Arquivo do dia: 04/12/2010

Guerra nas favelas incendeia Youtube

A PROVOCAÇÃO

A RESPOSTA (por um morador)

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Mega-sena acumulada : sortudo(a) de Seringueiras (RO) leva prêmio de R$ 30 milhões

Uma única aposta de Seringueiras (RO) acertou as seis dezenas do concurso 1.237 da Mega-Sena, que sorteou R$ 30,1 milhões neste sábado (4). Os números sorteados foram 05 – 18 – 21 – 26 – 39 – 59. O sorteio foi realizado em Rio Negrinho (SC), às 20h (horário de Brasília). De acordo com a Caixa, 132 apostas fizeram a quina e levarão R$ 20.161,75 cada uma. Outras 9.303 acertaram a quadra e ganharam R$ 408,67.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Ótima propaganda australiana!

1 comentário

Arquivado em Delírio Cotidiano

Gente que encontrei por aí… Lê & Julis

2 Comentários

Arquivado em Gente que encontrei por aí

Crack e cocaína podem levar à perda de visão

Por Dr. Renato Neves, médico oftalmologista, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos (SP) – http://www.eyecare.com.br

Enquanto o uso de cocaína refinada vem sendo combatido mundialmente, em forma de crack a droga já fez mais de meio milhão de dependentes no Brasil, com índice de morte em torno de 30% em cinco anos, no máximo. Além da rápida dependência e de alterações cerebrais muito importantes, o usuário pode até mesmo perder a visão. “As sequelas oculares decorrentes do uso de drogas variam bastante. Pode-se constatar desde a perda de acuidade e percepção visual, até mesmo ocorrência de hemorragias, aumento de pressão e perda gradual ou total da visão”, diz o doutor Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo. Neves afirma que a cocaína e o crack oferecem os maiores riscos a seus usuários. “A perda de visão pode ser parcial, total, transitória ou não. Estudos em andamento analisam o impacto entre diferentes usuários. Mas é certo que, da mesma forma com que o viciado em cocaína corre risco de perder o septo nasal, o viciado em crack pode comprometer os ossos da órbita por conta do efeito tóxico da fumaça inalada”.

Mais drogas comprometem a visão

Apesar de a cocaína e o crack serem responsáveis pelo impacto mais grave na visão, outras drogas pesadas podem resultar em dificuldade de enxergar claramente. É o caso da heroína, do LSD (ácido lisérgico) e do ecstasy. “O uso continuado de heroína pode levar a pessoa a ficar estrábica, com um ou ambos os olhos apontando para o lado externo. O LSD pode acarretar retinopatia solar, impedindo o usuário de enxergar bem à luz do dia sem proteção de óculos escuros. Riscos de outra natureza envolvem distúrbios na percepção visual, quando a pessoa relata enxergar centenas de pontos pretos em seu campo de visão. Já o ecstasy também pode provocar hemorragia ocular por conta do aumento de pressão sanguínea. Esses são apenas alguns dos riscos já comprovados em estudos. Muitos outros estão em andamento”, diz o doutor Renato Neves.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Seminário "Cinema e arte contemporânea" na Cinemateca

Dentre outras questões, os debatedores discutem a forma como o cinema lida com a desespecialização dos meios e com a consequente desespacialização da experiência cinematográfica, abrindo a discussão para as relações e tensões entre arte contemporânea e cinema no que diz respeito às mudanças e deslocamentos do (e no) espaço de exibição, bem como no olhar do espectador. O seminário é gratuito e aberto ao público geral: para assistir ao debate e à palestra, basta retirar uma senha na bilheteria da Sala Cinemateca, no dia do evento. O endereço da Cinemateca é Largo Senador Raul Cardoso, 207(próximo ao Metrô Vila Mariana) e o telefone  (11) 3512-6111 (ramal 215)    www.cinemateca.gov.br

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Seminário “Cinema e arte contemporânea” na Cinemateca

Dentre outras questões, os debatedores discutem a forma como o cinema lida com a desespecialização dos meios e com a consequente desespacialização da experiência cinematográfica, abrindo a discussão para as relações e tensões entre arte contemporânea e cinema no que diz respeito às mudanças e deslocamentos do (e no) espaço de exibição, bem como no olhar do espectador. O seminário é gratuito e aberto ao público geral: para assistir ao debate e à palestra, basta retirar uma senha na bilheteria da Sala Cinemateca, no dia do evento. O endereço da Cinemateca é Largo Senador Raul Cardoso, 207(próximo ao Metrô Vila Mariana) e o telefone  (11) 3512-6111 (ramal 215)    www.cinemateca.gov.br

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações