Cernov à la carte

Não carrego as flores nuas
Que cobrem minha ausência
Nem beijo os soldados feridos
Que convalescem nos cantos da história
Matei o príncipe imbecil
Que roubou minha infância

Eu, a musa dos poetas?
Não acreditem nisso!
Sou irmã de Lúcifer, logo: a rebelde
Aquela que cria
Porque destrói
Aquela que nega á costela
Porque confia em seus próprios seios

Minha doces flores são efêmeras
Minha primavera é hostil
Com um olhar posso decepar
A cabeça de um pênis
Pois é sem a métrica
Que julgo os valores..

1 comentário

Arquivado em Poesya La Na´vi vá

Uma resposta para “Cernov à la carte

  1. batata doce, coxa de galinha, música e no final, pescaria…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s