Arquivo do dia: 03/08/2011

Não é estupro se for na Globo (via Eu Só Queria Estudar)

Há alguns meses a arroba mais influente do Twitter, como Rafinha Bastos gosta de ser chamado, foi duramente criticado por fazer uma piada sobre estupro dizendo que “mulher feia quando é estuprada deveria agradecer”. Além dos ataques no Twitter, o Ministério Público decidiu investigá-lo por conta da piadinha desrespeitosa e de péssimo gosto. Nada mais justo. Estupro ou qualquer outro tipo de abuso sexual é algo nojento e criminoso. Além disso, uma “piada” como essa fere a dignidade de quem já passou por essa situação e dos seus familiares. Eu tenho um caso de estupro na família e me sinto ofendido quando vejo alguém banalizando algo tão grave.

Paralelo a tudo isso, a nova sensação do sempre engraçadíssimo e inovador Zorra Total [/ironia] conta da história de uma transexual e sua amiga feia que andam em um metrô lotado e suas desventuras cotidianas. Tudo isso em meio a um bordão que se popularizou rapidamente: Ai, como eu tô bandida!

Read More via Eu Só Queria Estudar

Deixe um comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano

Insanidade virtual (via malvadezas)

Era domingo, dia mundial de cura da ressaca, e a pestana que tirava tinha como meta o fim da dor de cabeça, pequena, aquela que só atinge um lado, no caso o esquerdo. A TV funcionava como sonífero, mas o jogo da tarde estava tão interessante que vez ou outra os olhos teimavam em abrir para acompanhar as cenas em que o locutor se empolgava. Meio robótico, não reagiu no primeiro instante quando o telefone ao lado do travesseiro primeiro tremeu para então tocar o tom padrão da marca do celular. Puxou o aparelho para ver quem era. Acordou de vez com o nome no visor. … Read More via malvadezas

Deixe um comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano

Turismo sucateado

Por Julio Serson

O turismo mundial cresce, a cada ano, na esteira da competitividade do setor, da ampliação dos nichos turísticos de cada país e, sobretudo, da melhoria dos sistemas de emissão e recepção de turistas. Se essa tem sido a tendência internacional, o Brasil mostra que sua locomotiva turística ainda é a velha maria-fumaça, movida a lenha.
Basta ver os números. O País representa cerca de 4% a 5% do PIB global, mas fica com apenas 0,7% das receitas geradas pelo setor turístico em todo o mundo. O movimento de turistas estrangeiros no Brasil permanece praticamente estagnado há uma década, diante de um crescimento mundial acumulado na faixa de 40%. Recebemos cerca de 5 milhões de turistas estrangeiros ao ano, pouco mais de 0,5% do total do planeta. Se compararmos com os líderes, a diferença é absurda: França, 76 milhões; EUA, 59,7 milhões; China, 55,7 milhões; Espanha, 52,7 milhões; e Itália, 43,6 milhões de visitantes.
Esse desempenho preocupa bastante, porque está muito abaixo do que se pode esperar de um país com tantas condições favoráveis: natureza exuberante, cultura rica, diversidade étnica, culinária espetacular, povo acolhedor. Deveríamos apresentar resultados mais expressivos, empregar mais e investir mais. Em 2010, esse mercado movimentou quase US$ 1 trilhão no mundo. O Brasil recolheu míseros US$ 6 bilhões. Pior ainda: os brasileiros que viajaram para o exterior gastaram US$ 16 bilhões. Registramos um déficit de US$ 10 bilhões, que significa algo como 16 mil empregos que perdemos aqui e “exportamos” para outros países.
Segundo o Fórum Econômico Mundial, este ano o Brasil caiu da 45.ª para a 52.ª posição no ranking de competitividade em turismo (e ocupa só o 7.º lugar nas Américas). É interessante notar que nosso país lidera a pontuação no que se refere a recursos naturais, é o 23.º em recursos culturais e o 29.º em sustentabilidade ambiental. Nosso atraso mostra que ainda nos encontramos na fase da infância neste setor da economia.
O câmbio supervalorizado estimula as viagens de brasileiros para o exterior, mais baratas, e atrapalha a vinda de estrangeiros. O real é, hoje, uma das moedas mais valorizadas do planeta, por causa das estratosféricas taxas de juros, que atraem o capital externo em busca de lucros fáceis. Se tivéssemos abundância de capitais aos juros que americanos e europeus têm, daríamos de 10 a 0 nas empresas deles.
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) se enreda numa burocracia exagerada que termina por tornar praticamente inviável qualquer tentativa de obtenção de crédito. Basta lembrar que hoje há 1.280 hotéis em construção no Brasil , sem a participação de recursos públicos. Outra questão dramática é a carga tributária. Hotelaria e turismo detêm a incrível marca de mais de 40 itens de tributos.
Falta-nos uma infraestrutura moderna. Não têm sido feitos os investimentos necessários em estradas, ferrovias, portos, aeroportos, energia, transporte urbano e saneamento. Aliás, não fossem os gargalos nos transportes, especialmente aeroportos, o País poderia dobrar o número de turistas estrangeiros.
Enfrentamos a carência de mão de obra qualificada. É preciso formar trabalhadores para o setor turístico e hoteleiro, capazes de receber melhor, atender melhor, conhecer outras línguas e proporcionar ao turista estrangeiro a satisfação que ele espera quando escolhe seu destino.
Nas últimas duas décadas o Brasil deu importantes passos, a partir da estabilização econômica, da liberalização do mercado e da desestatização de áreas que encontraram melhor desempenho sob gestão privada (como telecomunicações, rodovias e, agora, aeroportos, que começam a entrar no regime de concessão). Mas ainda há muito por realizar. A sociedade civil, por sua vez, tem de se organizar e valorizar o setor turístico como fonte de riqueza e desenvolvimento.

*presidente do Grupo Serson, vice-presidente de Relações Institucionais do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB), Foi presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de São Paulo (ABIH-SP)

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Avião da FAB cai em SC : oito mortos

Foto: Alex Mendes

Foto: Alex Mendes

O avião , um C-98A Gran Caravan pertencente ao 5° Esquadrão de Transporte Aéreo da Força Aérea Brasileira  decolou às 11h45min da Base Aérea de  Canoas, no Rio Grande do Sul, com destino ao Rio de Janeiro. O acidente ocorreu por volta das 13h30min, na cidade de Bom Jardim da Serra, em Santa Catarina.  A Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou na manhã desta quarta-feira que já foram encontrados os corpos das oito vítimas do acidente com o avião da FAB, que ocorreu na terça-feira em Bom Jardim da Serra, na Serra Catarinense. Estavam a bordo :

— Major Antônio Carlos Souza da Silva (RJ)
— 1° Tenente Samir de Barros Farias (MS)
— 2° Tenente Arthur Ricardo Carneiro da Silva Júnior (RJ)
— 2° Tenente André Dias Alves (RJ)
— Suboficial Marcelo André Rhoden (RS)
— 2° Sargento Helenilton de Souza Schafer (RS)
— 3° Sargento Jarbas Barbosa Mendes (ES)
— Senhora Glaci Kuelle Nunes de Oliveira (ES)

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias