filosofia cinza

PUBLICADO NA REVISTA CULT DE ABRIL DE 2012

Sobre a nossa personalidade autoritária de cada dia

Theodor Adorno publicou em 1950 um estudo psicossociológico com a intenção de abordar o que surgia naquela época como um novo tipo subjetivo. Hoje nos acostumados a ele. A característica fundamental do que se chamou de “personalidade autoritária” era a combinação contraditória num mesmo indivíduo entre uma postura racional e idiossincrasias irracionais. Na visão de Adorno, a pessoa marcada por esta personalidade seria um tipo individualista e independente enquanto, ao mesmo tempo, teria uma propensão fortíssima a se submeter à autoridade.

Naquele estudo, o objetivo era entender o que se chamou de tipo discriminatório. Se desejava desvendar os motivos do avanço do ódio ao outro em escala social que teria levado ao nazismo alemão. Preocupava a mesma tendência nos EUA onde estava exilados. O que Adorno e seus colegas de pesquisa chamaram de “fascismo…

Ver o post original 585 mais palavras

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Uma resposta para “

  1. Beto,
    Belo texto. \o/ p/a autora e p/tua escolha.
    O ‘por quê’ cultivamos esse “pequenos ódios”?
    E eu sei? Claro que não…!
    Mas quem tentou responder, deixou nos comentários, brilhantes comprovações da Sabedoria Humana.
    +++++++++
    (será que o ‘diferente’ nos incomoda porque vemos ali algo que gostaríamos de ser/ter/ousar/fazer ? Vou convidar uma caipirinha de Rum – Carta Branca -, para dialogar comigo. Bom feriado!).
    Fique bem, Norma

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s