Arquivo do dia: 12/06/2012

Prosa Econômica

No dia dos Namorados, ninguém melhor que um economista para expressar seus sentimentos. Abaixo vão algumas “dicas” de como dizer “Eu te amo” em economês.

VOCÊ TORNA O IMPOSSÍVEL POSSÍVEL:

Mais duas infalíveis…

Ver o post original

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

AnsiaMente

 

Por Carmen Guerreiro

 

Algumas das pequenas coisas que acontecem no nosso dia a dia não conseguimos esquecer. Em especial porque incomodam muito.  Para mim sempre foi difícil entender a falta de medida, respeito e bom senso de certas pessoas em relação às outras…

Eu estava na fila do caixa rápido do supermercado certa vez e a cliente da minha frente destratou completamente a moça que trabalhava no caixa.

Não me lembro mais as besteiras que ela disse (já passaram-se alguns meses), mas chegou a chamar a funcionária de “burra”. E ainda insistiu no assunto e insultou a moça mais um pouco.

Era uma mulher de seus mais de 50 anos que claramente tinha muito dinheiro: ostentava roupa de marca e dezenas de tratamentos estéticos visivelmente caros. E claramente se colocava acima dos outros por causa disso. A funcionária não respondeu em momento algum, mas eu pude ver que ela…

Ver o post original 297 mais palavras

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

wpid-etiqueta5-2012-06-11-23-391.jpg

Muita gente me pergunta se o que acontece com o Bruce Willis em o “Sexto Sentido” pode acontecer com qualquer um. A resposta, infelizmente, é YES. Para dizer a verdade a maioria de vocês é muito barrichella e demora demais pra perceber que não pertence mais ao mundo dos vivos. Alguns chegam a tentar criar comunidades no Orkut do tipo “Encosto é quase amor”, mas se tocar que é bom, nada, necas. Um horror.

Sim, porque se você não consegue perceber que a sua vida no além é diferente da anterior, sorry, é porque a sua vida terrena realmente era uma shit. Pior, ainda que seja por engano, nada é mais brega do que uma alma tentar passar pelo o que não é ou tentar mostrar o que não tem, no caso, um corpo. Autenticidade é tudo, gentchi, até após a morte. Portanto, quando morrer, fique

Ver o post original 444 mais palavras

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações