Anita Ekberg: a eterna diva sueca: solitária, na cadeira de rodas, pobre…

“Estou um pouco só, mas não lamento. Amei, chorei, enlouqueci de felicidade. Venci e perdi”, declarou a atriz, de 80 anos, em entrevista ao jornal italiano “Corriere della Sera“. Anita lembrou que Fellini adorava seu “jeito de andar” e como, durante a gravação do filme que a tornou famosa, “passeou pela Fontana de Trevi de cima para baixo sem tropeçar”.Para a atriz, “A Doce Vita” não era um grande filme: “Essa ideia só existe por causa dessa cena enlouquecedora em que estávamos Marcello (Mastroianni, o protagonista do filme) e eu. Mais eu, na verdade, do que ele”, considerou.

“Fellini era um gênio. Nunca entendi qual foi o verdadeiro motivo que o levou a me escolher para ser protagonista de “A Doce Vida”. Lia o coração dos atores e os dirigia como se fossem borboletas”, indicou a atriz. Anita Ekberg relembrou também sua vida sentimental, especialmente seu romance com o industrial Gianni Agnelli, dono do grupo automobilístico Fiat, mas admitiu que não gostava de “listar as propostas de casamento que recebia”.

A atriz, símbolo sexual dos anos 60 graças ao filme de Fellini, se casou duas vezes, uma com o ator inglês Anthony Steel, entre 1956 e 1959, e a outra com o ator americano Rick Van Nutter, de 1963 a 1975. E recebeu ainda proposta do diretor Dino Risi, que sempre rejeitou: “Risi queria ter algo comigo, mas nunca houve nada entre nós”, garantiu. “Fui muito bonita, eu sei”, destacou. 

Limitada a uma cadeira de rodas, a sueca vive em um asilo perto de Roma. Anita Ekberg pediu ajuda financeira à fundação do cineasta Fellini.A atriz sueca , ícone do cinema e que em setembro completou 80 anos, empobreceu a ponto de ter que pedir ajuda financeira à fundação do célebre cineasta italiano Federico Fellini.
“Não é elegante dizê-lo, mas a senhora Ekberg sofre de uma verdadeira falta de liquidez”, disse ao jornal Massimo Morais, um administrador nomeado pela Justiça e que pediu em nome da atriz os subsídios de emergência da Fundação Fellini.
“A fundação ainda não respondeu, mas eu conto com a solidariedade dos benfeitores, que queiram ajudar, mesmo modestamente, uma grande atriz que merece”, disse.Limitada a uma cadeira de rodas desde que quebrou o fêmur em uma queda, Ekberg teve que deixar sua casa depois de um incêndio provocado por ladrões. Além de alguns vizinhos e dos serviços sociais, a diva recebe poucas visitas e passa o tempo escrevendo suas memórias. “Os dias são infinitamente longos”, disse ao jornal Il Corriere della Sera.

1 comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano

Uma resposta para “Anita Ekberg: a eterna diva sueca: solitária, na cadeira de rodas, pobre…

  1. norma7

    1) Lamento saber.(espero que ela receba a ajuda solicitada, lembrando que os padrões suecos são uma outra história…)

    2) Posso decidir quem foi ‘melhor’ em cena?
    Marcello, Marcello, Marcello!

    Boa Sorte, Norma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s