando nada mais que cinzas. Porque pelo menos na segunda opção eu sinto algo.

Por alguns dias – riam comigo – eu jurava que tinha finalmente entendido o amor. Após ter considerado a morte em vez de viver num mundo onde eu não tivesse quem eu queria, após ter afirmado a mim mesma que meu  destino era seguir amando a mesma pessoa o resto da vida sem ser correspondida, podia jurar que havia entendido o amor, seus motivos, suas regras e seus caminhos. Podia jurar que não precisava mais dele para ser feliz. E foi quando joguei meu coração no abismo de um novo falso amor, como um alcoólatra que precisasse tomar apenas uma dose de uma garrafa inteira de whisky à seu dispor para provar que conseguia se controlar.

Continue Lendo via cafés mexidos!

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Se Tudo Der Errado, Farei Tudo Outra Vez (via Um Travesseiro para Dois)

Sem querer e se eu pudesse gostaria de desfazer, mas o tempo e você me fizeram cultivar uma casca em mim que eu não consigo quebrar. É que agora antes de lembrar das vezes que a gente sorriu, lembro das vezes que me fez chorar, e de todas, lembro de todas, sério, eu lembro de todas as vezes que eu tentei ter teu riso mais uma vez, de todas as vezes que insisti, de todas as ideias que eu tive, todas as atitudes que tomei, as mensagens que mandei e todas as vezes que telefonei. Eu lembro de tudo e se hoje eu sou alguém que você não conhece direito, entenda, a culpa é toda sua.

Nasci pra mergulhar nos dias da minha vida, não rosto de ficar a beira-mar. Eu preciso de mais, preciso do máximo e de toda a força, nem que eu me arrependa amanhã. Com isso, assumo o risco de sofrer a pior das dores quando algo não der certo, ao passo que é grande a possibilidade de viver a maior da felicidade ao encontrar um motivo novo pra celebrar as coisas boas da vida.

Igual a você, hoje eu também mudei.

Continue Lendo via Um Travesseiro para Dois

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Para-choque de blog

“Porquê entrar para a Marinha , quando você pode ser um pirata ? (Steve Jobs)

 

Deixe um comentário

Arquivado em Para-choque de Blog