Arquivo do mês: novembro 2010

Zeu: Traficante condenado por morte do jornalista Tim Lopes se entrega a polícia (via Diálogos Políticos)

Zeu: Traficante condenado por morte do jornalista Tim Lopes se entrega a polícia Rio – Foi preso na tarde deste domingo no complexo do Alemão o traficante Elizeu Felício de Souza, o Zeu, condenado pela morte do jornalista Tim Lopes, em 2002. Segundo a polícia, ele se rendeu em sua casa às forças de segurança que ocupam o conjunto de favelas. Zeu estava foragido desde 2007, quando recebeu o benefício do regime semiaberto. Zeu, que não estava armado no momento da prisão, era um dos criminosos mais procurados pela polícia do Rio … Read More

via Diálogos Políticos

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Chapado

Chapado
Travado, sob o efeito de narcóticos ou bebida.
[Complete] Drunk, under the effect of narcotics or drink.
[Complet] Ivre, sous l’effet de narcotiques ou de boisson.

Deixe um comentário

Arquivado em VPPV

Declaração da evolução do homem

Por Dr.Timothy Leary, Ph.D.


Quando no decurso da evolução orgânica torna-se evidente que um processo mutacional é inevitavelmente dissolver o desenvolvimento físico e os vínculos neurológicos que ligam os membros de uma geração com o passado, e inevitavelmente orienta-os entre as espécies da Terra, a assumir, a estação da separação e da igualdade para a qual as leis da natureza e a Natureza de Deus intitulou-os, uma justa preocupação para com a harmonia das espécies exige que as causas da mutação devam ser declaradas.
Nós defendemos estas verdades para se tornarem auto-evidentes:
* Que todas as espécies são criadas diferentes, mas iguais;
* Que são dotados, cada um, com certos direitos inalienáveis;
* Que entre estes direitos são a liberdade de viver, liberdade para crescer, Liberdade e Felicidade para prosseguir em seu próprio estilo;
* Que sempre que qualquer forma de governo se tornar destruidor da vida, liberdade e harmonia, é o dever orgânico dos jovens membros dessa espécie em mutação, cair fora (Drop Out), para dar início a uma nova estrutura social, colocando as suas bases em tais princípios e organizando o seu poder na forma que pareça vir a produzir segurança, felicidade e harmonia para todos os seres sencientes.

Mas, quando um longo comboio de abusos e usurpações, todos perseguindo invariavelmente as mesmas metas destrutivas, ameaçam o verdadeiro tecido de vida orgânica e a serena harmonia do planeta, é o direito, é o dever dos orgânicos abandonar esses pactos mórbidos e evoluir para novas estruturas sociais amorosas.

A história do branco, menopausa, homens embusteiros agora regem o planeta Terra, é uma história de repetida violação das harmoniosas leis da natureza, todas com o objetivo direto de estabelecer uma tirania de envelhecimento materialista sobre o gentil, o que ama a paz, o jovem, o colorido. Para provar isso, deixe que os fatos sejam submetidos ao julgamento das gerações vindouras.
* Estes antigos, governantes brancos têm mantido uma contínua guerra contra outras espécies de vida, escravizam e destroem no capricho, galinhas, peixes, animais e espalham um letal tapete de concreto e metal ao longo do corpo mole da terra.
* Eles têm mantido, um permanente estado de guerra entre si e contra as raças coloridas, amantes da liberdade, o gentil, os jovens. Genocídio é o seu hábito.
* Têm glorificado valores materiais e degradados os espirituais.
* Em sua ganância têm erguido barreiras artificiais de imigração e alfândega, impedindo a livre circulação de pessoas.
* Em seu desejo por controle, eles têm criado sistemas de ensino obrigatório para coagir a mente das crianças e para destruir a sabedoria e a inocência lúdica dos jovens.
* Em sua raiva eles têm coagido os jovens pacíficos, contra a sua vontade, a se unirem aos seus exércitos e guerras de assassinos salariais contra os jovens e gentis de outros países.
* Em sua ganância fizeram da fabricação e venda de armas à base de suas economias.
* Para lucrar eles têm poluído o ar, os rios e os mares.
* Eles têm tentado de todas as maneiras, impor uma uniformidade robô para esmagar variedade, individualidade e independência de pensamento.
* Em sua ganância, instituíram sistemas políticos que perpetuam regras para o envelhecimento e para forçar a juventude a escolher entre a conformidade plástica ou alienação desesperada.

