Arquivo do dia: 07/06/2010

Melissinha só para homens

Vocês já viram as melissas para homens? O que se sabe até agora é que a Melissa pra rapazes ganhou até nome próprio (M:Zero) e deve chegar em breve ao mercado em 2 modelos: Oxford e Mocassim.

O material é o mesmo (e até o cheiro!), e existem versões flocadas.

Ao que tudo indica, agora com nome próprio, a Melissa de homem – quer dizer, a M:Zero – deve receber um investimento grande de lançamento. Rapeizes da Calçada da Fama, já dizia uma grande propaganda da Mercedez-Benz nos anos 70: O que é  bom já nasce diesel… O que tem a ver uma coisa com a outra ? Sei lá. Vou testar a versão flocada. Ui

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Copa do Mundo prolifera ameaças virtuais

A popularidade da seleção brasileira inspira cibercriminosos a desenvolverem links maliciosos e provocarem ataques virtuais. De acordo com a McAfee, Inc.  os pesquisadores  identificaram spam com a imagem do técnico Dunga que traz uma ameaça do tipo cavalo de Tróia, que, uma vez instalado, permite o acesso de desconhecidos ao computador infectado.
O spam contém uma imagem que parece ter sido retirada de um portal de noticias legítimo no Brasil (hackers costumam utilizar nomes de empresas legítimas para criação das ameaças). O texto é ilustrado com uma imagem do Dunga, que aparece com um hematoma no olho esquerdo, pois ele teria sido agredido por torcedores que queriam a convocação dos jogadores Neymar e Ganso para a Seleção Brasileira de Futebol. Ao lado da foto, um boxe retangular convida o internauta a conferir as fotos do possível incidente. Nesse link de acesso para as supostas matéria e imagens está o software de invasão (cavalo de Tróia) que, após o clique, infectará o computador do internauta. Ao clicar o boxe, o usuário é direcionado para o endereço na Web: hxxp://ml210-202-198-66.vdslpro.static.apol.com.tw/images/index.asp? Esta página o redirecionará para outra que provavelmente estará “hackeada”, nesse caso indicada como sendo do Governo da Malásia (no link está indicado o domínio .GOV.MY , cuja origem é da Malásia). Nessa página o internauta recebe o arquivo denominado agressao_dunga.exe, o qual teria as imagens da agressão.  No entanto, trata-se de um cavalo de Tróia bancário, detectado pelo McAfee Labs como PWS-Banker.gen.ad  (uma variante do PWS-Banker), que ficará  instalado na máquina do usuário para roubar senhas bancárias. De acordo com recente relatório , o Brasil é o país que mais hospeda conteúdo mal-intencionado na América Latina. A América do Norte continua liderando como a região que mais hospeda conteúdos mal-intencionados. Os ataques pela internet focados na Web 2.0 e as ameaças em dispositivos de armazenamento portáteis tiveram grande parte das atenções no ano passado. Os cibercriminosos têm feito ataques a sites de relacionamento ou redes sociais com intenção de atingir essa nova geração de internautas que ingressa na internet. As atividades do Koobface (vírus que se autorreplica através de perfis infectados do Facebook e do MySpace) aumentaram consideravelmente no último ano.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Militarizada a repressão ao narcotráfico entre Rondônia e Bolívia

Por Nelson Townes, do NoticiaRo.com

Soldados do 6ª Batalhão do Exército de Infantaria de Selva (6º BIS), em Guajará Mirim, Rondônia, na fronteira noroeste do Brasil com a Bolívia, montaram uma barreira na saída do município, na rodovia BR 425, para inspecionar pessoas e veículos suspeitos de contrabandear narcóticos e outros ilícitos.

A barreira tem o nome de Posto de Bloqueio e Controle de Estrada e representa a primeira vez que o Exército do Brasil ostensivamente atua em Rondônia no policiamento contra o narcrotráfico na fronteira com a Bolívia.

Esta é uma tradicional e estratégica rota do narcotráfico internacional para o Sul e Sudeste do Brasil, e para a Europa e Ásia, com mais de 20 anos de uso

Essa rota foi definida nos anos 1980 pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos através de sua agência federal de repressão a drogas, a DEA (Drug Enforcement Agency), para desviar para o Brasil, Europa e Ásia o fluxo de cocaína que entrava nas cidades americanas e, naquela década, resultava em 8 milhões de jovens narcodependentes em suas ruas.

Ironicamente, a DEA é quem bancava as despesas da Polícia Federal Brasileira. Nessa época, seu chefe, delegado Romeu Tuma, disse a este repórter em Ji-Paraná (RO) que a Polícia Federal era apenas “a insígnia e o marketing do Jornal Nacional da Rede Globo de Televisão.”

Até hoje não foram desmentidos rumores de que Rondônia foi escolhida como rota do narcotáfico em comum acordo com a Polícia Federal para “facilitar” a interceptação da droga “mais adiante.”

Essas informações foram confidenciadas ao repórter por fontes diplomáticas em Brasília, e na Bolivia e por indiscrições de agentes da DEA em seu escritório em Trinidad (Bolívia), no 3º andar do hotel Ganadero.
Guajará Mirim está localizada a cerca de 300 kms a noroeste de Porto Velho,às margems do rio Mamoré, diante da cidade boliviana Guayaramerin, que pode ser alcançada numa travessia pelo rio por catraias ou botes com motor de popa (“voadeiras”), em cerca de 5 minutos.

O tráfego entre os moradores das duas cidades é intenso, feito de turistas que procuram eletro-eletrônicos, bebidas, brinquedos e perfumes – além de drogas e armas – na zona franca de Guayaramerin.

O jornal “O Mamoré”, de Guajará Mirim, publicou uma entrevista com o comandante do 6º BIS, tenente coronel do Exército do Brasil, Victor Hugo, em que ele explica que o objetivo da ação foi para “adestrar a tropa no combate aos ilícitos transfronteiriços”.

A equipe do Grupo de Operações Especiais – GOE, do 6º Batalhão da Polícia Militar de Rondônia participou da ação deste sábado.

Essa parece ser uma escalada das Forças Armadas Brasileiras na repressão ao narcotráfico na fronteira. A Força Aérea Brasileira age diariamente,com o apoio do Sivam.

Não sabemos se a barreira do 6º BIS na BR 425 será permanenre. Este site recebeu e-mails de leitores elogiando a presença dos soldados do Exército na rodovia.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Globo, a central de mentiras

Por Laerte Braga, direto do blog olhosdosertao.blogspot.com
….

A edição de sábado do Jornal Nacional – O da mentira – foi um primor de desinformação, distorção de notícias e fatos para atender a interesses do grupo e àqueles a que representa. É prática rotineira na emissora.
Num dado momento da edição, com o ar de sério, seriedade que não tem, o jornalista Alexandre Garcia, começou a falar do dossiê “supostamente” atribuído a setores da campanha de Dilma Rousseff e contra o candidato tucano José Arruda Serra.
Para não enfiar a emissora no bolo e aparentar inocência na história, repercutiu a matéria de capa da revista Veja sobre o assunto. Veja é aquela que pegou mais de 400 milhões de reais em contratos com o governo de São Paulo – José Arruda Serra – sem licitação e num favorecimento escandaloso, com, lógico, um percentual para o caixa de campanha do tucano.
É aquela também que quando não conseguiu culpar o governo Lula pela queda do avião da TAM (os defeitos eram no reverso e numa das turbinas por falta de manutenção da empresa), estampou numa capa que “a culpa foi do piloto”. O plano para privatização de aeroportos começou a dar com os burros n’água por ali. Que acha que a flotilha que foi levar ajuda humanitária a palestinos sitiados em Gaza pelo governo terrorista de Israel foi provocação. Posição também da Globo.
Quando Alexandre Garcia, ex-funcionário do Banco do Brasil, do antigo SNI e do Gabinete Militar da presidência da República, demitido por assédio sexual, governo Figueiredo, mostrou os “fatos” relacionados ao dossiê, esqueceu-se de dizer que o jornalista do ESTADO DE MINAS é ligado ao ex-governador Aécio Neves e que a imensa e esmagadora maioria da mídia já havia ligado o dossiê a Aécio.
Toda a trajetória totalitária, corrupta e venal de José Arruda Serra foi levantada a pedido do governador de Minas, então disputando a indicação presidencial com o tucano paulista, quando tomou conhecimento que Arruda Serra havia preparado um dossiê contra ele.
Uma espécie de legítima defesa, digamos assim, num ambiente fétido, o tucanato. Disputa pela chefia da quadrilha.
Para não perder a viagem, envolveram um delegado corrupto e aposentado da Polícia Federal, que fala qualquer coisa por dinheiro, atribuindo a responsabilidade a Dilma Rousseff e ao seu partido.
É prática corriqueira da Globo vem desde os tempos de Collor de Mello quando editaram o último debate entre o alagoano e Lula. Ou ainda, nos tempos da ditadura, quando omitiu a campanha para as diretas já, quando encobriu a tortura e foi parte dela na cumplicidade ativa de vender um Brasil maravilhoso quando o País estava à matroca em mãos de militares irresponsáveis e criminosos.
Ou quando foi fundada, há 45 anos, como braço de Washington com o propósito de vender a ideologia disneylândia que hoje, se sabe, chega até a prostituição (Operação Harém da Polícia Federal), seja no BBB, seja nas “moças” contratadas por laranjas para dançarem literalmente, em todos os sentidos, com direito a cachê/michê de 20 mil reais, depende da estatura dentro da emissora e do cliente.

Toda a farsa do dossiê já havia sido contada de “a” a “z” pelo jornalista Luís Nassif em seu portal. Todo o esquema de disputa entre Arruda Serra e Aécio é público e notório desde que o funcionário de Arruda Serra, Juka Kfoury, pegou Aécio no contrapé.
A Globo ignorou, deliberadamente, todos os fatos.
Um pouco antes de dar um trato mentiroso no tal dossiê, foi divulgada uma pesquisa do antigo IBOPE (hoje GLOBOPE), onde Dilma e Serra aparecem empatados na magia de fabricar números, sabe-se que a realidade é diferente, Arruda Serra está em queda e Dilma em ascensão e nem tocaram no fato que dentre os candidatos o tucano é o mais rejeitado pelos eleitores ouvidos. Mostraram na telinha, mas não comentaram.
Quando pegos na mentira e na farsa, práticas comuns e corriqueiras ali, sacam da pasta de canalhice a tal liberdade de expressão. Deve ter outro sentido para eles. Liberdade de mentir, de falsear, de enganar, de ludibriar e de contratar dançarinas para “ajudar” nos “negócios” com clientes promissores.
Tipo sabão OMO, lavou está pronto para outra.
Canalhice pura.
A legislação brasileira propicia a esse tipo de imprensa marrom, venal, que o direito de resposta seja um fato raro, por conta da lentidão do poder Judiciário, sem falar que a Globo tem em mãos muitos dos ministros de tribunais regionais e superiores e nada contra ela anda.
Praticam o crime, a rigor, de forma impune.
A Globo é isso e até as eleições de outubro fatos assim serão comuns, todos revestidos de preocupação democrática da rede em todos os seus tentáculos. Jornais, rádios e tevês.
Existe para isso e por isso. Daí porque abriga gente tipo Alexandre Garcia, William Bonner, Lúcia Hipólito, Miriam Leitão, paladinos da sem-vergonhice jornalística.
E traveste-se de defensora da democracia e dos valores cristãos e ocidentais, desde que as faturas sejam pagas em dia e os favores e ilicitudes permaneçam encobertos e protegidos às vezes, muitas vezes, pelos encarregados de zelar pela lei.
A edição de sábado foi um primor de mentira, de desrespeito ao telespectador, por isso o rotulam de idiota, apostam nessa característica e contam que enquanto a turma está ali para esperar a novela das oito, de quebra, levam a informação mentirosa.
A Globo é outro câncer, como Veja, não há nada de liberdade de expressão em seu caminho.
Só mentira e empulhação.

…..
NR: O cara é bom   vote no blog dele clicando no banner 

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Bola de supermercado, jogador de que ?

Por Rud Prado

Posso estar redondamente enganado. Mas acho que o hexa não vem. Não me xingue. Vou torcer como você. Como muitos, vou comprar cerveja para me embebedar.E, se sobrar algum – pretendo comprar muita cerveja! -,   vou comprar uma camisa amarela e umas bugigangas afins no camelô. Depois de sofrer com duas vitórias sofríveis do Brasil, vou me animar com um desempenho melhorzinho na terceira partida. E, ao passar para a próxima fase, começarei a achar que o bicho Dunga não era tão feio quanto parecia e que não estava tão errado assim. Acreditarei enfim que a gente vai.

Mas quer saber? Agora acho que vamos é pro vinagre. Melhor a pátria de chuteiras colocar a barbinha de molho. A coisa já está azedando. A nossa rapaziada tem tradição de afinar quando sai daqui achando que está com a bola toda. Mas aí alguém diz: contra números não há argumentos. O controverso Dunga é um vencedor. Seu time é vencedor. Verdade. Acho até mesmo que esse Dunga já foi “o cara”. Fundamental para dar um pouco de raça a seleção em outros tempos. Ele tem o seu valor. Joga para vencer e, muitas vezes, vence. Isso é bom. Portanto está claro: não sou anti-seleção, não sou anti-Dunga. Sou até mesmo incapaz de trocar a vitória da final de 94 pelo vexame de 82. Por isso sou isento para falar que agora o destemido Dunguinha tem contra si, contra a sua “filosofia” de impor garra ao time, um time que dá demonstração de estrelismo total.

Um time que está dando carrinho sim, mas não como expressão de raça. É apenas pirraça. Os amarelinhos estão dando carrinho na bola. E sem adversário. Ela é o adversário! Isso é um perigo. Do goleiro ao atacante todos estão a desdenhar a bolinha, ridicularizando a coitada. Mas a origem disso tudo está em outra esfera: a esfera dos interesses comerciais. A prova disso é que Kaká, que é patrocinada pela marca da bola da discórdia, beija a Jabulani em público. Puts, depois é a bola é que é de supermercado!  Essa rapaziada (e até o Dunga entrou na onda) tem que dar um tempo. Parar de ser porta-voz de marcas e pensar em marcar gols.

Não vi, por exemplo, nossos hermanos argentinos reclamarem da pelota deles. Imagine neguinho, e não estou falando dos sul-africanos, tentando explicar para imprensa mundial que foi por culpa da bola! Ora bolas. Ainda bem que eu vou comprar muita cerveja. Esse papo de bola ruim está com jeito é de água no chope.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Território da foto

Quem estiver por Sampa, vale a pena conferir a Exposição Coletiva São Paulo recebe Pernanbuco. Haverá também debates como a ” Fotografia – a fronteira entre arte e documental” , mediado por Simonetta Persichetti, Gabriel Boieras e Fernanda Prado
Abertura na próxima quarta-feira, 09 de junho,  às 19h30 hs. A exposição vai até 30 de junho, das 10 às 18 horas, no Território da Foto, Rua Mateus Grou, 580 – Pinheiros, fone (11) 2737 7392, e-mail contato@territoriodafoto.com.br .

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias