Arquivo do dia: 01/07/2011

A Arapongagem (via Blog do Confúcio)

“Depois que se inventou tanto inferno tecnológico, creio que nem o anjo da guarda está a salvo dos grampos e gravações. Ainda mais os telefones celulares, os bichos de hoje fazem tudo, leem até pensamentos quanto mais palavras ditas em voz alta.

Duvido que tenha um prefeito, vereador, governador, deputado, senador que não esteja com sua vida bisbilhotada inteiramente. Todo mundo está amarrado na rede de intriga e desconfiança. E não tem jeito. Sabe de uma coisa – acho tudo isto uma beleza. Pelo menos se pode seguir o conselho de Tancredo Neves – telefone é um ótimo instrumento para se marcar uma conversa de pé de orelha.

Nem a conversa de confíssionário está livre do sagrado direito de privacidade. O segredo da confissão também está ameaçado. Porque o telefone celular, a caneta, o botão, o alfinete, a obturação no dente, cueca, calcinha tudo grava e filma. Virou uma pandemia da desconfiança. Sei lá até onde pode ir esta loucura toda. Só sei que todo mundo quer ter na mão um trunfo arrasador.

Este trunfo arrasador serve mais tarde como moeda de troca poderosa. Ou para as chantagens. Todo mundo sabe o poder da chantagem. Custa os olhos da cara.  Então, minha gente, o melhor que se tem a fazer a se transformar, logo, rapidinho em Madre Tereza de Calcutá. Ou então, tratar de tomar remédio ou fazer uma cirurgia neurológica em que você fique logo surdo e mudo. Defintivamente.  E o medicamento é pra dormir. Ficar tonto e de voz enrolada, de forma tal que ninguém consiga lhe entender nem com desmisturador de voz.

Ah! mundo esquizofrênico, e eu estou nesta também, além de grampeado até a alma, estou tratando de estudar o mundo da tecnologia da informação, para inventar um aparelho para ler pensamento.  O PENSAMENTÔMENTRO. O Outro está quase pronto – é o MENTIRÔMETRO. Com estes dois, com certeza, serei o homem mais rico do mundo. Bill Gates é que se cuide.”

Deixe um comentário

Arquivado em Do Blog do Confúcio

Nova musa do tea party se apresenta aos homens bons do north (via Prof. Hariovaldo Almeida Prado)

Herdeira moral e intelectual de Mrs. Palin, Bachmann com certeza será elevada à candidatura a vice-presidência, já que, como sabemos, no partido dos bons, ainda se tem o bom senso de evitar as agruras que o poder feminil traz a todo país que dele experimenta.

Os olhos azues e a alva epiderme já demonstram por si as qualidades que esta boníssima mulher tem.

Elevemos pois, confrades, nossas orações a São Serapião, em favor a Miss Bachmann, que com certeza somará à intrépida luta dos varões do north contra o desgoverno do queniano.

Veja mais no blog do Professor Hariovaldo Almeida Prado

Deixe um comentário

Arquivado em Reblog

Meu último dia de Vida (via homeroffice)

Meu último dia de Vida Hoje é o meu último dia de vida. Acordei mais cedo e fui até o escritório para encontrar uma foto de quando eu tinha 5 anos. Era de manhã, a casa dos meus pai não tinha muros e eu me lembro de quando o rapaz que tirava fotos sobre o cavalinho chegou. Olhando para a foto, tentei lembrar-me de como era minha voz naquela época, o que eu pensava e como eu imaginava que seria aos 25 anos. Vi a sombra do meu pai no chão, e me senti grato por esta foto … Read More via Homeroffice

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Vermelho

Vídeo arte produzido em dezembro de 2009, na cidade de Natal-RN,  Vermelho é uma mistura de técnicas em vídeo. Inundada de influências do cinema e das artes em geral. O início marca o apagão, que também codificado como caos, é o presente, começo e fim. cadência de imagens que animam o vídeo. Simbolizando a vida, como árvore e o ser humano por ele mesmo. Flutuando entre as cores, sempre evidenciando a cor vermelha fazendo referência ao sangue. Brincando com a imagem gráfica, separação e o bloco RGB. Ou mesmo a pop arte de Andy Wahol. Mostrando a iconofagia ,questões existenciais. Influênciado também por Quentin Tarantino, Mad Max e Poltergeist. Seu tema não foge à realidade, Meio ambiente e sustentabilidade. Denunciando acontecimentos reais, e a complexidade do entendimento, fantasiando um inconsciente. Locações : As cenas que foram gravadas dentro de um apartamento, ou em cima de um prédio Cena 5-incêndio , na UFRN. Cena 6-Avenida Prudente de Morais e Avenida Roberto Freire. Cena 7- Final da Avenida Maria Lacerda.

Ficha Técnica:
Marcella Rosseline : Atriz , editora e produtora , fotografia.
Paola Lins : Atriz
Johan Jean: Editor, Produção, fotografia.
Felipe Bones : Produção
Raissa Dourado : Direção ,Roteiro , produção e fotografia.

Deixe um comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano