Gazmuri desafia Alejandro Zambra (via Epimenta)

Meu nome é Gazmuri, sou o homem que escreveu Bonsai, o melhor romance chileno de 2006.

Rua Monjitas, tenho sede e o estômago colado.

Há muito deixei de lado o garbo, a coluna ereta e a impecável caminhadura. Sou um daqueles sujeitos de traços finos disfarçados pela fuligem e mortos de medo, loucos de raiva.

Rua Monjitas na altura da Plaza de Armas.

O caminhão de lixo exibe as luzes e o barulho; o som da cidade está encoberto, antecipo-me nos restos do hotel Vitoria, lambo latas de atum e fanicos de pão italiano e pastrami, degluto uma pequena poça de ginger ale quente no plástico dos detritos que são logo recolhidos pelas mãos hábeis de um negro. Um dos poucos.

Repele-me um tufo de fumaça preta à outra margem da rua e, en passant, resvalo no sujeito que sobrevive deitado em cobertores curtos, um legítimo cocoon em cujo crânio está alojado há décadas um projétil, Zavalita, um mui bem quisto clochard que levanta os saiotes plissados das estudantes do colégio Imaculada Conceição.

Paro. Mijo a seus pés. Estou mijando. Vês? Sigo ganhando as gentes da plaza, jovens bêbados apagam-me um cigarro nas fuças, arfo, sigo, adiante há a catedral de portas abertas e o piso frio que me liberta do calor.

Desconheço os simbolismos da grande nave e suas peanhas. Ao longe, capto os silvos da cidade, apitos, buzinas e vozes femininas.

Uma casa de carnes. A carne é uma substância saborosa. Sugo os tutanos crus, chupo as gorduras, tramelas de vacunos em sangue pisado. Línguas, olhos, bochechas; eu, um ser mediano, no digladio diário com as moscas. Sujo de sangue, me atiram água a cem graus centígrados para a dispersão.

Estou satisfeito, mas anseio. No beco do mercado central há uma fêmea no cio. Ela oferece sua vulva, ou boceta, ou buceta, a outros tantos que ali estão; vejo-os afoitos, e alguma coisa em mim se assoberba. Quero penetrar a cadela na porta da carniceria, é o que faço, mordo o cangote, o gozo, permaneço ainda alguns minutos dentro e a brisa do poente me impele ao bairro dos boêmios.

Continue Lendo via Epimenta

1 comentário

Arquivado em Reblog

Uma resposta para “Gazmuri desafia Alejandro Zambra (via Epimenta)

  1. norma7

    Plenamente justificado o prêmio passado ( e já os vindouros). Visceralmente belo.
    Grata por apresentá-lo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s