Arquivo do mês: julho 2012

Post anterior

Aventar

Não sou um estudioso do orgasmo, porque há assuntos que não devem ser tratados nos livros. Para além disso, graças às palavras sábias de Duarte Marques percebi que a frequência de bibliotecas pode impedir-me de lidar com pessoas, expectativas e emoções, tudo coisas úteis para se atingir um orgasmo.

Ver o post original 253 mais palavras

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Ambientalistas em rede

O fotógrafo japonês Karo Yuki criou um ensaio fotográfico capturando vagalumes com a exposição da câmera aberta, captando o rastro de suas luzes. Sensacional.

Fonte: Hypeness

Ver o post original

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Conversa no Banheiro

Hoje à noite (29/7) quando acessei minha conta no Facebook, recebi um post do perfil “Malvinas Argentinas” no meu mural de notícias, informando sobre a censura de uma charge do cartunista Carlos Latuff. No conteúdo do post havia apenas a informação de que um desenho foi censurado, retirado do ar e teve o compartilhamento bloqueado pela empresa Facebook. Não existia a informação sobre quando isso aconteceu, em quais circunstâncias, qual foi o desenho supostamente censurado ou por quanto tempo o perfil da conta teria estado inativo.

Como sei (a partir de entrevistas que fiz com Carlos Latuff) que o chargista não possui perfil próprio na rede Facebook, eu decidi entrar em contato com ele para saber o que de fato teria acontecido e esclarecer o caso.

Novamente, Carlos Latuff, em conversa por telefone exatamente às 21h48 de hoje (29/7), afirmou não possuir qualquer conta na rede Facebook. O chargista…

Ver o post original 814 mais palavras

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Post seguinte

Bytes don't Bite!

Em qualquer profissão existem pessoas que fazem o conhecido “corpo mole”, alguns , inclusive,  se esforçam tanto na enrolação, que fica até difícil de percebermos, e acabam compensando sua pouca produtividade com grande esforço no “marketing pessoal” ou no “relacionamento” com os colegas.

As conseqüências das ações desse tipo de profissional nem sempre são imediatas ou graves, porém não há dúvida do custo e do prejuízo que essas atitudes podem ter no projeto e até mesmo na empresa.

Apesar desse tipo de profissional existir em todas as áreas e funções, no post de hoje, vamos focar em como reconhecer um testador desse tipo. Vamos apresentar algumas dicas para perceber quando um tester não está trabalhando como deveria, mas não se espante se você visualizar as mesmas características em outros profissionais.

Esse tipo de problema ainda ocorre, porque é fácil se safar sem realizar algum trabalho efetivo, e geralmente os líderes de equipe…

Ver o post original 239 mais palavras

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Cátia Cernov

Certa madrugada de lua em eclipse, calendário incerto, talvez fosse Júpiter que projetasse aquela sombra…

Cátia Andréa Cernov de Oliveira é escritora experimental. Tem 43 anos, três filhos e mora em Porto Velho. Publicou seu primeiro texto pela Literatura Marginal Ato III, da revista Caros Amigos. Seus contos e poemas tem sido publicados de forma independente: ela mesmo escreve, edita, imprime e distribui em bancas de revistas, bares, livrarias e sebos. Segundo ela mesmo diz : “Mas… Quem irá habitar o espaço? Os homens sábios, evoluídos, razoáveis, ou os senhores da economia que obterão o monopólio das viagens espaciais ? ” Se cruzar por ela pelas ruas de Porto Velho, tenha certeza : ela não é um avatar.

Cátia Cernov, um universo em movimento

Solarium (Latim = Relógio) Antiga constelação, localizava-se entre Horologium, Hydrus e Dorado. Extinta no século XIX

1 comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano

Túnel do Tempo : Praça de alimentação na EFMM, anos 80

Praça de alimentação da EFMM nos anos 80, em Porto Velho/RO

Deixe um comentário

Arquivado em Túnel do Tempo

Um gato na janela

Janela de um casarão remanescente da época áurea da borracha em Fortaleza do Abunã/RO e um gato. foto : B.Bertagna

Vejo a notícia, feliz, que finalmente será reeditado em português brasileiro o livro “O Mestre e Margarida”, de Mikhail Bulgakov.

Escrito às escondidas visto que tinha Stalin bafejando na sua nuca(e isto não é pouco comparado a nossos aprendizes de tiranos-tupiniquins-regionalistas e seus miquinhos amestrados ) o livro ficou censurado por muitas décadas. Diz a lenda, que a obra só se salvou porque a KGB tinha uma cópia, visto que Bulgakov, num acesso de loucura teria queimado os originais.

É o verdadeiro Fausto, travestido de Margarida, reeditando uma vida prá sempre, enquanto Moscou vira de pernas para o ar , ardendo em chamas com este diabo luxuriante, engraçado, gozador, fascinante  e poeta.

Teria tudo a ver com esta paranóica Porto Velho delirante dos dias de hoje, em que mais um ciclo econômico e social vem varrendo tudo feito um furacão?

” tudo prosegue normal até onde eu sei,
enquanto isso sera melhor cerveja que vem
leva essa traz mais uma põe na conta!
tô sem dinheiro tá valendo eu tô a pampa! ” Xis

Por que o gato ?  Leiam o livro e decifrarão…

Não fale mau di mim por que poço te encontrá na próssima iskina.

Deixe um comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano