Arquivo do mês: agosto 2010

"Maconha para a vitória". Um filme do governo americano na II Guerra

Tradução e edição Beto Bertagna

Aos apressadinhos que porventura acharem que estou fazendo apologia às drogas, leiam com mais calma.

Este é um filme histórico,produzido em 1942 pelo Departamento de Agricultura dos EUA que mosta a implementação de um plano de distribuição de 400.000 quilos de “cannabis” aos agricultores  americanos com o objetivo de produzir 350 mil hectares de maconha em 1943, num  esforço conjunto para a guerra. Os agricultores que concordaram foram dispensados do serviço militar, e todos os membros da sua família também . Eles receberam equipamentos agrícolas a preços subsidiados, às vezes de graça. O objetivo oficial era produzir, com as fibras dos pés de maconha,  cordas para a Marinha, mangueiras para os bombeiros, solas de sapato para os soldados e até para-quedas. Das folhas, nada se diz durante o filme. Devem ter ficado para “outras” conversas dos soldados. No entanto, após a guerra, a mesma planta foi considerada a planta daninha do demônio. Mais.  O DEA e a Biblioteca do Congresso negaram a criação ou a existência do filme mas 2 cópias foram encontradas. Quanta hipocrisia ! Nos anos 30, as inovações em máquinas agrícolas teriam provocado uma revolução
industrial se tivessem sido aplicadas à maconha. Essa fonte única poderia ter criado  milhões de novos empregos com a geração de milhares de produtos de qualidade. A revista “Popular Mechanics” de  fevereiro de 1938, declarou:  “A maconha tem um breve período de crescimento, pode ser cultivado em qualquer  estado, as raízes fortes penetram profundamente o solo e deixam a cultura plantada perfeitamente  para o ano seguinte. Maconha, esta nova safra pode ser inestimável para a agricultura  e a indústria americana. Se não tiesse sido declarada ilegal, a maconha poderia ter tirado a América da Grande Depressão”

Você também pode ver este vídeo em versão brasileira no site oimperadorestanu.blogspot.com .

4 Comentários

Arquivado em Delírio Cotidiano

“Maconha para a vitória”. Um filme do governo americano na II Guerra

Tradução e edição Beto Bertagna

Aos apressadinhos que porventura acharem que estou fazendo apologia às drogas, leiam com mais calma.

Este é um filme histórico,produzido em 1942 pelo Departamento de Agricultura dos EUA que mosta a implementação de um plano de distribuição de 400.000 quilos de “cannabis” aos agricultores  americanos com o objetivo de produzir 350 mil hectares de maconha em 1943, num  esforço conjunto para a guerra. Os agricultores que concordaram foram dispensados do serviço militar, e todos os membros da sua família também . Eles receberam equipamentos agrícolas a preços subsidiados, às vezes de graça. O objetivo oficial era produzir, com as fibras dos pés de maconha,  cordas para a Marinha, mangueiras para os bombeiros, solas de sapato para os soldados e até para-quedas. Das folhas, nada se diz durante o filme. Devem ter ficado para “outras” conversas dos soldados. No entanto, após a guerra, a mesma planta foi considerada a planta daninha do demônio. Mais.  O DEA e a Biblioteca do Congresso negaram a criação ou a existência do filme mas 2 cópias foram encontradas. Quanta hipocrisia ! Nos anos 30, as inovações em máquinas agrícolas teriam provocado uma revolução
industrial se tivessem sido aplicadas à maconha. Essa fonte única poderia ter criado  milhões de novos empregos com a geração de milhares de produtos de qualidade. A revista “Popular Mechanics” de  fevereiro de 1938, declarou:  “A maconha tem um breve período de crescimento, pode ser cultivado em qualquer  estado, as raízes fortes penetram profundamente o solo e deixam a cultura plantada perfeitamente  para o ano seguinte. Maconha, esta nova safra pode ser inestimável para a agricultura  e a indústria americana. Se não tiesse sido declarada ilegal, a maconha poderia ter tirado a América da Grande Depressão”

Você também pode ver este vídeo em versão brasileira no site oimperadorestanu.blogspot.com .

4 Comentários

Arquivado em Delírio Cotidiano

Sobre um Primeiro Encontro (via Loucuras da Mente de um Biscoito)

Você gosta de Woody Allen? Pois tem uma cena de um dos filmes dele que, enquanto eu via, tive um insigh enorme e precisei escrever esse post. Como não ia parar o filme no meio só pra vir escrever no blog, resolvi gravar um vídeo e registrar meus pensamentos. (foi a maneira mais rápida que encontrei na hora) Não tenho a intenção de começar um vlog nem nada, fora que não manjo bulhufas sobre como editar um vídeo, então ele ta com todos os erros e e … Read More

via Loucuras da Mente de um Biscoito

2 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Amazônia à beira do caos. Desabastecimento no Acre já preocupa. "Chuva da manga" vem salvar a pátria.

Porto Velho/Rondônia 7:45 da manhã, sexta-feira, dia 27. A fumaça cobre a capital foto : B. Bertagna

Porto Velho/Rondônia 7:45 da manhã, sexta-feira, dia 27. A fumaça cobre a capital . foto : B. Bertagna

Por Beto Bertagna (atualizado 31/08)

A fumaça vinda das  queimadas  e a baixa umidade relativa do ar estão jogando os habitantes do norte do Brasil para uma tênue fronteira que separa o estado de calamidade pública. Na sexta-feira (27) pela manhã foi registrada, segundo fontes altamente confiáveis uma umidade relativa do ar abaixo dos 11%  e uma  taxa de CO2 por volta de 3000 ppm, quando  o normal é por volta de 350ppm, ou seja quase 10 X mais. A chuva que caiu na madrugada desta segunda-feira(30) pouco abalou os maiores focos de incêndio no Estado. Apenas amenizou um pouco a fumaça na capital, Porto Velho.

Nos últimos 200 anos, a concentração de dióxido de carbono na atmosfera aumentou 27% – decorrente da queima de combustíveis fósseis com o início da era industrial e com os desmatamentos – sendo que metade deste aumento ocorreu nos últimos 30 anos. As concentrações de CO2 na atmosfera passaram de 272 ppm na era pré-industrial para 350 ppm no início dos anos 90.

– Uma verdadeira calamidade! exclamou a técnica que informou os dados a este site.

Por conta da seca, as águas do rio Madeira estão tão rasas que podem interromper a ligação com o Acre e com o Amazonas, que é feito através de balsas que cruzam o rio. A situação é mais crítica na balsa que liga a BR 319, entre Porto Velho e Humaitá, no Amazonas.  Na outra balsa, a 20 km de Abunã, que liga Rondônia ao Acre, a travessia demora às vezes quase 5 horas, bem mais 10 vezes do que o normal  , porque as manobras do rebocador da balsa tentam evitar os bancos de areia que se formaram no Madeira. As vezes, há o inevitável encalhe e daí a situação fica mais crítica até desencalhar uma das balsas. ( duas operam no local ).  Extensas filas tem se formado nas duas margens do rio, provocando atrasos e irritações. No trecho navegável do Madeira, já há 2 balsas lotadas de carretas encalhadas na localidade de Calama, a 20 km de Porto Velho.  Pior ainda para Cruzeiro do Sul, cidade de 77 mil habitantes localizada a 630km da capital acriana, quase na fronteira com o Peru. Com uma estrada trafegável apenas 2 meses por ano, a segunda maior cidade do Acre é abastecida basicamente por balsas vindas do Amazonas , num inimaginável trajeto que culmina no rio Juruá  chegando a demorar 2 meses e por avião, através de um vôo diário da empresa Gol. Com as secas, os rios começam a ficar intrafegáveis e com a interrupção do tráfego nas balsas, só restará a Cruzeiro do Sul a ligação aérea, com o preço do custo de vida subindo também às alturas.

No Acre, as queimadas e a fumaça proveniente da Bolívia também estão deixando o ar quase irrespirável, provocando irritações nas mucosas e dificuldades respiratórias. O Instituto de Meio Ambiente do Acre (IMAC) recebeu nesta semana a confirmação de que o Ministério da Defesa autorizou que os homens do Exército auxiliem o governo do Estado no combate às queimadas. De acordo com o órgão, serão 36 homens, sendo que 20 atuaram em Rio Branco, 8 em Epitaciolândia e 8 em Plácido de Castro.

Dicas para você se prevenir durante os dias de ar seco:
Tome muita água, o dobro do que está normalmente acostumado. Tenha um cuidado especial com as pessoas acima dos 70 anos e nos bebês de até 1 ano oferecendo água abundante para eles. Os bebês que se alimentam só de leite materno podem ganhar um pouquinho de água na mamadeira. Observe se as crianças estão bebendo bastante água e se elas estão fazendo xixi com frequência. Escolha comidas leves como saladas, verduras, macarrão com molhos leves e pouca carne, evitando gorduras. Aumente a umidade do ar, usando um umidificador ou então pendure uma toalha umedecida na cadeira na hora de dormir.

É esperado um arrefecimento na  seca com a chuva que caiu na região nesta madrugada (31) e que foi mais intensa e duradoura. Para muitos antigos moradores, desacostumados com a inconstância do tempo,  “a chuva da manga”, a primeira grande chuva do ano. De fato, a paisagem na capital Porto Velho, já amanheceu diferente.


4 Comentários

Arquivado em Delírio Cotidiano

Amazônia à beira do caos. Desabastecimento no Acre já preocupa. “Chuva da manga” vem salvar a pátria.

Porto Velho/Rondônia 7:45 da manhã, sexta-feira, dia 27. A fumaça cobre a capital foto : B. Bertagna

Porto Velho/Rondônia 7:45 da manhã, sexta-feira, dia 27. A fumaça cobre a capital . foto : B. Bertagna

Por Beto Bertagna (atualizado 31/08)

A fumaça vinda das  queimadas  e a baixa umidade relativa do ar estão jogando os habitantes do norte do Brasil para uma tênue fronteira que separa o estado de calamidade pública. Na sexta-feira (27) pela manhã foi registrada, segundo fontes altamente confiáveis uma umidade relativa do ar abaixo dos 11%  e uma  taxa de CO2 por volta de 3000 ppm, quando  o normal é por volta de 350ppm, ou seja quase 10 X mais. A chuva que caiu na madrugada desta segunda-feira(30) pouco abalou os maiores focos de incêndio no Estado. Apenas amenizou um pouco a fumaça na capital, Porto Velho.

Nos últimos 200 anos, a concentração de dióxido de carbono na atmosfera aumentou 27% – decorrente da queima de combustíveis fósseis com o início da era industrial e com os desmatamentos – sendo que metade deste aumento ocorreu nos últimos 30 anos. As concentrações de CO2 na atmosfera passaram de 272 ppm na era pré-industrial para 350 ppm no início dos anos 90.

– Uma verdadeira calamidade! exclamou a técnica que informou os dados a este site.

Por conta da seca, as águas do rio Madeira estão tão rasas que podem interromper a ligação com o Acre e com o Amazonas, que é feito através de balsas que cruzam o rio. A situação é mais crítica na balsa que liga a BR 319, entre Porto Velho e Humaitá, no Amazonas.  Na outra balsa, a 20 km de Abunã, que liga Rondônia ao Acre, a travessia demora às vezes quase 5 horas, bem mais 10 vezes do que o normal  , porque as manobras do rebocador da balsa tentam evitar os bancos de areia que se formaram no Madeira. As vezes, há o inevitável encalhe e daí a situação fica mais crítica até desencalhar uma das balsas. ( duas operam no local ).  Extensas filas tem se formado nas duas margens do rio, provocando atrasos e irritações. No trecho navegável do Madeira, já há 2 balsas lotadas de carretas encalhadas na localidade de Calama, a 20 km de Porto Velho.  Pior ainda para Cruzeiro do Sul, cidade de 77 mil habitantes localizada a 630km da capital acriana, quase na fronteira com o Peru. Com uma estrada trafegável apenas 2 meses por ano, a segunda maior cidade do Acre é abastecida basicamente por balsas vindas do Amazonas , num inimaginável trajeto que culmina no rio Juruá  chegando a demorar 2 meses e por avião, através de um vôo diário da empresa Gol. Com as secas, os rios começam a ficar intrafegáveis e com a interrupção do tráfego nas balsas, só restará a Cruzeiro do Sul a ligação aérea, com o preço do custo de vida subindo também às alturas.

No Acre, as queimadas e a fumaça proveniente da Bolívia também estão deixando o ar quase irrespirável, provocando irritações nas mucosas e dificuldades respiratórias. O Instituto de Meio Ambiente do Acre (IMAC) recebeu nesta semana a confirmação de que o Ministério da Defesa autorizou que os homens do Exército auxiliem o governo do Estado no combate às queimadas. De acordo com o órgão, serão 36 homens, sendo que 20 atuaram em Rio Branco, 8 em Epitaciolândia e 8 em Plácido de Castro.

Dicas para você se prevenir durante os dias de ar seco:
Tome muita água, o dobro do que está normalmente acostumado. Tenha um cuidado especial com as pessoas acima dos 70 anos e nos bebês de até 1 ano oferecendo água abundante para eles. Os bebês que se alimentam só de leite materno podem ganhar um pouquinho de água na mamadeira. Observe se as crianças estão bebendo bastante água e se elas estão fazendo xixi com frequência. Escolha comidas leves como saladas, verduras, macarrão com molhos leves e pouca carne, evitando gorduras. Aumente a umidade do ar, usando um umidificador ou então pendure uma toalha umedecida na cadeira na hora de dormir.

É esperado um arrefecimento na  seca com a chuva que caiu na região nesta madrugada (31) e que foi mais intensa e duradoura. Para muitos antigos moradores, desacostumados com a inconstância do tempo,  “a chuva da manga”, a primeira grande chuva do ano. De fato, a paisagem na capital Porto Velho, já amanheceu diferente.


4 Comentários

Arquivado em Delírio Cotidiano

Volkswagen Gol (39) (via CARROS ÓRFÃOS)

Volkswagen Gol (39) Porto Velho, Rondônia. Contribuição de Beto Bertagna e JLZ Barcelos. Um órfão por hora, inclusive de madrugada, para recuperar o fim de semana! Quem acompanha? Precisa de fôlego… =) —————————————————————– … Read More

via CARROS ÓRFÃOS

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

+ Lista Telefônica (via Santolouco)

Mais uns rabiscos com nanquim e corretivo sobre lista telefônica. … Read More

via Santolouco

Deixe um comentário

Arquivado em Reblog