Arquivo do dia: 08/12/2011

Fotografias, aspirinas e urubus…

Vem chegando o verão….

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

A liberdade de (ex)pressão de uma mídia decadente

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

É possível alimentar 7 bilhões de pessoas?

Leonardo Boff

Já somos 7 bilhões de habitantes. Haverá alimentos suficientes para todos? Há várias respostas. Escolhemos uma do grupo Agrimonde (veja Développement et civilizations, setembro 2011), de base francesa, que estudou a situação alimentar de seis regiões críticas do planeta. O grupo de cientistas é otimista, mesmo para quando seremos 9 bilhões de habitantes em 2050. Propõe dois caminhos: o aprofundamento da conhecida revolução verde dos anos 60 do século passado e a assim chamada dupla revolução verde..

A revolução verde teve o mérito de refutar a tese de Malthus, segundo o qual ocorreria um descompasso entre o crescimento populacional, de proporções geométricas e o crescimento alimentar de proporções ariméticas, produzindo um colapso na humanidade. Comprovou que com as novas tecnologias e uma melhor utilização das areas agricultáveis e maciça aplicação de tóxicos, antes destinados à guerra e agora à agricultura, se podia produzir muito mais do que a população demandava.

Ver o post original 484 mais palavras

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

R$ 37 milhões para segurança nas fronteiras

A segurança pública nas regiões de fronteira do Brasil ganha reforço importante após assinatura do termo de adesão entre o Ministério da Justiça e os 11 estados fronteiriços na quinta-feira (8/12), em Brasília. O termo de adesão integra a Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras (Enafron), que faz parte do Plano Estratégico de Fronteiras, lançado em julho pelo governo federal. Em sua primeira fase, a Enafron disponibilizará R$ 37 milhões, que serão divididos entre esses estados.
Durante o lançamento o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, destacou a importância da integração federativa. “É indispensável a articulação das forças policiais dos estados com o governo federal e com as polícias dos outros países”, afirmou.
Os estados já apresentaram seus projetos, que estão em fase de análise pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), responsável pela Enafron. Esses investimentos deverão ser feitos na implementação de gabinetes de gestão integrados de fronteira (GGIF), de núcleos integrados de inteligência nas fronteiras e no reaparelhamento de centros integrados e/ou unidades das polícias militares, civis e perícia, além do fortalecimento da segurança pública nas vias hídricas.
A definição dos valores seguiu critérios como tamanho da população, número de municípios em região de fronteira, número de homicídios em região de fronteira, extensão de fronteira, repasse de verbas federais anteriores e índice de desenvolvimento humano (IDH) do estado.

Estados           

Valor          

AC

3.500.000,00

AM

3.500.000,00

AP

1.750.000,00

MS

4.500.000,00

MT

4.500.000,00

PA

1.750.000,00

PR

5.250.000,00

RO

3.500.000,00

RR

1.750.000,00

RS

3.500.000,00

SC

3.500.000,00

TOTAL

37.000.000,00 

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Só vendo prá crer : funcionários públicos poderão escolher o banco para receber seus salários em 2012

 

Teóricamente, a partir de janeiro de 2012, todos os funcionários públicos brasileiros poderão escolher o banco em que  vão receber seu salário. A chamada portabilidade de conta chega atrasada. mais precisamente  três anos depois da liberação para os funcionários de empresas privadas. Com a portabilidade, as contas podem ser mudadas sem cobrança de tarifas . A mobilidade faz parte de um amplo pacote elaborado em 2006 pelo Banco Central (BC) para estimular a concorrência entre bancos. Além da conta-salário, as medidas incluem a portabilidade do cadastro dos clientes e  de operações de crédito. Neste caso, a pessoa pode transferir um empréstimo de um banco para outro que oferecer melhores condições de pagamento. Quem quiser receber seus vencimentos em outro banco terá de fazer um único comunicado ao banco a que está vinculado hoje. A partir daí, o este terá de transferir, sem custo e no mesmo dia, o salário do cliente para a conta informada previamente. “Folhas de pagamento são importantes para os bancos”, diz o Ricardo Mollo, professor do Insper . As instituições usam os salários para reter clientes. “Um banco de varejo vive de escala e, com as folhas, pode oferecer pacotes  com redução de tarifas.” Outro ponto que deve garantir clientes é a oferta de crédito consignado juntamente com o pacote da conta corrente. Segundo Mollo, o Banco do Brasil (BB) atuou fortemente nessa área, fazendo ofertas agressivas de exclusividade de folha aliada a consignado. “O BC soltou uma norma proibindo essa prática, mas apenas para os novos contratos.” As cidades que possuem apenas um banco também é  fator de restrição à portabilidade. Os clientes não são organizados e perdem força na hora de pleitear taxas menores. Em tese o BB é a instituição que mais perde com a liberação das contas pois  é responsável  por grande parte do pagamento de salários dos barnabés no país. São cerca de 7 milhões de servidores públicos,  12% da base de clientes pessoas físicas do BB. Atualmente o banco é o agente financeiro em Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato grosso, Bahia, Paraíba, Rio Grande do norte, Piauí, Maranhão, Rondônia, Roraima, Acre, Tocantins e Amapá As capitais são São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG), Goiânia (GO), Cuiabá (MT), Palmas (TO), Porto Velho (RO), São Luiz (MA), Teresina (PI), Fortaleza (CE), Natal (RN), João Pessoa (PB), Recife (PE), Maceió (AL), Macapá (AP), Boa Vista (RR) e Rio Branco (AC).

2 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Deixe um comentário

Arquivado em Ao Norte

A importância de dizer obrigado!

Por Alexandre de Oliveira, missionário e pregador da Comunidade Canção Nova há 15 anos

O ser humano busca Deus sempre que está passando por algum tipo de sofrimento ou dificuldade. É o natural da nossa natureza: o instinto básico e fundamental de pedir ajuda ao Pai Criador. Mas muitas vezes não percebemos que, da mesma forma que é importante pedir, também é necessário louvar e agradecer ao Pai por todas as coisas boas que recebemos.

Recentemente, minha família passou por esta experiência maravilhosa de agradecer. Agradecer por uma coisa verdadeiramente maravilhosa: a saúde da minha esposa, que sofre de fibromialgia, havia tido grandes melhoras. O médico constatou que os fortes remédios prescritos para aliviar o sofrimento – companheiros necessários, mas desagradáveis na jornada – poderiam ser dispensados.

Só quem vivenciou de perto nossa luta em família, quem presenciou a maturidade com a qual meus filhos pequenos souberam lidar com as dores constantes da mãe ou esteve próximo a nós diante das muitas renúncias feitas ao longo dos últimos três anos – quando foi diagnosticado a fibromialgia e a depressão – é que consegue saborear o incomparável gosto da vitória. Uma vitória obtida também por meio da fé.

Eu e a minha família vencemos. Vencemos porque ficamos unidos como uma família que se ama. Mas também – e principalmente – unidos a Deus, que em nenhum momento nos desamparou. Ele mostrou, a Sua maneira, como cuidar da alma sofrida, seja através de um sorriso, de uma mensagem de esperança, um abraço ou apoio dos irmãos da fé. Como é bom ter irmãos!

Mas não é preciso sofrer para aprender essa lição. A vida é feita de simples e belas vitórias: acordar cedo e dar um beijo nas pessoas queridas, fazer o bem no ambiente de trabalho, ser honesto, educado, ter um coração capaz de perdoar quando tudo ao seu redor grita: “Vingue-se!”. Essas, sim, são atitudes de uma alma vencedora.

Sei que um ano não é feito apenas de vitórias. Houve também, para todos nós, fracassos e quedas. Mas é certo que ninguém comemora a própria derrota. Não é verdade? Não fomos feitos para a ruína. E por quê? Porque, para Deus, nossa vocação sempre foi a vitória: “Somos mais que vencedores pela virtude daquele que nos amou” (Rom 8,37).

Portanto, celebrar as vitórias deste ano é celebrar nossa própria identidade como filhos do Deus vitorioso. Na Canção Nova se aprende a importância de dizer obrigado. Isso purifica a alma, torna a presença do divino tangível e viva em nossos corações. Para se ter idéia da importância da gratidão para quem vive esse carisma, no último fim de semana, a sede da Canção Nova recebeu mais de 70 mil pessoas, dos quatro cantos do país, com o propósito único de agradecer às vitórias alcançadas em 2011.

Vitórias que também aconteceram com você que lê este texto. E que vitórias são essas? A graça de uma cura física, um novo emprego, uma reconciliação conjugal, a libertação de um vício.

Esta vitória a ser celebrada é sua. Ela envolve sua vida pessoal e das pessoas que você tanto ama. Por isso, tome posse dessa conquista e a trate com carinho. Ela não pode ser ignorada.

Faça a experiência de, a cada triunfo, honrar Àquele que tornou possível a superação: Jesus Cristo, nosso Senhor. Somente com Ele, n’Ele e por Ele, eu e minha casa fomos capazes de sair vencedores em meio a tantas adversidades. Você também poderá fazer a mesma experiência.

Dificuldades sempre existem. Elas surgem e, no momento oportuno, desaparecem deixando como fruto a maturidade da alma. Portanto, tenhamos fé em Deus. Somos vencedores! Sabemos que, após a vigília da noite, o que vem em seguida é o raiar de um novo dia. E, com ele, a esperança.

Deixe um comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano