Bañuelos , o novo "capo" da Brasil Ecodiesel perde na Espanha o que ganha no Brasil, diz jornal El Economista. Ele estaria de olho na Refinaria de Manguinhos ?

Enrique Bañuelos de Castro nasceu em Valência, na Espanha, no dia 14 de fevereiro de 1966. Sua história está ligada ao mercado imobiliário espanhol e, recentemente, ao brasileiro.Enrique Bañuelos nasceu em uma família operária. Aos nove anos, seu pai morreu vítima de um acidente de trabalho em uma siderúrgica. A empresa responsabilizou-se em pagar seus estudos. Formou-se em Direito e Administração de Empresas. Aos 16 anos fundou a sua primeira empresa, que distribuía mel e derivados. Depois, interessou-se pelo mercado imo biliário. Entrou no setor urbanizando uma área de 17.400.000 metros quadrados no Mediterrâneo. Lá, construiu e comercializou cerca de 50 mil casas destinadas à classe média espanhola que queria uma segunda moradia. Em média, cada unidade vendida girava em torno de 120 mil euros. Em 2006, Bañuelos fez a fusão de várias de suas empresas a fim de formar o grupo Astroc. A crise imobiliária e financeira, porém, fez com que o empresário vendesse grande parte da companhia e transferisse os seus investimentos para mercados fora da Espanha. Ele é casado e tem duas filhas. Faz parte do restrito grupo de 12 espanhóis que permanecem na lista dos homens mais ricos do mundo, segundo a Forbes. Em 2010, sua fortuna foi avaliada como a 655ª maior do mundo. Com a incorporação das ações da Maeda pela Brasil Ecodiesel pelos seus respectivos acionistas, os atuais acionistas da Maeda se tornarão acionistas da Brasil Ecodiesel e a Maeda passará a ser subsidiária integral da Brasil Ecodiesel. Assim, Bañuelos passará a ter aproximadamente 33 % do capital da nova empresa. É esperar para ver se agora a Ecodiesel decola de vez. Segundo o Jornal El Economista, Bañuelos perdeu na Espanha tudo que ganhou no Brasil.Em matéria assinada por Javier Romero e Ramon Alejandra, o jornal publica que a Espanha continua a dar mais uma dor de cabeça ao investidor.

Bañuelos-frente.jpgA Kavaal Real Estate, a sociedade patrimonial, que reúne as empresas da Península Ibérica, comeu todo o lucro obtido no ano passado com as incorporações das empresas brasileiras. Segundo o jornal, “Bañuelos cruzou o oceano no final de 2008, após perder a maior parte dos cerca de 6.000 milhões de euros (8,000 bilhões), segundo a Forbes, quantia que que fez dele o terceiro homem mais rico de Espanha. As ações da  Astroc tque valiam em maio de 2006 .7 euros , valorizaram em menos de dez meses a um valor  superior a 70 €.   Assim, em oito semanas ele conseguiu comprar a propriedade do Banco Sabadell, bem como a participação em promoções da Rayet. Sua idéia era engolir empresas e reuni-las para formar um verdadeiro líder imobiliário espanhol. Mas seu sonho foi desfeito quando  o preço de mercado da Astroc despencou com o estouro da bolha imobiliária.  Em maio passado fundiu a sua nova empresa(AGRE),  com a PDG Realty e criou assim a  maior do mercado imobiliário brasileiro, detendo 6 por cento do seu capital.O problema é que, embora este novo gigante tenha atingido nos primeiros nove meses de 2010 lucro líquido de 295 milhões de euros (662 milhões de reais), este não será suficiente, dado o envolvimento de Bañuelos, para lidar com a enorme perdas no mercado espanhol. Por agora, Kavaal Real Estate, o ex-CV Capital, está realizando uma reorganização de todos os seus negócios para consolidar as suas contas, que já fez uma significativa redução da dívida, mas também de seus ativos, cujo valor tem caído quase a metade, para 346,9 milhões. Nesse sentido, um dos últimos passos que vai tomar é a venda da participação na Quabit Imobiliária , uma empresa que surgiu em 2007 da fusão de 19 imóveis, incluindo Rayet, Paisagem e a extinta Astroc , para criar uma sinergia  de competências, recursos e bens. Hoje, Quabit é controlada pelo grupo Rayet, que detém 53,5 por cento do seu capital, na qual também está presente, como um segundo parceiro, o grupo Creina.  Embora ainda tenha projetos para a Espanha, ao que parece sua grande aposta ainda é  o Brasil. O novo CEO acrescenta uma carteira de terrenos no valor de 12.000 milhões de euros e deverá investir até 3.300 milhões de euros em projetos imobiliários em todo o ano. Ainda assim, Enrique Bañuelos, abriu recentemente um escritório em Madrid  da Veremonte, sua empresa para investir em empresas espanholas para abrir o mercado brasileiro, fundindo-as com empresas brasileiras ou abrir as portas do Brasil para elas. O novo escritório da empresa de investimento Bañuelos, localizada no Paseo de la Castellana, em Madrid, no centro de negócios da capital, soma a que já existe em Londres, onde está sediada a Veremonte, e em São Paulo, onde o empresário concentra seus negócios desde 2008. No Brasil, a entidade patronal, através  da Arion Capital controla a empresa de agronegócio Maeda, um dos principais produtores de algodão e soja no país e que se fundiu com a Brasil Ecodiesel, primeiro grupo de biodiesel no Brasil. Saúde e finanças são outros setores em que o investidor pretende diversificar seus negócios. Em especial, a negociar a compra de um pacote de hipotecas, devido a um dos três principais bancos nacionais e de saúde em São Paulo, onde pretende criar uma empresa  de grande porte, reunindo centenas de clínicas de cirurgia plástica e beleza.

Deixe um comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s