Eles são entediantes.Eles odeiam beleza.Eles odeiam sexo.Eles odeiam vida.

Temos profetizado em pormenor o terror que estão perpetuando. Mas eles têm sido surdos ao pranto dos pobres, a angústia dos coloridos, ao balanço zombeteiro (rocking mockery) dos jovens, as advertências de seus poetas. Adorando apenas força e dinheiro, eles só ouvem a força e dinheiro. Mas nós vamos deixar de falar nestas línguas sinistras.
Devemos, portanto, concordar com a necessidade genética e retirar-nos da sua loucura insensível e manter-los, doravante, como se espera do resto das criaturas de Deus – em harmonia, irmãos da vida, nos seus excessos e ameaças à vida.

E que, agrupando-nos em tribos de companheiros concordando mentalmente, estaremos alegando pleno poder de viver e circular sobre a terra, obter sustento com nossas próprias mãos e mentes, no estilo que parece sagrado e santo para nós, e de faremos todas as coisas e atos que homens livres e mulheres livres independentes podem por direito fazer sem violar o mesmo direito de outras espécies e grupos fazerem suas próprias coisas.

2 Comentários

Arquivado em Delírio Cotidiano

Amigos e inimigos do coração

Por Américo Tângari Júnior , médico cardiologista.

Nós, brasileiros, gostamos de jogar na sorte. Apostamos na loteria, no resultado do futebol, no tempo para o fim de semana e até na nossa saúde. Somos tentados a diagnosticar qualquer problema, com freqüência nos valemos da automedicação e, muitas vezes, nos damos mal. Principalmente, com nosso coração que, cansado dos maus tratos, pode se vingar de forma violenta.

Do médico, poucos se lembram, a não ser quando, flagrados subitamente, saem em desenfreada corrida em busca de socorro. No apuro, muitos lastimam ter abandonado a rotina que os acompanhou na primeira infância, quando frequentavam, todos os anos, os consultórios do pediatra.  É incrível como o hábito de prevenir as doenças se perde quando chega a pré-adolescência. A partir daí, costuma-se viver ciclos continuados sem o monitoramento e assistência de um bom clínico que possa dar orientação sobre saúde e fazer o encaminhamento adequado aos especialistas.

É até compreensível jogar a culpa dos problemas de saúde no stress provocado por pressões do cotidiano, pelos compromissos pessoais e demandas profissionais, pelos congestionamentos do trânsito e até por conta dos chamados do telefone celular. As pessoas passam a ser extensões do ritmo agitado do mundo moderno, relegando a plano inferior a meta de administrar uma vida saudável, pela via de exercícios físicos, adoção de uma dieta sem excesso de gorduras e integração harmônica ao ambiente em que vivem.

É indefensável a hipótese de que essas são características unicamente do brasileiro, mas o fato é que 315 mil pessoas morreram no país, no ano passado, devido às doenças do coração, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia. No mundo, conforme estudos da Organização Mundial de Saúde, os problemas cardiovasculares são responsáveis por 15 milhões de mortes, anualmente. O maior pecado, para usar a imagem popular, é o desleixo para com a prevenção das doenças cardíacas. É procurar ignorar, de maneira consciente, que  exames periódicos, como o de sangue e o ergométrico, permitem ao clínico avaliar os fatores de risco e o histórico de cada pessoa. Como um automóvel, o motor humano, depois de muita quilometragem, carece de prevenção e revisão. Sem estes cuidados, poderá pifar na próxima curva.

O coração tem inimigos mortais, como o colesterol alto, o sedentarismo e o tabagismo. Os dados são aterradores: de 11% a 20% da população adulta com mais de 20 anos sofrem de hipertensão arterial, problema presente entre 40% a 60% nas pessoas que desenvolvem um infarto do miocárdio. Grandes vilões, também, como já se acentuou acima, são o stress e a ansiedade, inclusive porque estes fatores prejudicam o sono e a alimentação, aumentando a adrenalina. Em consequencia, emerge a hipertensão e esta pode ser comparada a uma carga a mais para sobrecarregar o coração. Ninguém pode esquecer que um sono de seis horas seguidas, todas as noites, é fundamental para a saúde. Do mesmo modo, o sedentarismo deve dar lugar à atividades físicas, como caminhadas, a serem reguladas pelas condições de cada um.

