Mundo Cão

Existem raças mais inteligentes que outras e, de acordo com Stanley Coren, a inteligência dos cães pode ser medida com relação à sua obediência e ao seu trabalho. Coren, que é autor do livro “A inteligência dos Cães” da editora Ediouro, dividiu os peludinhos em 6 grupos da seguinte maneira:

Siga O Mundo Cão no twitter

  • Graduação de 1 a 10 – Melhores cães em termos de inteligência e obediência para o trabalho.
  • Graduação de 11 a 26 – Excelentes cães de trabalho. Treinamentos de simples comandos assimilados após 5 a 15 repetições.
  • Graduação de 27 a 39 – Cães de trabalho acima da média. Assimilam o comando após 15 a 20 repetições.
  • Graduação de 40 a 54 – Obediência e trabalho intermediários. Assimilam um comando após 25 a 40 repetições.
  • Graduação de 55 a 69 – Capacidade de obediência e trabalho razoáveis. Assimilam um comando após 40 a 80…

Ver o post original 85 mais palavras

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Uma resposta para “

  1. norma7

    Beto,
    Amei a escolha do assunto. Discordei de algumas posições apontadas (Afghan Hound em último?)…, mas deixa pra lá! Todos ‘odeia’ os metidos a sabe-tudo…
    Olha isso:
    “O Mastin Napolitano
    O Mastin napolitano nunca vai morder a perna , ataca o rosto da pessoa, procurando o pescoço, com intenção de matar. Age silenciosamente, quase não ladra, vai de mansinho e ataca, saltando sobre a pessoa. Tem uma estratégia de guarda, sentando-se numa posição seleccionada, onde possa observar toda a movimentação, dentro e fora da casa, como se fosse o único responsável por tudo . Para delimitar o território ele fareja todo o local durante os dois primeiros dias, marca os cantos com urina, circula sem correr, pelo ambiente ao qual se apega completamente. Esse grande apego ao dono e ao seu território, faz com que o Mastin napolitano demonstre uma profunda aversão à estranhos. Uma característica de ataque é a expressão de ferocidade que assume quando se vê na incumbência de defender seu território. A expressão é aterradora. Ele levanta a cabeça e as orelhas, fica imponente, retesa os músculos, os olhos ficam brilhantes, e conforme a tensão aumenta, ficam mais vermelhos parecendo mais um animal selvagem, mostra os dentes, começa a urrar, enruga a testa , Assusta só com a expressão dele”.
    Fonte:http://stalidos.blogs.sapo.pt/1079.html

    Acredita-se que o Mastim Napolitano descenda diretamente do Molosso Romano, um cão utilizado pelas tropas romanas em sua conquista do mundo. E já ouvi falar que a Cohors Helvética (Guarda Suiça do Vaticano – pessoal do Papa (?)) cria/criava a raça. Não comprovei.
    Pois, ele se encontra na 72ª posição (junto com o Beagle). Eu pergunto: ALGUÉM quer uma ‘arma’ dessa, como seu guardião, que precisa de: “Durante o treinamento inicial, podem precisar de de 30 a 40 repetições de simples comandos antes de mostrarem algum sinal de que fazem idéia do que se trata. Não é raro que estes cães precisem executar mais de 100 vezes um comando de forma correta, antes de se tornarem confiáveis na sua performance.”
    Alguém? Me inclua fora….rs.rs.rs.
    Algo não está fazendo sentido… devo ter perdido algo! ;)
    Bjo Norma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s