Jornal das Moças e os ensinamentos do passado

O Jornal das Moças, uma publicação semanal do Rio de Janeiro, era distribuído por todo o Brasil, nas capitais e em algumas cidades do interior. Era anunciado como “revista semanal ilustrada”, e circulava às quartas-feiras, entre os anos de 1914 e 1965.
Inspirava-se nos magazines ilustrados ou revistas de variedades do século XIX, comentando sobre assuntos considerados, na época, como próprios das mulheres. Trazia comentários sobre moda, conselhos domésticos, divulgação de contos, poemas, piadas, notícias de cinema, curiosidades, receitas culinárias, moldes de roupas da estação, fotos da sociedade fluminense, anúncios de cosméticos, de medicamentos, de lojas especializadas em artigos femininos e infantis, partituras musicais, resenhas de filmes, sugestões de leitura.
Mas o mais interessante nesse jornal eram os ensinamentos passados às mulheres.
Veja abaixo a lista de frases retiradas do Jornal das Moças devidamente comentadas por nós.
-Não se deve irritar o homem com ciúmes e dúvidas.
– Se desconfiar da infidelidade do marido, a esposa deve redobrar seu carinho e provas de afeto.
– A desarrumação numa casa-de-banho (banheiro) desperta no marido a vontade de ir tomar banho fora de casa.
– A mulher deve fazer o marido descansar nas horas vagas. Nada de incomodá-lo com serviços domésticos.
– Se o seu marido fuma, não arranje zanga pelo simples fato de cair cinzas nos tapetes. Tenha cinzeiros espalhados por toda casa.
– A mulher deve estar ciente que dificilmente um homem pode perdoar a uma mulher que não tenha resistido a experiências pré-núpciais, mostrando que era perfeita e única, exatamente como ele a idealizara.
– É fundamental manter sempre a aparência impecável diante do marido.
Edu

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Uma resposta para “Jornal das Moças e os ensinamentos do passado

  1. Mônica

    …Betíssimo, mas o que mais me assusta é o espartilho por debaixo desta roupinha pra lá de “confortável” que a pobre criatura usa na capa da publicação. Como já diria o poeta: tudo muda e com toda razão…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s