Arquivo do dia: 09/11/2012

Coma direito e não me venha torrar o saco

“Somos aquilo que comemos”, afirma o ditado. E as pesquisas recentes publicadas na matéria de capa de novembro da revista Mente e Cérebro, da Duetto Editorial, mostram como uma dieta desequilibrada pode prejudicar a saúde da mente. Segundo o artigo, doces e frituras deixam as pessoas intelectualmente preguiçosas e com maior risco de sofrer depressão.

O endocrinologista sueco Fredik Nystrom, da Universidade de Linkoping, realizou uma experiência com 18 voluntários que seguiram um plano nutricional  compreendendo um mês de muita comida em lanchonete, com frituras e açúcar. Além disso, as pessoas levaram uma vida mais sedentária. Conclusão: o humor de todos eles piorou proporcionalmente à quantidade de alimentos consumidos. Isso pode ser visto também em outro experimento realizado na Espanha, ratificando a constatação de que, além de prejudicar o corpo, a gordura nociva à saúde deprime o humor.

         “A comida age como um fármaco em nosso cérebro; mudanças de hábitos alimentares melhoram a cognição e nos protegem contra danos neurológicos, assim como o exercício físico e o sono”, diz o neurocientista Gómez-Pinilla. Portanto, alimentos ricos em ácidos graxos ômega 3, como peixes, abóbora, semente de linhaça, soja, castanhas e, em menor quantidade, espinafre, couve e pepino, favorecem sensações de bem-estar e ainda deixam as pessoas mais aptos a aprender.

Um estudo realizado nos Estados Unidos com alguns pacientes dependentes de álcool, que anteriormente ficaram conhecidos por atos impulsivos e violentos, mostra que eles ficavam menos agressivos quando usavam suplementos alimentares que supriam eventuais deficiências na dieta. Assim também, os presos que recebiam junto a refeição habitual algumas cápsulas que continham um coquetel de vitaminas, minerais e ácidos graxos ômega 3.

“Esses resultados nos fazem concluir que a alimentação esteja diretamente relacionada com o comportamento”, afirma o psicólogo Ap Zaalberg. O psicólogo e seus colegas de estudos acreditam que, com uma dose suplementar de vitaminas, minerais e óleo de peixe, a predisposição à violência e as tentativas de suicídio nas prisões devem diminuir consideravelmente.

Alguns especialistas defendem a ideia de que o cérebro “se ressente” quando é privado de substâncias nutritivas essenciais, como os ácidos graxos ômega 3. O organismo é incapaz de produzi-los, por isso deve-se obtê-los por meio da alimentação, consumindo, por exemplo, peixes e algas.

Segundo estudos, a depressão e o distúrbio bipolar se manifestam com mais frequência em quem consome menos ômega 3 (encontrados em alimentos como peixe, semente de linhaça e soja). Os cientistas da Universidade Colúmbia, de Nova York, consideram a falta desse componente nutritivo um indicativo de risco de suicídio.

Sinal Verde

  • Vida Saudável: Os ácidos graxos ômega 3 são encontrados no óleo de linhaça, de canola, de soja e alimentos como óleo de peixe, abóbora, semente de linhaça, soja e castanhas) reduzem o risco de várias doenças. Melhoram a circulação sanguínea e a pressão arterial, reduzem o risco de doenças reumáticas, infarto e outros problemas cardíacos como arritmias;
  • Peixe para as crianças: Ao incluir o peixe no cardápio de uma gestante, as vantagens repercutem também no desenvolvimento de bebês e crianças pequenas. Há indícios de que o consumo de produtos à base de peixe pode reforçar a inteligência e sociabilidade.
  • Bom Humor: O chocolate influencia o humor. Isso acontece porque o organismo tem carência de alguns aminoácidos essenciais, entre outras coisas, para a produção dos neurotransmissores, as moléculas mensageiras trocadas entre os neurônios. O triptofano serve como produto de base para a serotonina, o “hormônio da felicidade”.

Sinal Vermelho

  • Ácidos graxos saturados: Abundantes na manteiga, no creme de leite, nos embutidos e na carne. Experiências realizadas com ratos mostram o consumo frequente de açúcar e ácidos graxos saturados (presentes em grandes quantidades nas frituras em geral) despertam uma espécie de “apatia” – tanto emocional quanto intelectual.
  • Gordura Trans (vegetais solidificados ou hidrogenadas): presentes em bolos e doces e principalmente em alimentos industrializados e oferecidos em lanchonetes fast food. O documentarista Morgan Spurlock se empanturrou por 30 dias de fast food. Resultado: Engordou 11 quilos, seus índices hepáticos tornaram-se preocupantes e o humor, péssimo.
  • Amina:Cerveja, queijos maturados, alimentos embutidos, molho à base de soja, repolho e chocolate têm uma substancia chamada amida, capaz de alterar o diâmetro dos vasos sanguíneos do cérebro, que pode causar dor. Assim, quem consegue manter o bom humor com dor de cabeça?

1 comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano

Dogville (Lars von Trier, 2004) (via Cinetoscópios)

Por Cindy Lohana

Lars Von Trier, cineasta enigmático, excêntrico e muitas vezes incompreendido tanto por seu público, quanto pelos críticos, fundou o movimento Dogma 95, que consiste em filmes mal iluminados, sem trilha sonora e com imagens tremidas e distorcidas, dando a ideia de algo independente, fora do padrão comum de Hollywood. E é exatamente isso que ele faz em Dogville. Quebra todas as barreiras do cinema usual e transforma a experiência do expectador em algo único, abrindo mão do cenário e outros recursos cinematográficos normalmente usados para aprimorar uma obra. Entretanto, Lars Von Trier, ambienta uma história passada na Grande Depressão dos anos 30 ao teatro televisionado dos anos 70, fazendo um misto entre o lúdico e a vida real, imaginário e concreto.

Grace (interpretada por Nicole Kidman em uma de suas melhores atuações) após fugir de mafiosos perigosos que a perseguiam, chega a Dogville, pequena cidade com um número menor ainda de habitantes. Acolhida por Tom (Paul Bettany), personagem introspectivo e crucial para seu envolvimento com os habitantes do lugar, Grace ganha abrigo em troca de pequenos favores aos moradores, que no começo se mostram afáveis e amigáveis. Com o passar do tempo, contudo, os residentes de Dogville passam a mostrar seu lado sombrio, fazendo de Grace uma escrava do local e de seus egoísmos. A partir de então, ela percebe que Dogville lhe causa muito mais sofrimento do que aqueles que antes a perseguiam.

Leia Mais via Cinetoscópios

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Para-choque de blog

“Por mais longa que seja a caminhada, o mais importante é dar o primeiro passo” – Vinícius de Moraes

Deixe um comentário

Arquivado em Para-choque de Blog