Arquivo do dia: 10/11/2010

Justiça condena Protógenes e deixa Dantas solto (via Conversa Afiada)

Protógenes foi atingido pelo novo Diário da Justiça

Saiu no Estadão:

“Protógenes é condenado por crimes na Satiagraha”

Pela primeira vez na história do Judiciário brasileiro, o distinto público tem notícia de uma decisão da Justiça Federal, primeiro no PiG (*). Trata-se de uma delirante decisão que condenou o ínclito delegado Protógenes Queiroz a atender à vítimas de queimaduras. A delirante decisão condenou o ínclito delegado por forjar provas, espionar presidente da República, e assumir o controle da ABIN com o intento mediático de se eleger deputado federal. O delírio tem um objetivo explícito de impedir que o ínclito delegado se diplome deputado federal e possa subir à tribuna para ler o que ainda não se conhece da Operação Satiagraha. A decisão delirante foi tomada por um conhecido juiz federal que se livrou de boa por causa de uma decisão Suprema do ex Supremo Presidente Supremo do Supremo Tribunal Federal. Aquele que maculou irremediavelmente a imagem do Judiciário brasileiro ao conceder em 48 horas dois HC’s ao passador de bola apanhado no ato de passar bola, Daniel Dantas. Impedir que Protógenes Queiroz assuma a cadeira de deputado federal é o sonho de consumo do Daniel Dantas. Que agora, por coincidência, é o que pretende a delirante decisão publicada no Conjur, também conhecido como Estadão.

Daniel Dantas continua solto.

E o ínclito delegado vai ter que pensar queimaduras.

Viva o Brasil !

Paulo Henrique Amorim

3 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

"Ora, a desgraça humana começou no Éden: por causa da mulher, todos nós sabemos, mas também em virtude da ingenuidade, da tolice e da fragilidade emocional do homem (…) O mundo é masculino! A ideia que temos de Deus é masculina! Jesus foi homem!"…(dizia o Juiz Edilson Rumbelsperger Rodrigues) (via Jornal FLIT PARALISANTE)

Por Felipe Seligman

O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) decidiu nesta terça-feira afastar por pelo menos dois anos um juiz de Sete Lagoas (MG) que considerou inconstitucional a Lei Maria da Penha em diversas ações contra homens que agrediram suas companheiras, alegando ver na legislação “um conjunto de regras diabólicas” e dizendo que “a desgraça humana começou por causa da mulher”. Por 9 votos a 6, o conselho decretou a disponibilidade de Edilson Rumbelsperger Rodrigues, pena prevista na Lei Orgânica da Magistratura, que considera “grave” a atitude de um magistrado, mas não o suficiente para levar a aposentadoria compulsória.

Durante o período, ele receberá salário proporcional ao tempo de serviço e poderá pleitear a volta ao trabalho após dois anos de afastamento. A maioria dos conselheiros seguiu o relator, Marcelo Neves, ao entender que Rodrigues deveria ser afastado por usar em suas decisões uma linguagem discriminatória e preconceituosa.

Em sua defesa, o magistrado afirmou em uma nota divulgada no início do processo, que não ofendeu ninguém, apenas se posicionou contra a legislação “em tese”.

A divergência foi proposta pela conselheira Eliana Calmon, que propôs uma censura ao juiz, com a aplicação de um exame de sanidade mental, ideia que não prevaleceu.

A Lei Maria da Penha (nº 11.340) é considerada um marco na defesa da mulher contra a violência doméstica. Sancionada em agosto de 2006, a legislação aumentou o rigor nas penas para agressões contra a mulher no lar, além de fornecer instrumentos para ajudar a coibir esse tipo de violência.

Seu nome é uma homenagem à biofarmacêutica Maria da Penha Maia, agredida seguidamente pelo marido. Após duas tentativas de assassinato em 1983, ela ficou paraplégica. O marido, Marco Antonio Herredia, só foi preso após 19 anos de julgamento e passou apenas dois anos em regime fechado.

Em uma das sentenças proferidas por Edilson Rodrigues, porém, a lei é chamada de “monstrengo tinhoso”, seguida das seguintes considerações: “Para não se ver eventualmente envolvido nas armadilhas dessa lei absurda, o homem terá de se manter tolo, mole, no sentido de se ver na contingência de ter de ceder facilmente às pressões.”

Ele também afirma que “a vingar esse conjunto de regras diabólicas, a família estará em perigo, como inclusive já está: desfacelada, os filhos sem regras, porque sem pais; o homem subjugado”.

E conclui: “Ora, a desgraça humana começou no Éden: por causa da mulher, todos nós sabemos, mas também em virtude da ingenuidade, da tolice e da fragilidade emocional do homem (…) O mundo é masculino! A ideia que temos de Deus é masculina! Jesus foi homem!”.

CNJ afasta juiz de MG que chamou Lei Maria da Penha de “conjunto de regras diabólicas”

CNJ afasta juiz de MG que chamou Lei Maria da Penha de “conjunto de regras diabólicas”

via JORNAL FLIT PARALISANTE

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

“Ora, a desgraça humana começou no Éden: por causa da mulher, todos nós sabemos, mas também em virtude da ingenuidade, da tolice e da fragilidade emocional do homem (…) O mundo é masculino! A ideia que temos de Deus é masculina! Jesus foi homem!”…(dizia o Juiz Edilson Rumbelsperger Rodrigues) (via Jornal FLIT PARALISANTE)

Por Felipe Seligman

O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) decidiu nesta terça-feira afastar por pelo menos dois anos um juiz de Sete Lagoas (MG) que considerou inconstitucional a Lei Maria da Penha em diversas ações contra homens que agrediram suas companheiras, alegando ver na legislação “um conjunto de regras diabólicas” e dizendo que “a desgraça humana começou por causa da mulher”. Por 9 votos a 6, o conselho decretou a disponibilidade de Edilson Rumbelsperger Rodrigues, pena prevista na Lei Orgânica da Magistratura, que considera “grave” a atitude de um magistrado, mas não o suficiente para levar a aposentadoria compulsória.

Durante o período, ele receberá salário proporcional ao tempo de serviço e poderá pleitear a volta ao trabalho após dois anos de afastamento. A maioria dos conselheiros seguiu o relator, Marcelo Neves, ao entender que Rodrigues deveria ser afastado por usar em suas decisões uma linguagem discriminatória e preconceituosa.

Em sua defesa, o magistrado afirmou em uma nota divulgada no início do processo, que não ofendeu ninguém, apenas se posicionou contra a legislação “em tese”.

A divergência foi proposta pela conselheira Eliana Calmon, que propôs uma censura ao juiz, com a aplicação de um exame de sanidade mental, ideia que não prevaleceu.

A Lei Maria da Penha (nº 11.340) é considerada um marco na defesa da mulher contra a violência doméstica. Sancionada em agosto de 2006, a legislação aumentou o rigor nas penas para agressões contra a mulher no lar, além de fornecer instrumentos para ajudar a coibir esse tipo de violência.

Seu nome é uma homenagem à biofarmacêutica Maria da Penha Maia, agredida seguidamente pelo marido. Após duas tentativas de assassinato em 1983, ela ficou paraplégica. O marido, Marco Antonio Herredia, só foi preso após 19 anos de julgamento e passou apenas dois anos em regime fechado.

Em uma das sentenças proferidas por Edilson Rodrigues, porém, a lei é chamada de “monstrengo tinhoso”, seguida das seguintes considerações: “Para não se ver eventualmente envolvido nas armadilhas dessa lei absurda, o homem terá de se manter tolo, mole, no sentido de se ver na contingência de ter de ceder facilmente às pressões.”

Ele também afirma que “a vingar esse conjunto de regras diabólicas, a família estará em perigo, como inclusive já está: desfacelada, os filhos sem regras, porque sem pais; o homem subjugado”.

E conclui: “Ora, a desgraça humana começou no Éden: por causa da mulher, todos nós sabemos, mas também em virtude da ingenuidade, da tolice e da fragilidade emocional do homem (…) O mundo é masculino! A ideia que temos de Deus é masculina! Jesus foi homem!”.

CNJ afasta juiz de MG que chamou Lei Maria da Penha de “conjunto de regras diabólicas”

CNJ afasta juiz de MG que chamou Lei Maria da Penha de “conjunto de regras diabólicas”

via JORNAL FLIT PARALISANTE

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

A maravilhosa foto que a imprensa golpista e pestilenta não publicou

O nome desta senhora, ex-favelada do Rio de Janeiro, é Corina Edelvina Bento. Ela chora de emoção e sacode as chaves de sua casa nova, ao mesmo tempo que é beijada pelo presidente Lula. Dona Corina morava numa favela em precárias condições, e agora é uma das beneficiárias do programa Minha Casa, Minha Vida. A fotografia é tão (politicamente) persuasiva que não foi publicada em nenhum jornal do Brasil, por razões óbvias.  Foi publicada – acredite – no The Wall Street Journal, de propriedade do grupo midiático de Rupert Murdoch, que também detém o controle da famigerada Fox News, apoiadores do republicanismo conservador e do Tea Party. Para se ter uma ideia do que é a News Corp. (empresa controladora do grupo), José Maria Aznar, o protofascista ex-primeiro ministro da Espanha, é membro efetivo do board de 17 diretores do vasto grupo de entretenimento. A fotografia foi tirada no dia 25 de outubro último, por Felipe Dana, da AP.

4 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Ex-estudante de medicina cubana que vive nas ruas de São Paulo pedirá asilo na embaixada de Honduras (via Professor Hariovaldo Almeida Prado)

Por Professor Hariovaldo Almeida Prado

Há duas semanas atrás eu recebi uma carta de uma ex estudante de medicina de Cuba que hoje mora nas ruas de São Paulo porque teve a vida desgraçada pelo comunismo fidelístico, a qual pedia desesperadamente para os brasileiros que não entregassem a nação para Dilma porque a tragédia seria a mesma pois a candidata terrorista  (agora vitoriosa pela fraude)  não passava de um Fidel Castro de saias.

Dizia a ex-estudante que tinha fugido para o Brasil porque acreditava na vitória de Serra e na remissão do país das chagas do comunismo satânico do PT. Dizia também que era necessário impedir a todo custo que os destinos da nação caíssem  em mãos marxistas, pois caso contrário isso aqui ia virar uma enorme Cuba e milhares de brasileiros fugiriam para os Estados Unidos através da fronteira mexicana.

Imediatamente vi que a carta era uma denúncia grave contra Dilma que poderia consolidar definitivamente a vitória de José Serra no pleito de 31 de outubro e enviei rapidamente duas cópias xerográficas  para o Comando da Campanha do Serra e para o William Bonner, do JN, para que a carta fosse lida na televisão, sepultando de uma vez por todas com a candidatura da terrorista do lulopetismo. Fiquei então aguardando a divulgação da carta em vão, cheguei a pensar que ela seria divulgada no último debate da TV, mas nada. Somente ontem vim a saber que quem recebeu a carta no comando da campanha foi o governador Aécio Neves, que estranhamente a engavetou e não comentou nada com os outros integrantes da campanha serrista, agindo como se estivesse jogando contra o candidato do próprio partido (queira Deus que isso não seja verdade), e também que o grande anchorman do JN não teve coragem de ler a carta na TV pois fora ameaçado de morte por um comando de jornalistas-terroristas filiados à CUT, uma lástima!

Hoje logo cedo, ao ler as minhas mensagens eletrônicas, constatei que havia uma mensagem da ex-estudante cubana dizendo-se decepcionada e com muito medo de ser presa e deportada para Cuba novamente, como aconteceu com os boxeadores, e que estava de partida para Brasília para pedir asilo na embaixada de Honduras. Ela relatou que ganhou a passagem de ônibus para o Distrito Federal de uma jovem senhora branca, de cabelos negros, lindíssima, que andava de bicicleta nua todas as manhãs na praça onde ela ficava.

Infelizmente, com a partida desta refugiada cubana para Honduras, inicia-se no Brasil uma das páginas mais negras da ditadura comunista desde a ascensão de Lula ao poder. Como viveremos daqui para frente? Há lugar em Miami para todos nós? Temos que encontrar as respostas o mais breve possível.

Entre no blog do Professor e responda a sua enquete:

Quais serão suas ações na resistência liderada por Serra?

Leia Mais via Professor Hariovaldo Almeida Prado

Deixe um comentário

Arquivado em Reblog

Caveiras, tattoos e pin-ups – All in one (via under construction)

Continuando nossa saga Skul is Cool, uma seleção de trabalhos de Gustavo Rimada,  um americano que não nega suas origems mexicanas. Seus primeiros trabalhos começaram a surgir na adolescência fazendo grafites na vizinhança. Após servir o exército aos poucos se viu envolvido com tatuagens. Seus desenhos estão baseados em pin ups dos anos 50 e modern sexy girls, caveiras e tattoos, tudo junto, sempre com inspirados nos desenhos mexicanos.  … Read More via under construction

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Blogueiros Tendenciosos

O que os irmãos Bocchini fizeram foi uma puta falta de sacanagem! Ridicularizaram o jornalismo sério e imparcial da Folha de São Paulo criando um blog que se pretende engraçadinho chamado Falha de São Paulo. O nome, além de plagiar a marca registrada da Folha, induz ao erro do internauta que, desavisado, corre o risco de acessar o blog falso acreditando ser a Folha. Esse vídeo é um protesto contra esse tipo de blog que denigre a imagem da imprensa séria e respeitável.

6 Comentários

Arquivado em Curta Milimetragem