Arquivo do dia: 06/05/2010

Teletrabalho já é uma realidade (onde a Internet não é do tempo das diligências)

Sinceridade, não quiz humilhar o quelônio comparando-o com a velocidade da Internet que oferecem em Rondônia e Acre. A tartaruga vai devagar , mas não para.

Nos últimos meses, o Rio de Janeiro e várias outras cidades do Brasil e do mundo foram castigadas por catástrofes ambientais, de dilúvios a terremotos, que em nada ficam devendo aos relatados na Bíblia. A nossa capital, Porto Velho, padece de um novo surto migratório e econômico que veio mudar o padrão de vida de todas as pessoas. O trânsito está um caos, vaga para estacionar é miragem e o centro da cidade tende a piorar o seu sistema de tráfego. (atenção: falei tráfego…) Parece que não são coisa nova esses problemas. O que há de novo é que hoje podemos minimizar os seus efeitos com certa facilidade.

Em alguns países da Europa, como Itália, Portugal e Espanha, já existe legislação específica que regulamenta a atividade de teletrabalho. No Brasil, ao contrário, a CTL ainda é restritiva ao teletrabalho e os empresários resistem em permitir que seus empregados trabalhem em casa, com medo de que eles aleguem “ficar à disposição da empresa 24h por dia”.

Para resolver esse problema e incluir o Brasil no grupo dos países avançados com relação à gestão de pessoas e à produtividade ocupacional, a sociedade civil e os governos vêm buscando fórmulas de flexibilizar as práticas de trabalho à distância. O projeto de lei 3129/04, que trata do assunto, já passou pela Câmara dos Deputados e aguarda análise do Senado Federal, mas ainda é cedo para prever quando ele entrará em pauta.

A SOBRATT (Sociedade Brasileira de Teletrabalho) dá conta de que já existem no Brasil aproximadamente 10 milhões de teletrabalhadores, um número considerável e com forte tendência de crescimento em função das dificuldades de deslocamento cada vez mais presentes nos grandes (e pequenos) centros urbanos.

De olho nessa tendência, empresas como a Nasajon Sistemas, software-house carioca com foco em sistemas contábeis, vem disponibilizando ferramentas como o ‘Conecta’, que permite ao trabalhador operar o sistema de qualquer lugar, a partir de um computador ligado à Internet. O ganho de produtividade é enorme. Em muitos casos, além de não perder tempo com traslados, o funcionário também economiza recursos físicos, já que não exige espaço, mobiliário e nem equipamentos na sede da empresa.

Não é para todos, mas cada vez mais veremos pessoas trabalhando em notebooks, ou em pequenas salas espalhadas pela cidade, como se fossem “lan houses”, para realizar as suas tarefas profissionais. Suites como o Google docs, que permite o compartilhamento de planilhas, textos e apresentações online, ou Salesforce, um ERP “sediado na nuvem” (como é chamada a web), permitem que o trabalhador esteja cada vez mais conectado independentemente da sua localização.

Isso tudo pode ser bom ou ruim – cada um tem um ponto de vista diferente -, mas que é uma tendência irreversível é um fato. E contra fatos, não há argumentos. Então, gostando ou não, prepare-se: o futuro não terá fronteiras para o trabalhador.

Já pensou evitar o Cohab-Floresta ou o Cidade Nova lotadinho ali no trevo da Campos Sales, às 8 da manhã?  Mas daí vem outra questão : dá prá confiar nos serviços de Internet da nossa cidade ? Ou você não poderá entregar aquele relatório pro chefe só porque um trator lá em Pimenta Bueno arrebentou o cabo de fibra ótica ? Dilemas, dilemas, dilemas… Bem, pelo menos é uma desculpa nova !

Por falar nisso, afim de chamar a atenção da gigante Google a prefeitura de Topeka(quem lembra as famosas calças?) , do estado ianque do Kansas publicou um decreto pedindo que todos, durante um mês, chamem o município com o apelido de Google. A cidade concorre a um prêmio que é a instalação de uma rede de banda larga de altíssima velocidade (1 GB por segundo ) para 500 mil lares, que servirá de experiência para as possibilidades de uma rede até 100 vezes mais rápida do que qualquer outra hoje disponível. Que tal uma proposta assim dos cágados tecnológicos que nos empurram uma banda larga (?) podre em nossa cidade ? Que nome a gente poderia chamar a nossa querida Porto Velho prá ter uma internet ao menos decente quanto à custo, velocidade e estabilidade, hein cara pálida ?

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

"Gente da Mesma Floresta"

Sábado, 8 de maio, a Fundação Cultural Iaripuna realiza o  I Encontro de Músicos da Amazônia intitulado “Gente da Mesma Floresta” , no Mercado Cultural.

Participam do evento os artistas, Nilson Chaves(PA), Eliakin Rufino (Roraima), Graça Gomes (Acre) Célio Cruz (Amazonas), Zé Miguel (Amapá) e Bado (Rondônia). O objetivo é estreitar a relação entre os estados da região Norte através de seus compositores, fortalecendo a cultura, incentivando a produção musical e abrindo portas para outros músicos.
Neste encontro, os artistas fazem o lançamento do DVD que também tem por título “Gente da Mesma Floresta”, projeto idealizado e desenvolvido pela Fundação Itaú Cultural com apoio da gravadora Olho de Boto, que foi lançado pela primeira vez em 2006, em São Paulo.

Nesta quinta,  6, rola  o “Seminário Composicionais da Amazônia: Pesquisa, Mercado, Identidade e Contemporaneidade”.  O Seminário será aberto às 8h no Cine Sesc Esplanada, com os palestrantes Nilson Chaves (PA), Bado (PVH), Eliakin Rufino (RR) e Silvio Santos  (PVH). À tarde, tem a participação dos músicos compositores: Célio Cruz (AM), Zé Miguel (AP), Graça Gomes (AC), Binho (PVH) e Salomão Habib (PA). Às 17h começa o debate com o público.

A Mostra Sesc Rondônia de Música Ano VII, além do Seminário, apresenta hoje à noite, no Teatro UM o show musical com os artistas, Graça Gomes (AC) Elisa Cristina (PVH), Guilherme Barros (PVH), Rudney Prado (PVH), Silvio José (PVH) e Zé Miguel (AP).

Sexta à noite (7)  tem o show  no Teatro Um do Sesc com Bado (PVH), Grego (Ji Paraná), Marcos Biesek (Ariquemes) e Banda Soda Acústica (PVH) e  a partir das 10 da noite show de encerramento  no Espaço de Conveniência do Sesc Esplanada com o show do cantor paraense Nilson Chaves.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

“Gente da Mesma Floresta”

Sábado, 8 de maio, a Fundação Cultural Iaripuna realiza o  I Encontro de Músicos da Amazônia intitulado “Gente da Mesma Floresta” , no Mercado Cultural.

Participam do evento os artistas, Nilson Chaves(PA), Eliakin Rufino (Roraima), Graça Gomes (Acre) Célio Cruz (Amazonas), Zé Miguel (Amapá) e Bado (Rondônia). O objetivo é estreitar a relação entre os estados da região Norte através de seus compositores, fortalecendo a cultura, incentivando a produção musical e abrindo portas para outros músicos.
Neste encontro, os artistas fazem o lançamento do DVD que também tem por título “Gente da Mesma Floresta”, projeto idealizado e desenvolvido pela Fundação Itaú Cultural com apoio da gravadora Olho de Boto, que foi lançado pela primeira vez em 2006, em São Paulo.

Nesta quinta,  6, rola  o “Seminário Composicionais da Amazônia: Pesquisa, Mercado, Identidade e Contemporaneidade”.  O Seminário será aberto às 8h no Cine Sesc Esplanada, com os palestrantes Nilson Chaves (PA), Bado (PVH), Eliakin Rufino (RR) e Silvio Santos  (PVH). À tarde, tem a participação dos músicos compositores: Célio Cruz (AM), Zé Miguel (AP), Graça Gomes (AC), Binho (PVH) e Salomão Habib (PA). Às 17h começa o debate com o público.

A Mostra Sesc Rondônia de Música Ano VII, além do Seminário, apresenta hoje à noite, no Teatro UM o show musical com os artistas, Graça Gomes (AC) Elisa Cristina (PVH), Guilherme Barros (PVH), Rudney Prado (PVH), Silvio José (PVH) e Zé Miguel (AP).

Sexta à noite (7)  tem o show  no Teatro Um do Sesc com Bado (PVH), Grego (Ji Paraná), Marcos Biesek (Ariquemes) e Banda Soda Acústica (PVH) e  a partir das 10 da noite show de encerramento  no Espaço de Conveniência do Sesc Esplanada com o show do cantor paraense Nilson Chaves.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Prêmio destaca práticas pedagógicas que valorizem a diversidade racial

Já se iniciaram  as inscrições para a 5ª edição do prêmio “Educar para a Igualdade Racial”. A iniciativa visa apoiar práticas pedagógicas e de gestão escolar preocupadas com a valorização da diversidade, como estratégia para erradicação do racismo e do preconceito existentes na sociedade brasileira.

Os interessados devem se inscrever até o dia 7 de maio pelo site http://www.ceert.org.br ou pelos correios, enviando a ficha de inscrição para o Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades – CEERT (Rua Duarte de Azevedo, nº 737, bairro Santana, CEP 02036-022, São Paulo-SP). O prêmio tem abrangência nacional e é destinado a professoras, professores e representantes da gestão escolar, nas modalidades educação infantil, ensino fundamental e ensino médio.

Desde 2002, um acervo de mais de mil práticas escolares foi desenvolvido nas cinco regiões do país e em cada um dos 27 estados da federação. Por isso, o prêmio é reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) como uma das principais ações realizadas pela sociedade civil de promoção da igualdade étnico-racial. É também uma das principais ações de implementação da Lei 10.639/03, que alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), implementando o ensino da cultura africana.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Festa do Divino 2010 no Vale do Guaporé – Laranjeiras e Cafetal

O batelão conduzindo a bandeira vermelha, a Coroa, os remeiros, o encarregado da ronqueira, o capitão do mastro, o alferes da bandeira, os foliões, o mestre do violão, enfim, toda a tripulação, ancora nesta quinta-feira, dia 6 de maio em Laranjeiras, deslocando-se após até Cafetal onde permanece até o dia 8 de maio às 14 h.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações