Arquivo do dia: 03/01/2012

Rally Dakar : piloto francês Sebastien Couen em coma

Segundo fontes do Hospital Teodoro J. Schestakow, em San Rafael , onde está internado, o motociclista teria caído numa região de dunas durante a segunda etapa da prova e depois foi sujeito a temperaturas de mais de 40 graus, antes de ser encontrado. A sua temperatura corporal também subiu acima dos 40 graus, não sendo certo quanto tempo ficou exposto ao calor intenso.O Rali Dakar é considerado uma das mais perigosas provas do desporto automóvel e nesta edição tem já uma vítima mortal, o “motard” argentino Jorge Martinez Boero, a que se acrescentam duas pessoas que seguiam a prova em ultraleve. Pela quarta vez em estradas e pistas sul-americanas, o rali tem disputadas até ao momento três etapas, permanecendo em território argentino, antes de passar para o Chile e Peru.Sebastien Coue não é o único piloto do Rally Dakar 2012 que permanece no hospital. Seu compatriota Bruno da Costa também foi internado após bater em uma vaca, acidente que pode ter lhe causado fraturas na espinha dorsal e uma hemorragia renal.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

2012: ano de resistência e de resiliência

Leonardo Boff

Os cenários da situação da humanidade, especialmente nos países centrais, são perturbadores. As crises escondem grande padecimento humano, especialmente dos mais vulneráveis dos quais quase ninguém fala.

Face a esta situação devemos resistir e viver a resiliência, vale dizer, aquela atitude de enfrentar com destemor os problemas, dar a volta por cima e aprender dos revezes da vida, pessoal e coletiva.Isso se impõe se a crise geral atingir também nosso pais, o que não é impossível. O importante é não se resignar mas manter a vontade de mudar e crescer. Neste contexto, lembrei-me de um mito antigo da área mediterrânea da Europa por mim já referido em outros escritos.

De tempos em tempos, reza o mito, a águia, como a fênix egípcia, se renova totalmente. Ela voa cada vez mais alto até chegar próxima ao sol. Então as penas se incendeiam e ela toda começa a arder. Quando chega a…

Ver o post original 538 mais palavras

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Deixe um comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano

O peixe morre pela boca

Por Célio Pezza

Existe um ditado antigo que diz que “o peixe morre pela boca”. Esta é uma verdade não só para os peixes, mas também para os homens. Nós inventamos tanta porcaria para comer, que podemos dizer sem medo de errar que estamos morrendo pela boca. De algumas décadas para cá, apareceram inúmeras doenças e os homens estão sofrendo de males que no passado não existiam. Grande parte deste quadro vem, sem dúvida, da má alimentação da vida moderna e da péssima qualidade dos alimentos ingeridos, que são produzidos sem a mínima preocupação com a saúde de quem vai ingeri-los. Existe uma indústria inescrupulosa que produz cada vez mais venenos e agrotóxicos de todos os tipos e os coloca no mercado sob a falsa ideologia de combate à fome e aumento das safras (leiam lucros). Essa indústria diz ao agricultor ignorante que os produtos são necessários e que nas dosagens corretas não fazem mal algum ao ser humano.

Por outro lado, existem os agricultores que sabem dos efeitos destes venenos, mas não se preocupam e usam até em doses maiores do que as recomendadas para que seu produto seja mais bonito. Muitos já ouviram de algum agricultor que para a sua família os morangos e os tomates são outros, aqueles feios que estão plantados em uma pequena horta ao lado de sua casa. Para a venda nos mercados, é a grande plantação, cheia de remédios e venenos. São os mais bonitos, mas, como as sereias, seduzem e matam. O problema é que esta agricultura criminosa se espalhou de tal forma dentro da nossa cultura, que hoje é muito difícil separar o joio do trigo e não sabemos mais em quem acreditar. Recentemente uma pesquisa da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) mostrou a situação caótica em que nos encontramos inclusive com o uso de agrotóxicos proibidos, que entram ilegalmente no país.

O pimentão, aquele vermelho e bonito que chama a nossa atenção nos supermercados, ficou na liderança, com 92% das amostras contaminadas e impróprias para o consumo. Em seguida, vem o morango (63%), o pepino (57%), alface (54%), cenoura (50%), abacaxi (33%) e muitos outros. Estes venenos têm efeitos cumulativos no organismo e causam inúmeras doenças cardíacas, neurológicas, endócrinas, imunológicas e algumas transmissíveis para a próxima geração.

O antigo ditado é uma realidade que o nosso mundo moderno insiste em não levar em consideração. Enquanto isto, o homem vai ao encontro de seu destino, cada vez mais doente, pelo ar que respira, pela água que toma e pela comida que ingere. Isto é realmente progresso?

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações