Arquivo do dia: 11/08/2011

Revitalização de Parque Ecológico dá mais qualidade de vida à Porto Velho

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por Joel Elias e Augusto José

Um dos locais mais aprazíveis da capital, o Parque Ecológico, administrado pela Prefeitura de Porto Velho, está sendo reestruturado para se transformar em um ponto de referência na cidade no que diz respeito à educação ambiental.  O projeto abrange também o setor administrativo com a reforma do prédio onde funcionará a administração e boa parte das instalações já foi reformada. A obra é financiada com recursos das compensações das usinas do Madeira, trabalho coordenado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema). “Do que está previsto já foi concluída a construção do prédio central, a reforma das mesas e brinquedos e estamos abrindo o viveiro para visitação pública. Com isso estamos disponibilizando o espaço para as escolas, a fim de que elas trabalhem a educação ambiental com seus alunos”, explicou o secretário José Gadelha, da Sema. José Gadelha adiantou ainda que a visitação das escolas é agendada para os dias da semana. Nos finais da semana, o espaço é aberto para a população, com objetivo de despertar a consciência ecológica e o respeito ao meio ambiente por parte da comunidade portovelhense. O Parque Ecológico tem área de 396 hectares (95% de mata virgem) e abriga mais de 100 animais entre felinos, aves, jacarés, cobras, tartarugas e macacos de cinco espécies, além de lontras, tatus, capivaras, paca, veados e até uma onça, que já foi vista na região. Pelo projeto de revitalização do espaço será criando ainda dentro do parque dois novos espaços, um para os povos indígenas e outra para os ribeirinhos. Haverá ainda um mirante para as atividades de arborismo como rapel e tirolesa. Um dos locais preferidos das pessoas que visitam o Parque Ecológico são as trilhas existentes dentro da mata fechada. O trajeto serve como uma aula básica de botânica. As espécies nativas existentes no trecho percorrido pelos visitantes são todas identificadas por placas. São cerca de 200 espécies de árvores nativas, como angelin, copaíba, ripeiro vermelho, samaúma e cedro mara. Todas de grande porte. O cedro mara, por exemplo, tem um tronco que chega a medir três metros de diâmetros. Com capacidade para 400 mil mudas, o viveiro é outro local que desperta o interesse dos visitantes é o viveiro. Atualmente são cultivadas no local mais de 200 mil mudas de variadas espécies. São plantas ornamentais, árvores frutíferas e espécies utilizadas no reflorestamento. Integrando todo esse ambiente existe ainda o Epifitário (plantação de Orquídeas) com mais de três mil unidades de dez espécies diferentes.“Esse é o local que estamos melhorando para devolvê-lo a população. E a intenção do prefeito Roberto Sobrinho, e fazer com que o Parque Ecológico passe a fazer realmente da vida das pessoas. Que seja um espaço incorporado à recreação, ao lazer, e a outras atividades que contribuem para melhorar a qualidade de vida da população da capital”, disse o secretário.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Ibama : Operação Araponga combate tráfico de animais

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na mansão luxuosa em São Paulo onde se buscava o casal envolvido com a venda ilegal de animais silvestres pela internet, os fiscais do Ibama encontraram um verdadeiro depósito de pássaros, jacaré, cobras e até um lagarto alaranjado conhecido como Monstro de Gila, típico dos Estados Unidos.  Na sala, a equipe se deparou com um gavião voando, na provável suíte do casal havia um aquário com jacaré. A cada novo quarto, mais animais foram localizados. Era o início da Operação Arapongas, uma ação integrada entre o Ibama e a Polícia Federal que foi deflagrada na manhã de ontem para desarticular uma organização criminosa de tráfico e comércio ilegal de animais no Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia, Ceará e Paraíba.

Segundo a coordenadora da Operação pelo Ibama, Maria Luiza Souza, o instituto apreendeu até o momento 2.631 animais silvestres e a Polícia Federal executou sete mandados de prisão de envolvidos no tráfico e comércio de animais da fauna silvestre brasileira e exóticos. Com os presos foram encontrados jacarés, cobras, pererecas, gavião, falcão, passarinhos, lagartos, quati, aranhas, escorpiões, entre outros.

A investigação aponta que a quadrilha agia comercializando animais por meio de um site na Internet, no Brasil e no exterior. O site não tinha autorização do Ibama. Os investigados recebiam encomendas de todo e qualquer tipo de animais, como répteis, anfíbios, mamíferos e pássaros. Esses animais seriam obtidos por meio ilícito, como criadouros irregulares e captura de animais silvestres na natureza. A operação foi batizada com o nome da cidade paranaense Arapongas onde está sediada a empresa responsável pelo site http://www.zoopets.com.br, que oferecia bichos com pagamento parcelado em até 18 meses, sob a falsa propaganda de “Animais legalizados pelo Ibama” e com imagens dos animais . As negociações sob investigação envolviam inclusive duas ONGS , uma de São Paulo e outra de Campina Grande, que se apresentavam como “defensores da natureza”. Ambas negociavam, reproduziam e vendiam animais. As investigações identificaram que para burlar os sistemas de controle ambiental, as ongs reaproveitavam os microchips de animais mortos.

Na sede da ONG em São Paulo, a fiscalização do Ibama localizou cobra sem o dispositivo implantado para identificar a origem legal, conforme exige a legislação, e também microchips separados e notas fiscais. “A tentativa de ludibriar a fiscalização não prosperou. Quem se traveste de atividade legal para realizar tráfico de animais será alcançado em algum momento”, afirma o coordenador de fiscalização, Roberto Cabral.

As investigações começaram a  partir da identificação do site da Zoopets, em outubro do ano passado. Durante as investigações, com vistas a comprovar a materialidade de crime, agentes do Ibama e da Policia Federal negociaram e receberam uma Tiriba (Pyrrhura perlata) de origem ilegal por R$ 700,00,  entregue por via aérea com documentos fraudulentos. O transporte de animais era feito por via aérea e os traficantes utilizam caixa com fundo falso, visando encobrir os animais ilícitos. Há indícios de biopirataria devido a esse procedimento e as espécies venenosas encontradas.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Embarque neste avião: você vai aterrissar com neblina (via Blog do Mario Marcos )

Este vídeo, filmado claramente por um dos tripulantes e com direito a música ambiente, mostra bem o que significa chegar ao Aeroporto de Guarulhos, o principal do país, com neblina intensa. É espantoso. Em determinado momento, o avião mergulha nas nuvens carregadas e toda a visibilidade desaparece. Quando o avião rompe a barreira, ele já está bem perto da pista – tudo orientado, claro, pelos controladores de voo, já que os pilotos nada enxergam. … Read More via Blog do Mario Marcos

Deixe um comentário

Arquivado em Reblog

Rasgar dinheiro não é só loucura, riscar notas não é só imbecilidade (via uôleo)

Rasgar dinheiro não é só loucura, riscar notas não é só imbecilidade O Código Civil Brasileiro, em seus artigos 98 e 99, define bens públicos assim: Art. 98. São públicos os bens do domínio nacional pertencentes às pessoas jurídicas de direito público interno; todos os outros são particulares, seja qual for a pessoa a que pertencerem. Art. 99. São bens públicos: I – os de uso comum do povo, tais como rios, mares, estradas, ruas e praças; II – os de uso especial, tais como edifícios ou terrenos destinados a serviço …  Read More via uôleo

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações