Arquivo do dia: 11/12/2011

Feliz dia do Arquiteto!

Biblioteca da FAUUSP

As bibliotecas da FAUUSP desejam um feliz

Dia do Arquiteto!

Ver o post original

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Rondônia : mulheres grevistas devem ficar no mínimo 300 m distantes dos quartéis da PM, decide juiz

O Juiz de Direito Sérgio William Domingues Teixeira determinou que mulheres consideradas líderes do movimento grevista da PM fiquem afastadas por no mínimo 300 metros de Batalhões e de Unidades da Polícia Militar.

Várias acusações foram representadas contra as líderes do movimento e até registradas na imprensa como atos de sabotagem, dano ao patrimônio público, impedimento de policiais de exercerem suas funções, motim, desacato, ameaça, disparos de arma de fogo e, por conseguinte, formação de quadrilha ou bando armado, todos com alguma espécie de participação das mulheres, conforme consta na representação. Em caso de desobediência, a medida cautelar poderá ser convertida em prisão preventiva para garantir a ordem pública.

Confira a íntegra da decisão em anexo.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Sai daí, Fidel !

Deixe um comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano

Tive uma idéia ! Ter um bom emprego ou o próprio negócio ?

Por Rafael Coelho de Werneck, diretor financeiro do Virtvs.

Quando se tem uma ideia, ela parece a coisa mais importante no mundo. Naquele momento você não se preocupa se existem outras iguais ou como fará para executá-la, ela é a sua ideia, e assim você acredita começar sua vida de empreendedor.

É chegada a hora em sua carreira que você pensa se está tomando o rumo certo, se tudo que está fazendo vale a pena. Nesse momento você analisa sua situação atual e compara com suas ambições, a pergunta é simples: eu consigo chegar lá, saindo de onde estou agora? Se a resposta for negativa, pense em mudar. Ir para um novo emprego ou empreender. É uma difícil decisão, mas ela deve ser sensata e muito bem pensada.

Pessoas que estão empregadas e desmotivadas em seus trabalhos, tendem a acreditar que qualquer ideia seja um grande negócio, pois qualquer coisa é melhor do que onde ela está. Seja sensato, se seu problema é seu trabalho, procure outro, não deixe o seu momento psicológico dizer que você deve ser um empreendedor, quando você não deve. Saiba diferenciar.

Digamos que você concluiu que sua ideia vale ouro. A maioria das pessoas param nas ideias. A ideia é base de qualquer negócio, mas saber executá-la é o mais crucial. Desenhar o modelo de negócio, avaliar o mercado, escolher os sócios certos, criar um nome, um logo, um site e, por fim, a empresa, não necessariamente nessa mesma ordem. Enfim, não é tão fácil quanto parece e é, no mínimo, arriscado.

Dimensionar o risco de empreender é algo difícil, comece pensando nos seus custos de oportunidade, quer dizer, o que você deixa pra trás ao aventurar-se em um novo negócio. Não pense tanto no curto prazo, você deverá ser capaz de estimar o quão longe essa ideia pode te levar, mas seja justo com você mesmo, não é porque a ideia é sua que a viabilidade dela é fenomenal, esse é um erro comum, as pessoas tendem a supervalorizar suas próprias ideias. Se você focar no curto prazo desistirá, pois lucros não virão no primeiro ano, sorte sua se vierem, mas não é comum, o que indica que você deverá ter um colchão, ou seu ou de outra pessoa, que te manterá durante os tempos de vacas magras.

Ainda em tempo: tenha em mente que o sucesso não depende apenas de você, o mercado e a economia são, também, muito importantes.

Empreender é deixar tudo o que faz por acreditar em seu novo negócio. Acreditar não significa achar que uma ideia é boa, lembre-se, você está trocando tudo por ela, por isso você deve ser fiel e ter plena certeza que é a melhor decisão possível.

Quando sua cabeça disser: tive uma ideia! Pense bem, talvez ela esteja te enganando por seu momento psicológico, mas talvez ela esteja dando a você a chance de ter sucesso. Apenas você capaz de saber o que é certo ou errado, ouça opiniões, mas não se engane.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

“Gatos Sortudos” reúne histórias emocionantes de amor, amizade e superação

Este slideshow necessita de JavaScript.

Maus-tratos e abandono. Essa é a realidade dos gatos resgatados pela ONG “Adote um Gatinho”, e por ela transformada. Há oito anos enfrentando obstáculos para dar uma vida melhor a esses bichanos, Juliana Bussab e Susan Yamamoto, fundadoras e responsáveis pela AUG, escreveram o livro “Gatos Sortudos”, que expõe as histórias reais e cativantes desses animais. São doze gatinhos que representam os mais de quatro mil felinos resgatados, cuidados e colocados para adoção pelas autoras. Esses animais não só ganharam vida nova como, com certeza, mudaram a de seus novos donos. Segundo as autoras, a obra foi produzida com o intuito de conscientizar as pessoas sobre a importância de proteger os animais e, assim, colaborar com a redução do número de gatinhos abandonados e maltratados nas ruas. “Queremos ajudar mais peludinhos a terem uma história de vida especial, por isso toda a renda dos direitos autorais vai direto para a AUG.” afirma Juliana Bussab. “Sem o patrocínio de grandes empresas e contando apenas com doações de pessoas que confiam e nos ajudam nesse trabalho, é sempre difícil salvar todos esses animais, mas fazemos esse trabalho com a alma e o coração e por isso deu certo até agora.” conta Susan Yamamoto. Entre os personagens mais encantadores está Ozzy, um gatinho que foi muito machucado quando recém-nascido e por isso enfrentou dificuldades para conseguir se movimentar normalmente. Mas que superou todas as expectativas e, com seu charme, virou mascote da ONG e até estrela de televisão. Além da vida de Ozzy e outros bichinhos, a obra dispõe de fotos e dicas informativas sobre a criação de gatos.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações