Arquivo do dia: 01/04/2012

blog da Revista Espaço Acadêmico

RICARDO RIBEIRO BAETA*

Quando, próximo do Natal de 2001, minha filha, aos 11 anos, deixou de falar comigo, foi uma surpresa. Quase seis meses antes de isso acontecer, ela me havia falado: “…pai, eu te amo do mesmo jeito. Você não me ensinou que o importante é as pessoas serem felizes? Então, eu quero que você seja feliz e vou continuar sendo sua filha e te amando“. Assim ela me acolhera, em seu terno coração infantil, depois de eu ter conversado francamente sobre minha orientação homossexual.

Enquanto ela me beijava o rosto e enxugava as minhas lágrimas, senti-me protegido por aquele terno ser, que demonstrava, em atitude, a educação que eu tanto me esforçara em proporcionar-lhe. Depois de quase seis meses desse acolhimento, eis que, repentinamente, antes de cortar contato comigo, ela me disse que eu “era desprezível”. Chorei e sofri por muitos anos, pois senti na…

Ver o post original 974 mais palavras

3 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações