D.R. com a churrasqueira

Ela andava triste comigo. Disse que eu só dava valor para nossa relação quando estava bêbado, rodeado de amigos. Reclamou que a gente nunca mais tinha feito nada sozinhos, só nós dois. Que eu nunca mais tinha tocado violão pra ela. Que a gente nunca mais tinha passado um final de semana despretensioso, jogando papo fora, sem compromisso com festa, algazarra. Concordei. Há muito tempo que já não sou mais aquele companheiro aplicado, que passava horas juntos, fazendo planos para o nosso futuro. Me senti mal por isso. Resolvi me redimir. Tirei a tarde de domingo para ficarmos juntinhos. Conversamos futilidades, comemos juntos e fizemos as pazes. Pedi desculpas por ter deixado que a rotina maluca de trabalho atrapalhasse meu empenho como parceiro. Ela ficou feliz, disse que amou o domingo e que já posso voltar a chamar meus amigos pra fazer farra. Ufa. … Veja Mais em Raspa Raspa

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s