Arquivo do mês: março 2010

Juan Carlos Crespo, um intelectual boliviano

O historiador Juan Carlos Crespo Avaroma é um dos maiores conhecedores da realidade boliviana, em especial, a que cerca a fronteira Brasil (Rondônia) com o Beni( Bolívia). Recentemente, pronunciou uma festejada  conferência ” Herência del tupi-guarani en el linguage amazônico” . É também autor de
” Decálogo de la geohistoria guayaramirense : una propuesta de identidad geológica, histórica y cultural mojo-amazónica para nuestro municipio” em que aborda questões referentes à região de Guayara-Merin, Beni, Bolivia.
Crespo é um grande batalhador da cultura amazônica e da fraternidade entre os povos ameríndios. Tempos atrás, tive a oportunidade de conhecê-lo e de certa forma, ajudá-lo num episódio dos transmissores , na formação da TV Católica, uma experiência inovadora e revolucionária nas terras do Gal. Pando (ou do seringalista Nicolas Suarez ).

Estivemos juntos quando conhecemos o acervo do pesquisador Antonio Simoni,  que preserva uma parte do conhecimento arqueológico da fronteira.

O fato é que Juan Carlos é um intelectual respeitado pela sua comunidade e sua visão sobre as relações entre Brasil (Rondônia) e Bolívia ( Beni) devem soar como reveladoras pois representam em grande parte o pensamento boliviano.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Cientista americano defende esforço global para preservar a Amazônia

O cientista Thomas Lovejoy, um dos mais respeitados especialistas em biodiversidade e presidente do Centro Heinz de Ciências, Economia e Meio Ambiente, defendeu, durante o Fórum Internacional de Sustentabilidade, evento promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais – em Manaus, um “esforço planetário” para restaurar os ecossistemas do mundo, em particular os da floresta amazônica, tema do encontro que aconteceu neste final de semana.

Lovejoy, que já foi vice-presidente do WWF nos Estados Unidos, alertou para a possibilidade de algumas regiões da floresta amazônica, dentro e fora do Brasil, desaparecerem em alguns anos por causa das intervenções humanas.

Ele chamou especial atenção para as regiões Leste e Sul da floresta, que atualmente são as mais afetadas pelas intervenções humanas. Neste aspecto, o cientista criticou projetos de desenvolvimento que acabam interferindo no equilíbrio do ecossistema, como a construção de rodovias e de hidrelétricas. “Rodovias causam um impacto pesadíssimo e muito sério”, explicou Lovejoy.

“Estradas induzem ao desmatamento. Elas precisam ser substituídas por trilhos ou por hidrovias. Isso porque, afirmou, a floresta é responsável pelo equilíbrio do clima. Ele citou como exemplo ações de desmatamento realizadas em Rondônia, com a utilização de fogo, que acabou gerando um longo período de seca na região. Por isso, ele alertou também para a questão do desmatamento parcial, ou seja, derrubada de fragmentos relativamente isolados da floresta.

Segundo Lovejoy, há impacto na biodiversidade. “Uma área de um quilômetro quadrado perde metade das espécies de pássaros em 15 anos que vivem sob o dossel da floresta.”

Com informações de Maxpress/CDN

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Água de torneira X Água de garrafa

Ela fez um vídeo que ficou famoso na net chamado ” A História das Coisas ” , em inglês The Story of Sfuff , que tratava do nosso consumismo exagerado e do que isto representava para o planeta. Seu nome é Annie Leonard e agora, ela traz à tona outra discussão sobre “A História da Água Engarrafada” .

Como eu sou do tempo em que se dava banho em cachorro com mangueira e sabão, achei bastante interessante. Tá certo que morava em Porto Alegre, que já tinha uma certa qualidade de vida, mas depois da pelada do futebol a gente bebia água era na torneira mesmo.

No vídeo “The Story of Bottled Water” é mostrado que as garrafas pet de água, só as de água, consumidas pelos americanos em uma semana fazem o caminho completo de 5 voltas ao redor da terra.  Entre outras cositas mais. Quem mora na região norte e  já viu um igarapé entupido de garrafas pet ( e aí entra também os refrigerantes) vazando para todos os lados já percebeu o dano que eles causam. E isto é cultural !  Já vi gente que mora ao lado do igarapé jogando garrafa pet dentro !

Bem as perguntas que ficam : Será que a água da garrafinha é tão limpa assim prá justificar o preço que pagamos ? E ,às vezes, a água nem mineral é , só é gaseificada.

Será que a água da torneira, tão severamente tratada pelas Companhias de Águas como a CAERD não dá prá beber ?

Estamos tentando providenciar a tradução deste vídeo que é bem educativo, para a felicidade do planeta e dos nossos descendentes.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Cosas de la banda – 2

Festa de Independência da Bolívia, 6 de agosto, noite

Deixe um comentário

Arquivado em Cosas de La Banda

Ao norte – 10

Avenida de Buritis/RO ano 2000

Deixe um comentário

Arquivado em Ao Norte

Ao norte – 10

Avenida de Buritis/RO ano 2000

Deixe um comentário

Arquivado em Ao Norte

Livros imprescindíveis para entender Rondônia – 7 – O Outro Braço da Cruz

” O livro do Coronel Paulo Nunes Leal, ex-governador de Rondônia retrata o nascimento, nos idos dos anos 60, da rodovia BR-29, hoje BR-364. O que representou a estrada para a região pode ser bem avaliado pelo progresso atual de Rondônia, que passou de um inexpressivo Território Federal, com escassos 100.000 habitantes, ao atual Estado pujante.”(palavras do então governador de Rondônia, Jorge Teixeira de Oliveira,o “Teixeirão” no lançamento do livro que “coincidiu” com a inauguração do asfaltamento da BR-364.

Na contra-capa o autor reproduz um trecho de conversa com o então Presidente Juscelino Kubitschek.

– “Sr. Presidente, o sr. já ligou Brasília a Belém e a Porto Alegre e a está ligando à Fortaleza. Por que não completa o outro braço da cruz, construindo a Rodovia Brasília-Acre?

-Uai, Paulo. E pode?

-Pode, Presidente, mas é negócio para homem.

-então vai sair. ”

Anúncio do Ministério dos Transportes veiculado em jornais e revistas da época

Deixe um comentário

Arquivado em Livros para entender RO