Arquivo do dia: 01/11/2011

now

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

now II

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Eco-fusca elétrico faz sucesso em Londrina, no Paraná

O EcoFusca “Thomas” é um projeto idealizado pelos  empresários londrinenses Jilo Yamazaki e Vicente de Lima Gongora.  A história teve inicio no inicio da década de 80 quando Yamazaki se formava em engenharia elétrica pela Universidade Estadual de São Paulo e teve como trabalho de conclusão de curso, um carro totalmente elétrico. A partir disso, o projeto sempre esteve em sua mente, sempre de olho nas novidades que surgiam a respeito, ele não queria construir um carro do zero, tal como em seu trabalho de conclusão de curso, queria um carro elétrico a partir de um já existente e utilizando peças de fácil acesso no mercado, evitando importação e custos adicionais. Em uma conversa informal com Gongora, o Projeto EcoFusca começou a tomar forma.

Em março,  a equipe começou a se formar e o carro foi escolhido… O carro escolhido foi um Fusca, que é um carro querido por todos os brasileiros, inclusive pelos empresários londrinenses. Seu motor a ar de 1600cc, cansado, foi deixado de lado, dando lugar a um motor de corrente alternada trifásico assíncrono de 15cv nominal. Em vez de um tanque de gasolina, 25 baterias de chumbo acido que entregam energia suficiente para rodar com autonomia de 60 km. Elas são recarregadas em uma tomada comum, com o tempo máximo de 10h, tendo um custo médio de R$ 0,07 por km. O motor é controlado por um inversor de freqüência especialmente configurado para tal uso. Como se pode perceber foi utilizado peças industriais facilmente encontradas no mercado, que tem característica de baixa manutenção e relativamente baixo custo, se comparadas aos kits vindos do exterior. Sua velocidade foi limitada mecanicamente por questões de segurança, pois se trata de um carro que recebeu uma quantia significativa de peso.

“As baterias são as principais limitantes nas questões de autonomia e tempo de recarga, e temos consciência de que existem outros tipos de baterias que possuem maiores rendimentos, porém isso influencia significativamente no custo do projeto que era um dos nossos principais alvos, tal como o foco na utilização urbana, onde 60 km de autonomia e 60 km/h são suficientes para cidades como a nossa.”

Hoje o EcoFusca é uma realidade, após apenas sete meses,  está rodando perfeitamente pelas ruas da cidade de Londrina de forma confiável, econômica e principalmente limpa. Apesar de estável, nosso projeto está em constante aperfeiçoamento.

“O resultado foi surpreendente, superando nossas expectativas.” – Diz Jilo Yamazaki.

“Estamos contentes com o resultado, e a partir deste projeto, sentimos aptos a receber propostas de projetos desta linha.”

Fazem parte da equipe, os Estudantes: Bruno Masaharu Shimada ( Engenharia Industrial Mecânica e Tecnologia em automação   industrial) , Danilo Yamazaki ( Engenharia Elétrica), Diego Francisco de Carvalho Rodrigues ( Engenharia Elétrica) , Fernando Luiz Buzzutti ( Engenharia Industrial Mecânica) e Marcelo Shinji Otsuka (Engenharia Industrial Mecânica). Na parceria da coordenação do projeto , os empresários e engenheiros eletricistas Jilo Yamazaki e Vicente de Lima Gongora. 

2 Comentários

Arquivado em Delírio Cotidiano

Homem de boa origem, campeão da causa dos homens bons é caluniado por comunistas (via Prof. Hariovaldo Almeida Prado)

Prezados irmãos em São Serapião, amigos da Santa Prelazia de São Josémaria Escrivá, e da Antiga e Nobre Tradição Família e Propriedade,

O preço da liberdade é a eterna vigilância de nossos interesses, como diz a philosophia dos homens de bens e benz, e devemos estar atentos, pois  apenas por dar informações ao consulado de nossos queridos irmãos do norte, uma obrigação ética e moral de qualquer homem bom da nação, um dos bons filhos da Pátria, está sendo acusado covardemente por blogs e periódicos sujos mancomunados com a Internacional Socialista e com a esbórnia anti-cristã, ilibações libidinosas de populistas sul-americanos.  Veja mais via Prof. Hariovaldo Almeida Prado

Deixe um comentário

Arquivado em Reblog