Arquivo do dia: 27/05/2010

Apple dá um pau na Microsoft e vira a maior do mundo

Com um valor de mercado de US$ 222 bilhões, a Apple superou pela primeira vez a Microsoft em valor de mercado. Nesta semana, as ações da Microsoft davam a ela o valor de US$$ 219 bi. Maior que elas só a Exxon-Mobil que vale a bagatela de US$ 279 bi. Na década de 90 a Apple quase faliu .(a Microsoft chegou a investir 150 milhões de dólares para que isto não acontecesse). Com a volta do seu criador Steve Jobs e lançamentos como o I-Pad a gigante americana que pretende aterrissar na bolsa paulista, lançou novos produtos como o I-Pod, o I-Phone , aprimorou os Mac Intosh e ressurgiu das cinzas.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Gente que encontrei por ai… Roque Araújo

Na foto, a lenda viva do cinema baiano Roque Araújo brinca de fazer assistência de fotografia para mim, numa das câmeras da Iglu Produções, usada por Glauber.  Roque , 73 anos de vida e 53 anos de cinema foi fiel escudeiro de Glauber Rocha, fez de tudo um pouco nos sets de filmagem — foi motorista, eletricista e assistente de câmera. Graças à sua dedicação e amizade, foi escolhido pelo próprio, como guardião das sobras de sua última produção: “A Idade da Terra” e com esse material montou o filme-homenagem “No Tempo de Glauber”.

“O filme é uma síntese das obras e imagens antigas de Glauber Rocha como diretor e ator. Recortes de jornais e fotografias ao lado de seus amigos, parentes e personalidades do universo do cinema. O documentário reúne dados biográficos e depoimentos sobre um dos mais importantes cineastas brasileiros dos últimos tempos e expoente máximo do Cinema Novo. É a reconstrução de uma obra inacabada de Glauber Rocha, “Krysto no Terceiro Mundo”, o segundo capítulo de “A Idade da Terra”. Roque Araújo deu continuidade ao trabalho do cineasta, montando as imagens já filmadas conforme a idéia inicial de Glauber .

Encontrei Roque Araújo em Cachoeira, na Bahia, onde ele está tentando montar uma espécie de museu  que reúne objetos que vêm sendo colecionados por ele ao longo do tempo.  São câmeras, lentes, moviolas, equipamentos e outros maquinários que ajudam a contar um pouco da história da produção cinematográfica baiana e brasileira.

Salve Roque ! Vibremos todos com esta anistia a Glauber, tardia mas mais que merecida !

3 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Estado Brasileiro finalmente anistia seu cineasta genial

Perseguido e censurado nos anos da Ditadura Militar (1964-1985), o cineasta baiano Glauber Rocha, pai do Cinema Novo, autor de  Deus e o Diabo na Terra do Sol, Terra em Transe, Barravento e O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro – este último, uma das suas nove obras censuradas -, foi oficialmente anistiado em cerimônia realizada nesta quarta-feira (26/5), no Teatro Vila Velha, em Salvador.

Acusado de querer implantar o cinema político como forma de subversão, Glauber foi investigado, vigiado e perseguido pelo regime. “O filme político, através de técnicas minuciosamente estudadas, tem como fim precípuo influenciar a opinião pública, destruindo psicologicamente o espectador. Glauber Rocha e seus seguidores no Brasil querem implantar o cinema político, para com isso enganar o povo e levá-lo à agitação, à desordem política e à revolução”, dizia documento oficial do Ministério da Aeronáutica, datado de 1974.

Diante de um auditório lotado, a redenção do gênio que reinventou o modo de fazer cinema na Bahia e no Brasil levou a platéia ao choro e a efusivos aplausos, quando o presidente da Comissão de Anistia, Paulo Abraão, declarou a esperada anistia a Glauber. “Esse ato representa um reencontro da Nação com a sua própria história. Agora, é o momento de nós conhecermos a verdade relativa às atrocidades da Ditadura Militar, potencializarmos o aprendizado que ela possa nos trazer e, acima de tudo, propiciar que a sociedade brasileira conheça a sua história”, destacou.

A cerimônia, bem ao estilo de Glauber, com dança, teatro e poesia, reuniu artistas, personalidades da cena cultur al baiana, intelectuais, diretores cinematográficos, jornalistas e autoridades políticas, a exemplo do Ministro da Cultura, Juca Ferreira, que inclusive foi testemunha da família no julgamento e o governador Jaques Wagner (PT)

– “Considerar Glauber um anistiado é fazer justiça; é um reconhecimento de um momento onde houve falta de liberdade e que muitos, como Glauber, sofreram. Então, na medida em que se reconhece um, até pela sua notoriedade, é, ao mesmo tempo, o reconhecimento de muitos; e faz história”, atestou o governador.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Walter Bartolo, o senhor feudal do rio Guaporé

Toda vez que acontece a Festa do Divino eu me lembro do Walter Bartolo, esta pessoa carismática e doce que tanto contribuiu para os ribeirinhos daquela região. Bartolo foi um grande incentivador da Festa, e participou até quando pode, juntamente com o seu irmão Joaquim ( Carola ). Abração aí, Walter, saudade também do seu acordeón tocando , em Pedras Negras,  “La vie en rose”…

Festa do Divino em Remanso, Bolívia 2010 foto : R. Campos

Festa do Divino em Remanso, Bolívia 2010 foto : R. Campos

2 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Arraiá Especiá da Pestalozzi nesta sexta

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Gente que encontrei por aí … Zé do Apito, em Guajará-Mirim-RO

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

CurtAmazônia faz abertura com espetáculo regional de boi-bumbá

O Festival também incorporou à sua programação atividades sociais como a sessão de escovação feita pela Dentista Ana Júlia da Secretaria de Saúde que fez uma palestra na Tenda do Cinema pela parte da manhã, aos alunos da Escola Murilo Braga, no Bairro Baixa da União.

Na parte da noite, houve uma homenagem ao blogueiro aqui  e a dança regional vinda da fronteira de Guajará Mirim, com as dançarinas do Boi Malhadinho, que foram as principais atrações.O organizador Carlos Levy  agradeceu à todos e falou da projeção do futuro, que é levar o Festival aos rondonienses, nos 52 municípios, além de outras localidades como a Bolívia e o Peru, totalizando 69 localidades.

“O CurtAmazônia já é uma realidade em Rondônia, abrindo mais uma janela alternativa de exibição aos produtores e realizadores de filmes nesse País. Foi com muita emoção a abertura do Festival, marcando um novo tempo na cultura do audiovisual aqui em Porto Velho e com perspectivas de expansão em todo Estado de Rondônia. Oportunidade essa feita por um rondoniense e equipe unida em um só propósito que é levar à cultura do cinema brasileiro aos brasileiros” – concluiu Levy.  A programação do CurtAmazônia se estende até sábado dia 29/5 com a entrega de premiações no Auditório do SENAC.  São projetados filmes gratuitos de manhã, tarde e noite no Sesc  Esplanada de 25 e 26/5 e SENAC de 27 à 29/5, além da Mesa Redonda dia 27/5 (manhã), Oficina de Projetos Culturais e acesso ao SICONV/ 28/5 (manhã). Também há exibições de filmes  nos bairros de nossa cidade,  com o Cinema na Comunidade,  Tenda do Cinema montada exclusivamente para essa finalidade. As exibições de filmes nos bairros é sempre feita das 19 horas até às 21 horas.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias