Opinião – Adeus, Roberto Freire (via Blog do Olímpio Cruz Neto)

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Foto: Fabio R. Pozzebom/ABr

Por Olímpio Cruz Neto

Em 1989, militava no Partido Comunista Brasileiro (PCB), a mais completa escola de formação política brasileira. Uma tradição de inteligência e perspicácia para compreender a política que rompeu pelo menos duas ditaduras e fez milhares de jovens acordarem para a realidade nacional.

Eu era um militante animado. Ainda estudante de jornalismo, tinha dois empregos – assessor de imprensa em um órgão do governo e repórter de cidades num jornal brasiliense criado por Oliveira Bastos. Trabalhava como um condenado. E encontrava tempo para namorar, ler e militar no movimento sindical e estudantil. Era um idiota. Tinha 23 anos.

Continue Lendo via Olímpio Cruz Neto

Deixe um comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s