É recomendável, ainda, a participação em atividades culturais – cinema, teatro e até mesmo festas onde se possa dançar. Tais ações  colaboram para o controle emocional e, ao mesmo tempo, harmonizam o pensamento, ajudando a pessoa a ver a vida de forma diferente de sua rotina. Reservar um tempo para a vida cultural ajuda no equilíbrio da mente. Por isso, o lazer é fundamental para todos nós.

Não tente adiar a decisão. Está na hora de mudar hábitos de vida, caso você ainda não os tenha em boa medida. Escolha entre um ciclo de vida mais curto ou mais longo. Conscientize-se, ainda, que adotar uma alimentação balanceada não significa comer mal. Pelo contrário, ajuda a controlar o peso, a pressão e o colesterol, que também aceitam uma taça de vinho. Comer a cada quatro horas, no máximo, acelera o metabolismo e contribui para perder peso. Nada faz mal se for consumido com moderação, até porque os hábitos culturais e regionais devem ser levados em conta na escolha da alimentação. E mais: você pode ter um alimento bom e barato, colhendo-o em seu próprio quintal ou na área de serviço do apartamento, onde podem ser plantados temperos que substituem – e bem – os condimentos industrializados. É preciso convir que vivemos num país miscigenado, que cresceu com imigrantes de todas as nacionalidades e deles absorveu hábitos e costumes.

Uma combinação bem brasileira e muito boa é o arroz e feijão, acompanhado de salada, legumes, carne magra e até um pouco de farinha, ingrediente tão ao gosto nacional. A carne vermelha pode comparecer no prato duas vezes por semana, e à noite, a opção deve ser por alimentos leves. A razão é simples: o organismo não terá tempo para digerir alimentos mais pesados, que acabam sobrecarregando o coração.

Constrói-se um coração saudável com a argamassa de um estilo de vida regrado pela qualidade. Coração saudável é uma obra erguida a partir do café da manhã, incluindo o consumo de frutas ou de suco natural, leite, pão integral e queijo sem gordura.  Alimentos baratos e fáceis de encontrar.

Almoçar em casa e descansar um pouco depois ( fazer a siesta), como é comum em alguns países europeus, seria recomendável, pois proporcionaria um descanso ao coração. Reconheço, porém, que, no Brasil, isso é privilégio de poucos. Cuidar do nosso principal órgão não é difícil e vale muito a pena.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Os Piores e os Melhores Amantes do Mundo

Uma pesquisa feita pelo site OnePool com 15 mil mulheres de 20 países listou os piores e os melhores amantes do mundo. Os alemães foram considerados os piores. O motivo? Higiene pessoal precária (eca!). Os latinos foram considerados os melhores de cama: espanhóis em primeiro lugar, brasileiros em segundo e italianos em terceiro. Abaixo, a lista completa:

Os piores

1. Alemães (muito fedorentos)
2. Ingleses  (muito preguiçosos)
3. Suecos  (muito afobados)
4. Holandeses (muito dominadores)
5. Americanos (muito brutos)
6. Gregos (muito sentimentais)
7. Galeses (muito egoístas)
8. Escoceses (muito grosseiros)
9. Turcos (suam demais)
10. Russos (muito peludos)

Os melhores

1. Espanhóis
2. Brasileiros
3. Italianos
4. Franceses
5. Irlandeses
6. Sul africanos
7. Australianos
8. Neozelandeses
9. Dinamarqueses
10. Canadaenses

via Gostei prá Caralho


Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

A repercussão da Guerra do Rio contra os bandidos, na França (via Adilson Bevilacqua – informa:)

A repercussão da Guerra do Rio contra os bandidos, na França O Le figaro publicou hoje um álbum de fotografias maior que o da nossa imprensa sobre a guerra do Rio. Clique aqui para ver o álbum da guerra do Rio no Le Figaro … Read More

via Adilson Bevilacqua – informa:

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Finanças: O que fazer para ter um “próspero ano novo”?

Por Antonio de Julio, especialista em finanças

Já repararam que o ano está acabando cada vez mais cedo? Mal chegou Novembro já temos Panetone nos supermercados, carros 2011 nas lojas (esses estão começam a trocar de ano cada vez mais cedo), decoração natalina nas ruas, lojas começando mais uma “queima total, ficamos malucos, descontos nunca vistos antes”, etc., etc., etc. e por aí vai. Isto é, o décimo terceiro salário nem entrou na conta dos brasileiros e o comércio já está “seduzindo” o consumidor para que ele o gaste antes mesmo de chegar.

Temos que lembrar que depois de toda festa regada a muita bebida vem uma forte ressaca depois. Estamos falando de Janeiro, o mês dos “I”s. IPVA, IPTU, “ihhhhh faltou dinheiro para a matrícula dos filhos”, e por aí vai. Mas quem consegue passar de Janeiro “no azul”, tem grandes chances de continuar na mesma situação no decorrer do ano. Vamos a algumas dicas de como podemos entrar em 2011 em paz e saúde física e financeira, afinal, um bolso saudável ajuda até mesmo a cuidar melhor da nossa saúde e bem estar.

1)  Conheça a si mesmo antes de começar o ano novo: saiba o quanto gastou por mês com água, luz, combustível, supermercado, compras, lazer e prestações em 2010. Coloque essas despesas em uma planilha e veja o que pode ser reduzido. Despesas relacionadas ao consumo (despesas variáveis) são mais fáceis de abater. O seu extrato bancário dos últimos 12 meses pode dizer maravilhas (ou não) ao seu respeito. Faça um mapa de todos os financiamentos e prestações adquiridas em 2010 e veja o quanto precisa de sua renda para tratar desses assuntos. Procure não contrair dívidas que consumam mais do que 30, 35% de sua renda.

2) Só pense em adquirir um novo bem se estiver bem financeiramente.

3) Aprenda a mágica dos juros compostos em aplicações financeiras e a tragédia nas compras a prazo. Não se iluda com “essa parcela cabe no meu bolso tranquilamente”. Antes de fechar uma compra, entenda bem como funciona o mecanismo das prestações.

4) Dedique um pouco do seu tempo para pensar na sua carreira profissional. Será que na mesma empresa onde trabalha não existe uma oportunidade melhor? E nas outras empresas? Não vale a pena disparar alguns currículos, com a tranquilidade de estar empregado?

5) Não seja acomodado. O mundo gira, e cada vez mais rápido a medida que ficamos mais velhos.

6) Desenvolva seu network. Participe de grupos e fóruns relacionados a sua carreira.

7) Não é só de empréstimos e financiamentos que vive o mundo. Se já tem um carro e pode esperar um pouco, um consórcio pode ser uma boa pedida para comprar um novo. Fuja do imediatismo.

8) Converse com sua esposa e filhos sobre planejamento doméstico. Um time que joga unido tem mais chances de ser campeão do que um time que tem um artilheiro que não passa a bola pra ninguém.

9) Quem deve cuidar da sua saúde financeira É VOCÊ! Conheça os planos que seu banco oferece e as taxas que ele cobra. Por mais experiente que o seu gerente seja, quem sabe onde aperta o calo é você.

10) Seja realista: não adianta querer ter uma casa na praia ou fazer “a viagem dos sonhos” devendo no cartão de crédito e no cheque especial. Concentre-se em quitar as dívidas e pense duas vezes antes de contrair uma nova.

Lembrem-se: O importante é “viver em paz” com o nosso dinheiro. Não podemos ter comportamento “bipolar” com ele, isto é, no início do mês ele é “do bem” e no fim do mês quando ele falta ele é “do mal”. Dinheiro deve ser a nossa base sólida para a prosperidade, para o nosso futuro. Não existe grandes lavouras sem pequenas sementes. Não existe grandes fortunas sem pequenos investimentos. Quem gasta mais do que ganha, não só está contraindo dívidas. Está deixando de plantar as sementes do seu futuro.  O método MoneyFit foi criado não apenas para ensinar a poupar, mas ensinar as pessoas a viver bem com odinheiro, a fazer dele um degrau de cada vez rumo a prosperidade.

via moneyfit

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações