Hoover e Thatcher

Blog da Boitempo

Por Emir Sader.

Parece que a prolongada crise econômica do capitalismo vai tirando da listas dos bestsellers as biografias dos executivos bem sucedidos – salvo aqui, com o crescimento da economia, onde ainda prima o Eike. Voltam personagens políticos, no caso atual, de índole conservadora, já não mais como os ídolos que foram, mas na sua decadência.

Os dois filmes – J. Edgar, de Clint Eastwood, e A dama de ferro, de Phyllid Lloyd – são lançados simultaneamente nos cinemas brasileiros, sobre dois personagens conservadores cruciais. Hoover, quase 50 anos no FBI cruzou toda a guerra fria como um dos seus protagonistas essenciais. Thatcher, como uma das lideranças mais importante no relançamento e renovação da direita no mundo, com o neoliberalismo.

Ambos os filmes buscam o difícil enfoque pessoal de personagens obviamente antipáticos e duros. No caso de Hoover, essa dificuldade se agrava, pela relação homossexual com seu…

Ver o post original 491 mais palavras

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Uma resposta para “Hoover e Thatcher

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s