Arquivo do dia: 28/05/2010

Letra premiada de Rud Prado fatura 3º lugar na final do Palpita Brasil/ESPN

O publicitário, compositor e cantor Rud Prado, que em 2008 já havia faturado para Rondônia o Prêmio de Melhor Vídeo Clipe Nacional no Festival Guarnicê, de novo mandou bem. Colocou Rondônia na final do concurso nacional promovido pelo Canal de Esportes ESPN, e ainda garantiu o terceiro lugar. Trata-se de um  concurso aberto aos compositores para escolha da letra que vai virar hit da copa na voz da cantora Claudia Leite. Compositores de todo Brasil enviaram sua versão para a Copa  tendo como base a melodia e harmonia da música Máscaras, um grande sucesso da cantora baiana.  Rud Prado fez um clipe para apresentação de sua versão.  O vídeo postado no Canal Palpita Brasil no Youtube acabou chamando a atenção dos jurados pela criatividade, qualidade da letra, e pela excelente performance da contora rondoniense Suelen Celestino. Rud disse que o trabalho foi um grande curtição. ” Filhos, amigos e conhecidos participaram, e todo mundo se divertiu muito. Foi show de bola. Depois de postar o trabalho comecei a achar que a gente tinha chance de chegar entre os primeiros. Deu certo.”  Parabéns à Rondônia e ao Rud que vai assistir a copa numa tv full hd de 40 polegas, um dos prêmios que ganhou.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Ataque irresponsável de Serra à Bolívia pega mal e prejudica relações fronteiriças

Vamos às notas da Chancelaria Boliviana :

En La Paz, la Cancillería, a través de un comunicado oficial, calificó de “desaprensivas” las palabras que pronunció el miércoles el candidato a la presidencia de Brasil del
Partido de la Social Democracia Brasileña (PSDB) y añade que son “atribuibles, probablemente, a intencionalidades político-electorales de absoluta incumbencia de su candidatura”.

“Al tratarse de afirmaciones que no reflejan la realidad, el Ministerio de Relaciones Exteriores manifiesta que los gobiernos de Bolivia y Brasil vienen realizando acciones conjuntas en la lucha contra el flagelo del narcotráfico en el marco de la II Estrategia de Cooperación”, añade el comunicado.

Por su parte, el jefe de la Fuerza Especial de Lucha Contra el Narcotráfico (Felcn), Félix Molina, calificó de “sumamente temeraria” la acusación de Serra.

Do jornal “Los Tiempos”, de Cochabamba

NR:  A palavra usada “desaprensiva” tem o significado de inescrupulosa e imoral. Este tipo de gafe diplomática e grosseria costuma prejudicar os pequenos comerciantes dos dois lados da fronteira. A tucanagem deve estar em polvorosa. Vai aqui um comentário que apareceu em outro portal : ” Uma piada, obedecendo a analogia do gande pensador José Serra, seria justo eu pensar que sendo a Bolívia o produtor numero um da cocaina consumida no Brasil e o Governo Boliviano sendo conivente, São Paulo e seus governos (16 years by PSDB) são coniventes com o processamento da cocaina para produção do crack, estado campeão em consumo e venda do produto. Então chegamos de uma forma muito simples ao final da equação. Não votando no PSDB (ou seus aliados) resolveremos o problema do crack em São Paulo e provavelmente no Brasil. ” Comentário de José Ribas, no Portal Luis Nassif. É o que dizia o velho “deitado” : Quem fala demais dá bom dia a macaco.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Acre e Amazonas levam “Melhor Produção Amazônica” no CurtAmazônia

No julgamento das 25 produções Amazônicas, os jurados decidiram premiar duas realizações para o Prêmio “Melhor Produção Amazônica”, são elas: uma do Estado do Acre com o filme “Aos Trancos e Barrancos, documentário do diretor Ney Ricardo da Silva e outra do Amazonas, com o filme de animação “E agora o que nois ramú cume?”, do diretor Daniel Luiz Batista. Além dessa premiação, os Jurados decidiram conceder  um Prêmio Incentivo à Rondônia com o filme “Um olhar sobre o progresso”, do diretor Marivaldo Lago, da cidade de Nova Mamoré. Essa premiação concedida pelos Jurados à Rondônia visa estimular e fomentar a produção cinematográfica e do audiovisual da região.

Sinopses :

“Aos Trancos e Barrancos”, direção Ney Ricardo da Silva, 22 min, Acre, aborda o processo de assimilação e resistência dos seringueiros que migraram para a zona urbana de Rio Branco. O vídeo mostra desde a expulsão desses trabalhadores rurais das suas colocações pelos fazendeiros, até a permanência na cidade, por meio dos depoimentos daqueles que vivenciaram os conflitos, gerados pela chegada da frente capitalista, que se alastraram da floresta para a zona periférica da capital.

– “E agora o que nois ramú cume?, direção Daniel Luiz Batista, 2’:40” min, Amazonas.  Em algum lugar do nordeste, Zé é um homem comum e preguiçoso, com três filhos e uma mulher furiosa que necessitam comer. Com muita esperança Zé e o seu fiel escudeiro, o cachorro desbravam a seca em busca de alimento.

– “Um olhar sobre o progresso”, direção Marivaldo Lago, 9 min, Rondônia. Um jovem apaixonado pela Amazônia, tenta conscientizar à todos sobre a importância de preservar a natureza e os monumentos históricos da antiga Estrada de Ferro Madeira Mamoré. O jovem gosta de passear por estes monumentos. Gosta de denunciar os impactos ambientais através de fotografias, mas ele sabe que depois das construções das hidrelétricas, muitas coisas irão mudar, e muitos trechos da EFMM, se perderá para sempre.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Hoje tem samba do Ernesto…

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Índia é presa com meio quilo de cocaína e acusada de traficar a droga em seu apartamento

Por Nelson Townes, do NoticiaRo.com

Uma indígena foi presa em flagrante acusada de vender cocaína no apartamento em que mora com o marido em Porto Velho. Na moradia a Polícia apreendeu 575 g de cocaína oxidada.

A prisão ocorreu em 22 de abril de 2010. A defesa da acusada ingressou na justiça com Habeas Corpus alegando que a prisão dela era ilegal e arbitrária, pois os entorpecentes apreendidos eram de propriedade de seu companheiro, conhecido no meio policial como “Cidinho”.

O advogado disse ainda que pelo fato de sua paciente de etnia indígena a autoridade policial deveria ter observado o Estatuto do Índio (Lei n. 6.001/73), que prevê a assistência obrigatória de agente da Funai durante o interrogatório.

Justificou também que ela sofre de doença grave e que necessita de tratamento médico, razão pela qual deve ser colocada em liberdade.

Por unanimidade, os membros da 2ª Câmara Especial do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia decidiram manter a índia presa que tinha oxidada em seu apartamento. O acórdão (decisão do colegiado) foi publicado nesta segunda-feira, 25, no Diário da Justiça.

O desembargador relator Rowilson Teixeira disse que o crime de consentimento ao tráfico de drogas praticado dentro da residência da acusada precisa de mais provas, por isso não é possível conceder Habeas Corpus.

Com relação ao argumento de que a presa pertence à etnia indígena, e que por esta razão deveria ter sido assistida por um agente da Funai em seu interrogatório, observou que no art. 7º da Lei n. 6.001/73 – Estatuto do Índio há o seguinte: “Os índios e as comunidades indígenas ainda não integrados à comunhão nacional ficam sujeito ao regime tutelar estabelecido nesta Lei”.

Para ele isto não condiz com a realidade deste caso pois a índla não trouxe nenhum documento que demonstre a sua condição de silvícola não integrada à sociedade, “pelo contrário, denota-se que interage com esta, possuindo domicílio próprio, com linha de telefone instalada e fala com fluência a língua portuguesa.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Escritores lançam livros no Bebendo Cultura, neste sábado, em Cacoal

Por Paulo Henrique Silva, do Rondoniainfoco

O evento acontece neste sábado, 29, a partir das 17h, no Teatro Municipal, e contará com o lançamento de dois livros, “A Flexa” do escritor, músico e comerciante Átila Bordalho Real e “As Minas de Urucumacuã – O mapa do tesouro inca na Amazônia do escritor e oficial Bombeiro Militar Lioberto Ubirajara Caetano de Souza”.

O Bebendo Cultura é o lugar onde se encontra apresentações musicais, declamações de poesias, execução de músicas instrumentais, exposição de obras publicadas por escritores e poetas de Cacoal, dança, exposição de quadros de artistas plásticos da terra.

A Academia de Letras de Cacoal, entidade idealizadora do evento, convida a comunidade para participar da IV edição. O evento tem por objetivo descobrir novos talentos e divulgar os artistas de diversos segmentos, em especial a poesia.

” As minas de Urucumacuã” relata a história dos processos de colonização de territórios de povos que sempre se deram mediante violência, que traduziam a obstinação por riquezas na forma de ouro, prata e pedras preciosas, também por madeira, já houve lutas, por mão de obra escrava, catequização de índios e também pela busca da expansão territorial.

“A Flecha” é  um romance policial que mostra uma Cuiabá de paixões e perigos, onde um serial killer pretende dar cabo de seus inimigos de forma planejada, cruel e inesperada. É uma obra de ficção, mas com pessoas, lugares, e eventos reais.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações