Arquivo do mês: janeiro 2010

Avatar

Todos os seres estão interligados e quando a Natureza sofre, sofremos junto. Talvez, por dizer isso em 3D digitais, neste planeta doente, “Avatar” tenha tanto sucesso.

Por Nelson Townes, do NoticiaRo.com

Como explicar o sucesso global do filme “Avatar” num planeta em transe como o de hoje? O gelo se estende dos países da Europa até à China, e no hemisfério Sul um país continental como o Brasil é castigado por calor, chuvas e enchentes

Entre os desastres do gelo de um lado e o calor do outro, um terremoto mata mais de 150 mil pessoas em Porto Príncipe.

Simultaneamente, milhões de pessoas fazem fila para ver o filme “Avatar”, o mais caro da história cinematográfica, o maior sucesso de bilheteria de todos os tempos, neste momento em que os desastres se multiplicam e os terroristas suicidas ajudam a espalhar a morte e a angústia pelo planeta..

A explicação de que o sucesso se deve ao renascimento digital dos filmes em 3D, permitindo uma experiência muito melhor para o público, não parece suficiente.

Mark Zoradi, ex-presidente da Walt Disney Motion Pictures Group, tem uma explicação que nos parece melhor ao dizer que Avatar é um sucesso porque “dá aos cinéfilos algo que não se pode experimentar em casa;”

Aliás, já se escreveu que a diferença entre um filme no cinema, dos exibidos nas telas de TV, e computadores, é o ambiente da sala dos cinemas, que quando escurece e a imagem se projeta na grande tela, nos transporta para um sonho acordado.

É por isso que os cinemas de fato não morreram, apenas estão atualizando técnicas antigas – meninos, o cinema em 3D é do tempo de seus bisavós – para vencer a concorrência dos DVD´s e dos filmes pela TV, ainda que a cabo.

O filme Avatar é um sucesso quando diz ao espectador que todos os seres estão interligados, e que a Natureza somos nós e quando a Natureza sofre, sofremos juntos.

Não é um discurso conservacionista. É mais um despertar da consciência para o que os hindus acreditam há milênios: a existência de um espírito supremo cósmico.

O hinduísmo ajuda o indivíduo a experimentar a divindade que está em todas as partes, e realizar a verdadeira natureza de seu Ser. Para o hinduísmo os avatares são manifestações corporais da divindade suprema.

Nada diferente do que milênios depois o cristianismo pregaria quando diz que devemos amar amar a Deus sobre todas as coisas e nosso semelhante como a nós mesmos.

Um filme tem sucesso quando nos identificamos com os personagens ou neles reconhecemos os fantasmas e as feras interiores que nos assustam dos quais nos afastamos, pelo menos enquanto dura o filme.

No caso do avatar, milhões de espectadores parecem estar se identificando como tal. Entendendo que todos estamos interligados com tudo o que existe e isso nos ajuda a viver melhor e enfrentar os desafios da existência.

“Antes de ser afligido, andava errado, mas agora guardo a Tua palavra… Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os Teus decretos” (Salmo 119:67,71).

(Nota da Redação : Os americanos não aprendem mesmo, ou aprenderam bem demais. Se nos filmes da época da guerra fria, o bandido sempre era russo, em Avatar, numa cena em que o “voluntário” compara a situação de um local horrendo para viver ele cita sem pestanejar : Venezuela ! Quááá. E acho que daqui a 20 anos Avatar vai ser uma peça de museu, porque os cientistas já conseguiram até dar nó em feixe de luz ! http://tinyurl.com/y897ykw )

5 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Governo brasileiro oficializa uso religioso da ayahuasca

A resolução, publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira(28), veta o comércio e propagandas do composto, que só poderá ser cultivado e transportado para fins religiosos e não lucrativos.

A norma coíbe o uso do chá com outras drogas e em eventos turísticos e  recomenda que as entidades façam uma entrevista com aqueles que forem ingerir o chá pela primeira vez e evitem seu uso por pessoas com transtornos mentais e por usuários de outras drogas.

Em 1985, a bebida chegou a ser proibida no País, mas liberada dois anos depois, quando estudos demonstraram a importância de seu uso religioso.

No início dos anos 90 houve nova tentativa de proibir o chá, também refutada. Em 2002, mais uma vez houve denúncias de mau uso do chá, o que gerou os estudos mais recentes.

Durante a primeira gestão do Governo Lula, as religiões ayahuasqueiras do Santo Daime, Barquinha e União do Vegetal (UDV) do Acre entregaram, através da Madrinha Peregrina Gomes Serra, dignitária do Centro de Iluminação Cristã Luz Universal – Alto Santo, centro daimista fundado por Irineu Raimundo Serra em Rio Branco /AC  um pedido ao então Ministro da Cultura, Gilberto Gil para que o Santo Daime fosse registrado como Patrimônio Imaterial da Cultura Brasileira, o  que está sendo analisado pelo IPHAN.

O governo peruano também recentemente publicou no Diário Oficial do País, o El Peruano , através do Presidente do Instituto Nacional de Cultura, Javier Ugaz Villacorta o reconhecimento do ritual da ayahuasca como patrimônio cultural do Peru.

Ayahuasca é um nome indígena, de origem inca, usado para denominar uma das mais antigas bebidas sacramentais produzida a partir da fervura de duas plantas nativas da floresta amazônica: o cipó Banisteriopsis caapi (douradinho, jagube, mariri) e folhas do arbusto Psychotria viridis (chacrona).

Seu princípio ativo é o dimetiltriptamina (substância alucinógena) e seu uso se expandiu pela América do Sul e outras partes do mundo com o crescimento de movimentos religiosos organizados.

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Adazir & Edgley

Edgley(violão) & Adazir em ação. MPB em alta. Cortesia da foto : Silvio Pullig, ex-Nômades.

Pode até chover canivete, mas  os caras vão se encontrar de novo prá fazer uma MPB de primeira,  afinal eles estão juntos desde 1990.

Um sózinho já é o Adazir & Edgley.

Ora, o Kleiton não é o Kleiton. O Kleiton é o Kleiton & Kledir.

Mas é melhor ainda quando estão em dupla. Os mais novatos em PVH ainda não sabem direito qual é o Adazir e qual é o Edgley.  Matemos então a charada !

Adazir é fã de Caetano e Edgley se liga mais em João Bosco, talvez do tempo da parceria com Aldir Blanc.

Como nem tudo é perfeito , Adazir é flamenguista. Edgley, mais sensato, é vascaíno. De qualquer forma são democráticos e aceitaram colocar um adesivo do Exército Gremista na percussão multimídia do Adazir.

E topam tocar o que pedem os fãs, fazocas, semi-bêbados, semi-analfabetos, artistas frustrados, chatos de plantão, gente bacana, bonita e sincera e outras figuras da riquíssima fauna que frequenta as noites portovelhenses. Já tocaram junto com o Marão num projeto bem bacana que provou que baixo também pode entrar em música de barzinho. (Por falar nisto, cadê o Marão, um cara daquele tamanho é meio difícil de se esconder !).

Sábado eles alegram a nossa conversa fiada no Canteiros Bar, do Ruy que, enquanto isto, vai nos empurrando macaxeira frita (êpa!!) e Antárctica gelada goela abaixo.  A noite segue e eles desfiam um repertório prá lá de variado, de Zéca Baleiro até  Engenheiros do Haway, que certa vez disseram que primeiro resolveram fazer a banda e depois aprenderam a tocar. Mas bem, isto já é outra história.

Bom, quem quiser contratar este pessoal gente fina prá uma festa na empresa ou na sua casa, é só ligar no (69)9231 1811,  8467 7270 ou  9218 1796. Vai atender certamente o Adazir & Edgley, mas faça de conta que é uma pessoa só que tá no telefone e converse normalmente.

Tenho dito !

(Ops. Quem quiser me seguir no twitter :  http://twitter.com/betobertagna )

8 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Livros imprescindíveis para entender Rondônia – 2

Livro do Ten.Cel Amilcar Botelho de Magalhães foi publicado pela Livraria do Globo, de Porto Alegre em 1930 e reúne artigos escritos para o Diário de Notícias (hoje extinto) e o Correio do Povo, comprado pelo Grupo Record, empresa de comunicação controlada pela Igreja Universal do Reino de Deus

Deixe um comentário

Arquivado em Livros para entender RO

Citação de Shakespeare que Holden Caulfield acharia 'cem por cento': 'nós só ficamos em ordem quando estamos fora de ordem'."

” Se querem mesmo ouvir o que aconteceu, a primeira coisa que vão querer saber é onde eu nasci, como passei a porcaria da minha infância, o que meus pais faziam antes que eu nascesse, e toda essa lenga-lenga tipo David Copperfield, mas, para dizer a verdade, não estou com vontade de falar sobre isso. Em primeiro lugar, esse negócio me chateia e, além disso, meus pais teriam um troço se eu contasse qualquer coisa íntima sobre eles. São um bocado sensíveis a esse tipo de coisa, principalmente meu pai. Não é que eles sejam ruins – não é isso que estou dizendo – mas são sensíveis pra burro.

O escritor J. D. Salinger, de 91 anos, autor do clássico O Apanhador no Campo de Centeio, morreu nesta quinta-feira de causas naturais em sua casa nos Estados Unidos onde vivia isolado há anos por vontade própria, informam os jornais The New York Times e The Washington Post.

O romance “O apanhador no campo de centeio”, com seu imortal protagonista – o rebelde Holden Caulfield -, foi lançado em 1951 durante o período da Guerra Fria. A história de alienação juvenil e perda da inocência foi adotada por adolescentes em todo o mundo e ainda vende cerca de 250 mil cópias por ano. No total, já são mais de 60 milhões de exemplares em diversas línguas.

“Amo escrever”, disse Salinger em 1974, em uma de suas raras concessões ao jornal “The New York Times”. “Mas, só escrevo para mim mesmo e para o meu prazer”. Ele não publicou nenhum trabalho literário com sua assinatura desde o conto “Hapworth 16, 1924” em junho de 1965. E não concedia entrevistas desde 1980 quando aumentou a sua devoção pelo budismo zen.

É um assunto que dificilmente será discutido nas rodas intelectuais porto-velhenses, talvez porque seja carnaval, porque talvez poucos leram Salinger, porque talvez Rondônia não produza centeio ou talvez porque as vicissitudes do cotidiano e a guerra diuturna contra a boçalidade tenham endurecido nossa alma.  Com   informações do Correio do Povo e Twitter.

2 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Citação de Shakespeare que Holden Caulfield acharia ‘cem por cento’: ‘nós só ficamos em ordem quando estamos fora de ordem’.”

” Se querem mesmo ouvir o que aconteceu, a primeira coisa que vão querer saber é onde eu nasci, como passei a porcaria da minha infância, o que meus pais faziam antes que eu nascesse, e toda essa lenga-lenga tipo David Copperfield, mas, para dizer a verdade, não estou com vontade de falar sobre isso. Em primeiro lugar, esse negócio me chateia e, além disso, meus pais teriam um troço se eu contasse qualquer coisa íntima sobre eles. São um bocado sensíveis a esse tipo de coisa, principalmente meu pai. Não é que eles sejam ruins – não é isso que estou dizendo – mas são sensíveis pra burro.

O escritor J. D. Salinger, de 91 anos, autor do clássico O Apanhador no Campo de Centeio, morreu nesta quinta-feira de causas naturais em sua casa nos Estados Unidos onde vivia isolado há anos por vontade própria, informam os jornais The New York Times e The Washington Post.

O romance “O apanhador no campo de centeio”, com seu imortal protagonista – o rebelde Holden Caulfield -, foi lançado em 1951 durante o período da Guerra Fria. A história de alienação juvenil e perda da inocência foi adotada por adolescentes em todo o mundo e ainda vende cerca de 250 mil cópias por ano. No total, já são mais de 60 milhões de exemplares em diversas línguas.

“Amo escrever”, disse Salinger em 1974, em uma de suas raras concessões ao jornal “The New York Times”. “Mas, só escrevo para mim mesmo e para o meu prazer”. Ele não publicou nenhum trabalho literário com sua assinatura desde o conto “Hapworth 16, 1924” em junho de 1965. E não concedia entrevistas desde 1980 quando aumentou a sua devoção pelo budismo zen.

É um assunto que dificilmente será discutido nas rodas intelectuais porto-velhenses, talvez porque seja carnaval, porque talvez poucos leram Salinger, porque talvez Rondônia não produza centeio ou talvez porque as vicissitudes do cotidiano e a guerra diuturna contra a boçalidade tenham endurecido nossa alma.  Com   informações do Correio do Povo e Twitter.

2 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Umbandaime

Umbanda + Santo Daime : E agora, José ?

Uma leitora do site comentou  :  ” Cada um sabe onde aperta o seu calo, o encontro com o divino pode estar em qualquer lugar! |Por que não o sincretismo de várias facetas espirituais para acalmar a alma de quem busca paz?!”

O Templo Sagrado Jesus de Nazaré São João Batista continua o trabalho de Umbandaime, na linha  espiritual da Umbanda com a consagração do Santo Daime,  destinado a limpeza, desobsessão, cura física e espiritual.

A próxima sessão será neste domingo, dia 31 de janeiro, às 14:30 hs, com o hinário Ponto de Gira e a farda é roupa branca.  O templo fica na Rua Brazópolis, 200 no bairro Saúde, próximo ao metrô São Judas em São Paulo.

Em Porto Velho temos vários templos de umbanda, uma religião formada dentro da cultura religiosa brasileira que sincretiza elementos  de outras religiões como o catolicismo, o espiritismo e as religiões afro-brasileiras.

A Ayahuasca,a bebida sacramental produzida a partir da decocção do cipó jagube ou mariri ( Banisteriopsis caapi )com as folhas do arbusto chacrona (Psychotria viridis) , é utilizada em Porto Velho/RO por diversas entidades como a UDV – União do Vegetal ,  o CECLU – Centro Eclético de Correntes da Luz Universal – Santo Daime fundado nos anos 60, a Tribu´s Di Judha, o Elixir do Novo Milênio  e outras linhas independentes.  No Acre seguem o ritual da ayahuasca o Alto Santo, criado pelo mestre Raimundo Irineu Serra , o CEFLURIS, a Rainha do Mar e  a Barquinha e outras dissidências e convergências.

Agora, é esperar prá ver o posicionamento das  entidades ayahuasqueiras e umbandistas sobre o assunto.

Sincretismo na floresta e na metrópole

6 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Prévia da Copa 2010

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Um gato na janela

Janela de um casarão remanescente da época áurea da borracha em Fortaleza do Abunã/RO e um gato.

Vejo a notícia, feliz, que finalmente será reeditado em português brasileiro o livro “O Mestre e Margarida”, de Mikhail Bulgakov.

Escrito às escondidas visto que tinha Stalin bafejando na sua nuca(e isto não é pouco comparado a nossos aprendizes de tiranos-tupiniquins-regionalistas e seus miquinhos amestrados ) o livro ficou censurado por muitas décadas. Diz a lenda, que a obra só se salvou porque a KGB tinha uma cópia, visto que Bulgakov, num acesso de loucura teria queimado os originais.

É o verdadeiro Fausto, travestido de Margarida, reeditando uma vida prá sempre, enquanto Moscou vira de pernas para o ar , ardendo em chamas com este diabo luxuriante, engraçado, gozador, fascinante  e poeta.

Teria tudo a ver com esta paranóica Porto Velho delirante dos dias de hoje, em que mais um ciclo econômico e social vem varrendo tudo feito um furacão?

” tudo prosegue normal até onde eu sei,
enquanto isso sera melhor cerveja que vem
leva essa traz mais uma põe na conta!
tô sem dinheiro tá valendo eu tô a pampa! ” Xis

Por que o gato ?  Leiam o livro e decifrarão…

Não fale mau di mim por que poço te encontrá na próssima iskina.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

A Frase de 2010 (por enquanto…)

Centro da América

Depois dos 50, todo salto é mortal…

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Mais vale um byte ou um por do sol ?

Sinta mais o mundo ! E leia menos !  Ou melhor,  qualifique sua informação.

É muita porcaria , é muita coisa mal escrita, mal articulada, que não vai lhe servir prá nada ! Falta conteúdo, falta vivência e às vezes um pouquinho de educação.  Ética é uma palavra distante congelada dentro de um iceberg.

Faça um teste com um saite destes de fofocas políticas, esprema bastante e veja o que sobra de realmente relevante. Te aconselho, irmão, a lavar as mãos com creolina, no caso despoluir os olhos,coração e mente com 1/2 hora de um belo por do sol ou com a lua que insiste no meio das nuvens.

Até este bravo www.betobertagna.com se vc achar que não lhe traz nada, nenhuma emoção mais recôndita, nenhuma informação importante, mande-o para as calendas do inferno, faça-o queimar na mármore fervente do belzebu.

É uma profusão de endereços virtuais, senhas, perfis, links, informações digitais de qualidade, outras tão idiotas parecendo escritas por quem acabou de sair do Mobral ( quá…. esta é antiga !).

O You Tube, o Orkut, o Facebook e o Twitter talvez não passem de modismos efêmeros, como tantos outros já houveram e haverão. ( Lembrei disto, há pouco, do modismo do rádio-amador Faixa Cidadão, o famoso PX da década de 80, talvez o nosso Twitter de hoje.)

Todo mundo perde tempo e , muitas vezes, fica com a cabeça embaralhada com o excesso de informação, perde o foco no trabalho, perde o foco no carinho, perde o foco na paixão, no amor, na família…

Não quer ficar de fora dos bate-papos virtuais mas mal cumprimenta a mulher quando chega em casa, isto se ainda tem mulher, se os filhos não embarcaram no mesmo delírio da loucura cotidiana.

Fazer um site é relativamente simples. Todo jornal  está direcionado para algum grupo político. Isto é normal, os grandes grupos editoriais explicitam sua posição em longos editoriais e os seguem quem quiser.  E no leque multifacetado do arco-íris midiático infelizmente também existe a cor marrom. Nesta coloração que lembra outras coisas, o $ite fala bem, ou então o $ite fala mal e isto pode mudar em questão de horas, quase sempre o tempo que demora a compensação bancária ou o depósito on-line.

Por isto, crie a sua meta , não seja refém dos outros e questione sempre as entrelinhas, ou até mesmo a veracidade das notícias. Em Rondônia temos excelentes profissionais, ótimos jornalistas que já labutaram  nos grandes jornais de SP, RJ, PR, RS e que se equiparam aos melhores do país. O problema é que a cultura digital tá virando um delicioso inferno, com mil fóruns, workshops, zilhões de blogs, redes sociais que parecem reunião de diretoria das empresas, onde vale mais fazer uma participação inteligente prá marcar o seu espaço como um cachorro mija no pneu ou no poste.

Sinceramente, blogueiros, tuiteiros, orkutzeiros ou o raio que o parta, acho que ainda  mais vale a boa idéia na cabeça e isto é uma coisa cada vez mais rara.

E se não for cineasta e não tiver a câmera na mão, como diria Glauber, vá olhar o por do sol do rio Madeira com olhos infantis ao lado da pessoa amada. Ou o Guaporé, o Mamoré, ou qualquer igarapé…

Só não sugiro jogar os notebooks, netbooks, laptops, Iphones e o escambau ( cheio de baterias de litio e niquel-cadmio, venenosas) no leito do rio prá não poluir ainda mais o nosso frágil ecossistema que ainda vai nos cobrar todas as nossas irresponsabilidades reais e virtuais.

Amemos, meninos e meninas, amemos o por do sol que ainda nos resta e nos recarrega as baterias mais do que qualquer tuitada propositalmente espirituosa…

Prefiro ainda um por do sol tímido e autêntico, recheado de nuvens insistentes e teimosas que deram prá infestar o céu de Rondônia  do que uma centena de bytes frios e teclados quase sempre por um aspirante a robô, escondido atrás de um monitor e se achando o dono da última Coca-Cola do deserto !

Quáááá !  Tenho dito !

(Crônica escrita ontem, num velho guardanapo,  por este modesto aspirante a blogueiro na Casa da Moeda, na Rua da Moeda no Recife/PE, escutando frevo autêntico tocado por uma orquestra de metais  e degustando uma , pasmem, “Norteña” uruguaia de litro, logo depois de ter dado um abraço caloroso no grande escritor Alberto Lins Caldas e conhecido a Cyane.  Isto que é globalização, cáspite ! E chega porque é a hora do galo.

12 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Um forte para ser respeitado II

O trabalho minucioso dos arqueólogos, para identificar o local em que cada objeto é encontrado. Por exigência do IPHAN os arqueólogos dividem o sítio em quadrantes de 2 m por 2 metros.

O material recolhido,que ficará sob a guarda do Exército Brasileiro mostra evidência da integração dos militares com a população da região. Foram encontradas “louças europeias misturadas com cerâmicas nativas”, segundo relata Fernando Marques, um dos arqueólogos contratados pelo IPHAN para desenvolver o estudo na secular fortaleza situada em Costa Marques, a cerca de 800 km de Porto Velho, na fronteira de Rondônia com a Bolívia.

“Dentro do espaço do forte havia capela, hospital, boticário, costureiros. E, ao lado dele, foram surgindo comunidades”, descreve o arqueólogo. Segundo ele, suas instalações permitiam dar abrigo a cem soldados.

Já foram encontradas mais de 40.000 peças como botões, insígnias militares, restos de faiança portuguesa, garrafas de cerveja e outros objetos.

O estudo continua em 2010, quando será pesquisada a casa do capitão-general e a capela.

É a primeira vez que a admirável fortaleza que empresta seu símbolo para o brazão de Rondônia é pesquisada e tem uma intervenção protecionista desta forma.

Sou o Superintendente do IPHAN em Rondônia e acredito firmemente que é o Patrimônio Cultural Brasileiro que está em jogo.

Rondônia ganha um salto gigantesco no conhecimento da sua memória , do seu passado e da sua história.

Tenho certeza de que a sociedade científica e sua massa crítica, que não se interessa  por “diz que me disse, fofocas políticas e fuxicos” agradece.

Mais notícias e informações nos próximos posts. Tem muita coisa legal prá conhecer…

40.000 objetos já foram encontrados, num , modéstia à parte, brilhante trabalho de pesquisa científica da Superintendência do IPHAN em Rondônia.

3 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Túnel do tempo

Madeira-Mamoré revisitada.

Guarita do Tapiri Selva Hotel na Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. O hotel de selva  ficava no lago do Belmont  Este era o local de venda de pacotes para o hotel e o local de embarque e desembarque para quem se hospedava no complexo hoteleiro ecológico, que ficava a algumas horas de Porto Velho.  Ao lado, vista parcial da Sorveteria Mamoré, com suas mesas e cadeiras com vista para o rio Madeira.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Superfícies

Pedra "canga" das muralhas seculares do Real Forte Príncipe da Beira, construído entre 1776 e 1783 em Costa Marques, no Vale do Guaporé.

As velhas pedras renovadas se tornam lugares de trânsito entre os fantasmas do passado e os imperativos do presente. São passagens sobre múltiplas fronteiras que separam as épocas, os grupos e as práticas (…) O certo é que as construções restauradas, já libertam a cidade de sua prisão numa univocidade imperialista. Mantêm aí (…)heterodoxias do passado. Salvaguardam um essencial da cidade, sua multiplicidade. ( Certeau, Giard & Mayol – A invenção do cotidiano )

Deixe um comentário

Arquivado em Superfícies

Livros imprescindíveis para entender Rondônia – 1

A edição brasileira do livro de Charles Gauld traz novas fotos e informações importantes sobre o idealizador de Porto Velho

Deixe um comentário

Arquivado em Livros para entender RO

Trio Parada Dura

Da esquerda para a direita, Stella Penido, B.Bertagna e Eduardo Thiellen, que prepara um filme sobre o Ten. Fernando durante as filmagens do vídeo "Oswaldo Cruz na Amazônia" Foto original p&b : Luiz Brito

Encharcados pela chuva torrencial, Stella Oswaldo Cruz Penido, bisneta do célebre cientista que esteve por estas bandas na época da construção da Madeira-Mamoré, Beto Bertagna e Eduardo Thiellen, da Casa de Oswaldo Cruz posam na parte destruída da Madeira Mamoré, no Bate Estacas.

Era a produção do documentário “Oswaldo Cruz na Amazônia”, com narração de Paulo José e fotografia de José Bonella.

Eduardo Thiellen é primo do Tenente Fernando, que desapareceu num rumoroso caso em Porto Velho.

Ele aproveitou sua passagem para pesquisar detalhes para o documentário que está produzindo sobre o assunto , e que vai dar o que falar nas rodas políticas, culturais e de ti-ti-tis da nossa capital. É a história sendo recontada, ou talvez, finalmente contada com outros olhares. Thiellen achou um velho Alto Madeira em que a capa destacava na manchete : Mãe não se engana – O ten. Fernando está vivo !

O jornal se referia às buscas promovidas pela Força Aérea e Exército para encontrar o oficial desaparecido. As versões envolvem até personagens muito conhecidos da nossa história local. É esperar prá ver !

5 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Um forte para ser respeitado

Veja a matéria do site G1.      http://tinyurl.com/yax7zwa

4 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Cheia no Madeira

Ônibus-leito, da Viação Andorinha, vindo de Manaus e aguardando a balsa. 1977

O assunto era prá ser outro, do tempo em que se ía a Manaus de carro ou ônibus. Durava algo entre 10 e 15 horas e o trajeto era feito pela BR 319, uma estrada asfaltada mas sem nenhum acostamento, algumas pontes fora de eixo e várias balsas. Mas olhando-se esta foto, dá prá perceber a cheia do Madeira, vigorosa, alinhando-se com o nível da estrada. As cheias do rio sempre aconteceram, e acontecerão. Já dizia o artigo do jornalista Nelson Townes, na semana passada, “ainda virá a pior enchente”. Os ribeirinhos, mais experientes e precavidos, sabem quando os igarapés e os rios sobem, e isto é um fenômeno natural, não é culpa deles. Agora o que é triste de ver, nos centros urbanos, são as alagações que acontecem pela ignorância e estupidez das pessoas, que jogam garrafas pet, sacos plásticos, geladeiras velhas, sofás e qualquer coisa que sirva para entupir nos bueiros e canais e que cortam as cidades de Rondônia.

Leia Também Ainda Virá a Pior Enchente

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

EFMM no túnel do tempo

O 5º BEC ocupou a EFMM e pintou as locomotivas e vagões de azul. Anos 70/80

Ao fundo, à esquerda , ao lado da oficina vê-se enfileiradas várias motoniveladoras empregadas pelo 5º BEC na abertura de estradas e ruas.

O telhado do galpão nº3, hoje ocupado pela Marinha do Brasil, está pintado com a logomarca do CIBEC e era usado como discoteca e ensaio de escolas de samba.

Mais ao fundo, no Cai n´Água , vê-se a chaminé da Serraria Tiradentes, que recentemente fez pelo menos dois sambistas de Porto Velho serem emprenhados pelo ouvido (ou pela leitura de uma matéria produzida  por um “foca” para um “saite” de “fo-foca”) e levados a compor um triste samba-enredo chamado “barrigada”, com um refrão que falava em “rabo encolhido entre as pernas…” ou coisa parecida.

2 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Velho cartão postal

Recebi este cartão postal  de alguns amigos que participaram do lendário Projeto Rondon. ( No 5º BEC ficava o Campus Avançado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS.  A propósito, aliás , por que não UFRO, em vez de UNIR ? ).

Ele, o cartão,  resistiu ao tempo, às mudanças, às traças e aos cupins. Era um cartão da Ambrosiana, acho que em parceria com a Foto Presidente. Vemos o Ypiranga em primeiro plano, mas não dá para precisar se já existia ou tinha acabado o Califa. Post especial para saudosos.

11 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Gasolina a 3,35

Além do isolamento, cidades do Vale do Guaporé pagam a gasolina mais cara do Brasil

Prá quem reclama que a gasolina tá muito cara em Porto Velho, dá uma olhadinha no preço que custa no Vale do Guaporé…

R$ 3,35 e a marca é diabo!

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Ao norte – 3

BR 429, entre São Domingos e São Francisco do Guaporé

1 comentário

Arquivado em Ao Norte

Pandorga

Há uma invisivel centelha que arde, algo como um peso suspenso, e forças que giram em fluxo, quando o divino está perto.

Uma excitação cercada de certeza : o tempo é infinito e só o compreende quem desmonta a maldita maquina da razão…

Perdemos Zilda Arns no terremoto que assolou o Haiti. Irmã de Dom Paulo Evaristo Arns, arcebispo de São Paulo, era pediatra e sanitarista e  foi a fundadora e coordenadora nacional da Pastoral da Criança e da Pastoral da Pessoa Idosa, órgãos da CNBB. Uma pessoa que se tivesse sob sua confiança a chave dos cofres dos poderes Executivo, Judiciário e Legislativo faria um Brasil diferente…

4 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Gente que encontrei por aí…

Alípio, timoneiro do Villas.

Nasceu em Minas, se criou no Paraná e torce pro Santos.Vai entender ! Desce mais uma !

E pelo andar da carruagem vamos perder mais um ponto de encontro tradicional desta Porto Velho mal(is)amada…Sem choro nem vela &  nem fita amarela.

Deixe um comentário

Arquivado em Gente que encontrei por aí

Degelo nos Andes bolivianos mata milhares de tartarugas no Vale do Guaporé em RO

O Vale do Guaporé é garantia para a reprodução dos quelônios

Por Nelson Townes, do NoticiaRo.com

Ao menos 300 a 400 mil filhotes de tartarugas, tracajás, “matas-matas”, cangarás e outros quelônios morreram ou deixaram de nascer em 2009 em praias fluviais de desova de rios de Rondônia,  inundadas por enchentes causadas pelo aumento do degelo dos Andes Bolivianos.

Este é provavelmente o primeiro grave impacto do aquecimento global na Amazônia. As geleiras dos Andes bolivianos (como no resto da cordilheira) estão sendo derretidas pelo aumento da temperatura no planeta.

O desastre em Rondônia aconteceu entre agosto e outubro do ano passado, quando as tartarugas e outros quelônios procuravam as praias dos rios Guaporé e Mamoré, na fronteira com a Bolívia, para desovar, como fazem anualmente, e não as encontraram.

Elas estavam submersas pelos rios afetados pelo degelo dos Andes – que fizeram subir o nível dos rios Beni ( o nome que o bolivianos dão ao Guaporé), e Madre de Dios e Yata, que deságuam no Mamoré

O nível dos rios subiu também sob efeito da volta do El Niño, o fenômeno climático que aquece as águas do oceano Pacífico a causa chuvas em Rondônia.

Os ribeirinhos e os encarregados de monitorar a reprodução e preservação dos quelônios foram os primeiros a perceber a tragédia. Eles calculam que normalmente são enterrados ao menos 500 mil ovos por ano nas areias das praias fluviais.

Os monitores disseram a “NoticiaRo.com” que, em 2009, no máximo cerca de 100 mil ovos ou menos foram desovados e eclodiram em raras faixas de praia não alagadas. “Até o momento, creio que temos a lamentar a perda  de 300 a 400 mil quelônios que normalmente nascem nesta época” – calculou um dos encarregados de controlar a população da espécie

Alguns ribeirinhos ainda têm a esperança de que parte dos quelônios que procuravam outras praias para desovar tenham conseguido encontrá-las.

Em poucos dias os ovos eclodem e os filhotes seguem na direção do rio. Mas, para a eclosão, é necessário que sejam enterrados na areia e fiquem sob o calor do sol.

Os quelônios estão na lista das espécies em extinção na Amazônia. Os rios do Vale do Guaporé são seu último reduto de sobrevivência. Funcionários públicos e voluntários trabalham monitorando as praias fluviais onde são desovados e de onde correm para o rio.

A corrida das minúsculas tartarugas para a água constitue um espetáculo que até se tornou atração turística em Costa Marques, 716 quilômetros ao sul de Porto Velho. Para proteção dos ovos, ou de recém-nascidos, em certas circunstâncias, há até um “berçário” de tartarugas nesta cidade

Os rios com o nível aumentado pelo degelo estão localizados no Vale do Guaporé, no sudoeste, sul e sudeste de Rondônia. O fenômeno parece não ter dado tempo aos voluntários de defender as espécies ou controlar o perigo.

A região, considerada um “santuário ecológico” do noroeste do Brasil, mostrou sua fragilidade diante das agressões ambientais planetárias – reconheceu um voluntário.

A água das geleiras bolivianas é essencial, porém, para a formação das bacias hidrográficas da Amazônia. O principal afluente do Amazonas, o rio Madeira, é formado por rios que surgem com o degelo normal de parte dos Andes quando começa o “verão amazônico” – a época da estiagem que dura seis meses.

O volume de água do excesso de degelo em 2009, acumulado nos rios do Vale do Guaporé vai, num primeiro momento aumentar o nível do rio Madeira. As autoridades da Defesa Civil estão preocupadas com a possibilidade de causar enchentes em Porto Velho, talvez maiores do que a de anos anteriores.

Influi na questão climática a Alta da Bolívia, um fenômeno, como explicam os meteorologistas, presente nos altos níveis da atmosfera (geralmente em cima do território boliviano, por isso essa denominação) e que favorece a organização de áreas de instabilidade em todo o seu redor.

É um sistema típico desta época do ano e que, junto com a Zona de Convergência do Atlântico Sul, é responsável pelos acumulados significativos de chuva que ocorrem durante o inverno amazônico em Rondônia.

Este sistema favoreceu, nos últimos dias, a organização de muitas nuvens em todo o Estado. Com o calor e a grande disponibilidade de umidade, as nuvens ficam carregadas com facilidade e por isso as chuvas ocorreram com bastante frequência em todo o Estado.

Um boletim da Divisão de Meteorologia do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), mostra de modelos de previsão climática indicando que o fenômeno El Niño ainda deve continuar atuando na região do Pacífico Equatorial, causando chuvas acima da média no Sul e oeste de Rondônia, sul do Pará, sul de Tocantins e nos setores sul, leste e nordeste do Mato Grosso.

O El Niño ameaça com novas enchentes os Estados do Sul, especialmente no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

Nos Estados do Sudeste e do Centro-Oeste o fenômeno é caracterizado pela irregularidade da chuva, com períodos chuvosos intercalando períodos de veranico, secos e quentes.

No Nordeste a chuva diminui drasticamente, e no Norte ocorre menos chuva do que o normal.

O meteorologistas explicam que em anos em que o fenômeno El Niño se estabelece, há o enfraquecimento dos ventos alísios, que sopram de leste para oeste nas proximidades da linha do Equador.

Outras previsões indicam que, como o degelo dos Andes bolivianos foi intenso no ano passado, as geleiras bolivianas provavelmente não terão água suficiente no próximo verão para alimentar os rios e, ao contrário de 2010, o ano de 2011 poderá ter uma diminuição do nível do próprio rio Madeira.

O baixo nível do rio a partir de 2011 poderá prejudicar o funcionamento das hidrelétricas de Santo Antonio e Jirau e a navegação das grandes balsas de soja entre Porto Velho e Itacoatiara.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Ao Norte – 2

Cena rural na BR 429, entre Seringueiras e São Francisco do Guaporé, Rondônia

2 Comentários

Arquivado em Ao Norte

By bike

Da esquerda para a direita, o "capo" maior do Ristorante San Gennaro, o digitador destes mal traçados bytes e o casal de aventureiros, Pablo Guillot e Inés Ozafran.

Pablo Guillot e Inés Ozafran saíram de bicicleta da Argentina rumo ao Norte. Há quase um ano na estrada, já rodaram mais de 4.000 km, passando pela cordilheira dos Andes até chegar ao rio Madeira.

Aqui, no seringal Santa Catarina que fica no Baixo Madeira juntaram matéria-prima para novas peças de artesanato, que agora estão à venda na Casa de Cultura Ivan Marrocos, juntamente com várias fotos da viagem.

A exposição vai até o dia 28 e com a grana arrecadada  eles pretendem chegar às terras de Hugo Chávez, passando antes por Manaus e Boa Vista. Intrépida troupe ! Queria ver mais né ? Daí só aparece no blog uma foto posadinha toda coloridinha ! Vai lá na exposição, cacete.

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Cátia Cernov

Certa madrugada de lua em eclipse, calendário incerto, talvez fosse Júpiter que projetasse aquela sombra...

Cátia Andréa Cernov de Oliveira é escritora experimental. Tem 41 anos, três filhos e mora em Porto Velho. Publicou seu primeiro texto pela Literatura Marginal Ato III, da revista Caros Amigos. Seus contos e poemas tem sido publicados de forma independente: ela mesmo escreve, edita, imprime e distribui em bancas de revistas, bares, livrarias e sebos. Segundo ela mesmo diz : “Mas… Quem irá habitar o espaço? Os homens sábios, evoluídos, razoáveis, ou os senhores da economia que obterão o monopólio das viagens espaciais ? ” Se cruzar por ela pelas ruas de Porto Velho, tenha certeza : ela não é um avatar.

Cátia Cernov, um universo em movimento

Solarium (Latim = Relógio) Antiga constelação, localizava-se entre Horologium, Hydrus e Dorado. Extinta no século XIX

3 Comentários

Arquivado em Poesya La Na´vi vá

Ao Norte – 1

Comemoração de 7 de setembro, em Vila de Rondônia, no local onde hoje é o Ginásio Gerivaldão. Ano 1977. foto : Beto Bertagna

1 comentário

Arquivado em Ao Norte

Ainda virá a pior enchente…

Enchente do rio Madeira atingiu os galpões da Madeira-Mamoré num passado recente.

Por NELSON TOWNES, do NoticiaRo.com  (*)

As altas temperaturas e a alta umidade deixam o tempo abafado em Porto Velho. Esse tempo abafado favorece a formação de nuvens carregadas sobre a capital de Rondônia.

Podem ocorrer chuvas esparsas, mas que podem se transformar em temporais, mesmo sendo de curta duração – e o que chamamos de curta duração em Porto Velho são aguaceiros de 30 a 40 minutos – podem causar grandes prejuízos e transtornos.

O chão da cidade, de pouca ou nenhuma drenagem, está saturado de água. Mesmo que as autoridades tentem, não conseguirão resolver esse problema na atual temporada.

Ainda bem que a  temperatura está se mantendo em média em 30 graus. Mais calor, mais evaporação no rio Madeira, e mais chuva.

As informações, que valem para os próximos dias, são dos meteorologistas colaboradores do site “Climatempo”, com o aviso que parece ser ignorado por grande parte da população e por setores do serviço públicos que correm atrás dos prejuízos, ao invés de preveni-los: o perigo de novas chuvas fortes ainda não acabou.

Como disse há muitos anos em São Paulo, o então prefeito Olavo Setúbal, aos jornalistas que o acompanhavam numa vistoria a ruas arrasadas por uma inundação causada por uma chuva: “Ainda virá a pior enchente.”

Eu era um dos jornalistas que acompanhavam o prefeito por ruas cobertas de lama (na época morava na Capital paulista e era repórter da “Folha de S. Paulo”). Não dava para acreditar no prefeito: as águas tinham baixado deixando marcas de alagação que iam até o teto em algumas casas.

Como imaginar pior drama? Casas haviam desabado. Os bombeiros procuravam pessoas desaparecidas. Havia feridos hospitalizados.

Os sobreviventes nada podiam fazer além de olhar para a destruição de coisas que haviam comprado até com dificuldade: televisores, aparelhos de som, geladeiras, sofás, colchões, as roupas da família em guarda-roupas antes bem arrumados, tudo estava coberto por lama, lixo e podridão.

Aqui e ali se via um rato morto entre o amontoado de detritos em que tudo que havia nas casas tinha se transformado da noite para o dia. A enxurrada mal havia dado tempo para que salvassem a própria vida e a dos familiares.

A voz pausada e grave de Setúbal não significava auto-crítica ou tinha qualquer intenção política de culpar quem quer que fosse pelo desastre. Aliás, sequer poderia culpar inteiramente os paulistanos que também costumam, ou costumavam, atirar lixo nas ruas, nos córregos, bueiros e bocas-de-lobo – um costume que se espalha pelo país e existe em Porto Velho.

O prefeito Olavo Setúbal tinha razão. As enchentes são como um filme que se repete ao longo dos anos sem mudar o roteiro de sofrimentos e angústia de suas vítimas. Mas, aumenta o horror das cenas.

Atualmente, os fatores causadores de tragédias climáticas estão cada vez mais distantes dos locais onde elas ocorrem. As alterações são globais, planetárias. A poluição na China pode afetar o tempo no Ocidente. O desmatamento na Amazônia pode causar nevascas na Europa. Parece absurdo, mas não é.

De repente, descobrimos que a aldeia global em que vivemos não é a criada pela rede mundial de computadores, a Internet. Como espécie animal, somos muito poucos se comparados, por exemplo, com a população de formigas, trilhões de formigas, contra os nossos 5 ou 6 bilhões de humanos.

Mas, as formigas não poluem o meio ambiente, não agridem a natureza. Nosso planeta ficou pequeno demais para o lixo que produzimos. Nós o transformamos numa lixeira global. E a natureza está se vingando.

…………………..

(*) Transcrito de www.noticiaRo.com. Ampliação do texto publicado inicialmente pelo autor como editorial do jornal “O Estadão do Norte.”)

(*) Nelson Townes tem três Prêmios Sinjor de Jornalismo na categoria Meio Ambiente, em 2004, 2005 e 2007.

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Transposição Pec 60 – Veja o Decreto na íntegra

Senadora Fátima Cleide : A luta cada vez mais perto de um desfecho feliz

Atualização:24/11/2010

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou no final da tarde desta quarta-feira (19), em Brasília, emenda do Senado à Medida Provisória 472/09 que permite que todos os servidores dos antigos territórios de Rondônia, Roraima e Amapá optem pela inclusão no quadro de pessoal em extinção do governo federal.

Poderão fazer essa opção os policiais militares e os servidores municipais que estavam em exercício na data em que o ex-território foi transformado em estado, assim como todos os servidores admitidos até a posse do primeiro governador eleito (15 de março de 1987), além de aposentados e pensionistas.

A emenda proíbe o pagamento de diferenças remuneratórias a qualquer título, mas propõe como estrutura de remuneração dos policiais civis e militares e do corpo de bombeiros aquela aplicada aos policiais do Distrito Federal.

O Plenário aprovou o parecer do relator Marcelo Ortiz (PV-SP), que recomendou a aprovação de 44 das 53 emendas dos senadores à MP.

A emenda também concede incentivos fiscais a diversos setores da economia, principalmente o petrolífero.

A matéria segue agora para o presidente da República, Lula da Silva, que poderá sancioná-la ou vetá-la.

No site do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado de Rondônia, SINSEPOL você encontra a relação dos servidores abrangidos pela Emenda Constitucional nº 60 , de 11 de novembro de 2009.

O endereço do site é www.sinsepol.org .

Leia a íntegra da minuta do decreto do Governo Federal que regulamenta a transposição

DECRETO NÚMERO , DE                DE                  DE 2010.

Regulamenta os arts. 85 a 102 da Lei número 12.249, de 11 de junho de 2010.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e tendo em vista o disposto na Lei número 12.249, de 11 de junho de 2010.

DECRETA

Art. 1º O ingresso de ex-servidores civis e militares do ex- Território de Rondônia e do Estado de Rondônia em quadro em extinção da administração federal, conforme previsto no art. 89 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias e nos arts. 85 a 102 da Lei número 12.249, de 11 de junho de 2010, fica regulamentado por este Decreto.

Art. 2º Constituirão, mediante opção, quadro em extinção da administração federal, assegurados os direitos e vantagens a eles inerentes:

I – Os integrantes da Carreira Policial Militar e os servidores municipais do ex-território de Rondônia que, comprovadamente, se encontravam no exercício regular de suas funções, prestando serviço àquele ex-Território, na data em que foi transformado em Estado.

II – Os servidores admitidos regularmente nos quadros do Estado de Rondônia até a data de posse do primeiro governador eleito – 15 de março de 1987; e

III – Os servidores e os policiais militares alcançados pelos efeitos do artigo 36 da Lei Complementar número 41, de 22 de dezembro de 1981.

Parágrafo único – É vedado o pagamento, a qualquer título, de diferenças remuneratórias.
Art. 3º Apenas farão jus ao direito de opção de que trata o art. 2º deste Decreto os servidores admitidos regularmente pela administração do ex-Território Federal de Rondônia ou pelo Estado de Rondônia, conforme o caso.
Parágrafo 1º – Serão considerados admitidos regularmente:
I – Os servidores ocupantes de cargos efetivos admitidos por meio de concurso público; e

II – Os servidores ocupante de emprego público admitidos até a data de promulgação da Constituição de 1988 mediante de contrato de trabalho celebrado nos moldes da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei número 5.425, de 1º de maio de 1943, e devidamente registrado na Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS, excluídos os empregados de empresas públicas, sociedades de economia mista e suas subsidiárias.

Parágrafo 2º – Os servidores ocupantes de cargos efetivos deverão comprovar:

I – A primeira investidura mediante concurso público; e
II – A regularidade das ascensões funcionais ocorridas até a promulgação da Constituição de 1988, se for o caso.
Art. 4º Não farão jus a opção de que trata o artigo 2º deste Decreto:
I – Os contratados como prestadores de serviços;
II – Os terceirizados:
III – Os que laboravam informalmente e eram pagos mediante recibo;
IV – Os ocupantes de cargos, empregos e funções de confiança ou em comissão, ou que a lei declare de livre nomeação e exoneração;
V – Os empregados de empresas públicas, sociedades de economias mistas e suas subsidiárias;

VI – Os servidores cedidos ao Estado de Rondônia ou à administração do ex-Território Federal de Rondônia e de seus municípios, oriundos de órgãos ou entidades estranhos às suas estruturas orgânicas, ainda que, na data da criação do Estado ou em 15 de março de 1987, estiverem em exercício no Estado de Rondônia ou em seus municípios.
Art. 5º – Somente farão jus à opção de que trata o artigo 2º os servidores que, comprovadamente,
Encontravam-se, na data de 15 de março de 1987:
a) No exercício regular de suas funções no âmbito da administração do Estado de Rondônia ou de seus municípios;
b) Cedidos pelo Estado de Rondônia ou seus municípios , em conformidade com as disposições legais e regulamentares da época;
II – Mantiveram o mesmo vínculo funcional com o Estado de Rondônia até a data da publicação da Emenda Constitucional número 60, de 11 de novembro de 2009.

Art. 6º – O quadro em extinção a que se refere o artigo 2º será constituído por cargos ou empregos análogos aos ocupados pelos servidores na data da formalização do termo de Opção, assegurados os direitos e vantagens a eles inerentes, inclusive eventuais alterações remuneratórias decorrentes de decisões judiciais.

Parágrafo 1º – Os servidores civis e militares serão posicionados em cargos ou empregos de cargo em extinção com a mesma denominação, classe e remuneração percebida na esfera estadual ou municipal, considerada para este efeito a data de entrega do requerimento de opção previsto no artigo 9º deste Decreto.
Parágrafo 2º – Os cargos ou empregos a que se refere o inciso 1º serão extintos automaticamente após sua vacância;

Parágrafo 3º – O posicionamento de que trata o inciso 1º deverá :

I observar a escolaridade e a formação exigida para o cargo a ser ocupado;
II – Desconsiderar qualquer ascensão funcional ocorrida após a promulgação da Constituição de 1988;
Art. 7º – O posicionamento de que trata o artigo 6º observará as seguintes fases:
I – Entrega pelo interessado do requerimento de Opção acompanhado pela documentação exigida;
II – Análise técnica do cumprimento dos requisitos de enquadramento e respectiva documentação; e
III – Formalização do termo de Opção pelo servidor.

Art. 8º – O prazo para apresentação do requerimento de opção , acompanhado da documentação exigida, é de cento e oitenta dias, contados da publicação deste Decreto.
Art. 9º – O requerimento de opção deverá ser entregue devidamente preenchido e assinado pelo interessado, conforme o modelo constante do anexo 1, e instruído com:
I – Documentação pessoal:

a) documento oficial de identidade;
b) comprovante de residência;
c) comprovante de escolaridade.

II – Documentação comprobatória dos requisitos de enquadramento;
a) Carteira de Trabalho e Previdência Social – CTPS;
b) Contrato de trabalho;
c) Comprovantes de rendimentos relativos aos seis meses anteriores à data da entrega da documentação;
d) Ato de nomeação ou posse no cargo efetivo , no caso daqueles aprovados por meio de concurso público;
e) Ficha funcional do servidor;
f) Declaração de que o servidor encontra-se no efetivo exercício , emitida pelo órgão ao qual estiver vinculado; e
g) Comprovantes de recolhimento de contribuições previdenciárias.

Parágrafo primeiro – Os documentos de que tratam os incisos I e II
Do caput deverão ser apresentados em original e cópia, para autenticação pelo servidor responsável, ou apenas mediante cópia autenticada.
Parágrafo 2º – O interessado poderá solicitar que as informações relativas às suas contribuições previdenciárias sejam providenciadas pela própria administração pública nos casos em que esta informação esteja disponível em órgão ou entidade da administração pública federal.
Artigo 10º – A análise técnica do cumprimento dos requisitos de enquadramento deverá ser finalizada em 12 meses após o encerramento do prazo para apresentação dos requerimentos de opção.

Parágrafo único. O Prazo de que trata o caput poderá ser prorrogado por ato do secretário-executivo do Ministério do Planejamento , Orçamento e Gestão.
Artigo 11 – Formalizada a opção, os servidores civis continuarão prestando serviços ao estado de Rondônia, na condição de cedidos , submetidos às disposições legais, podendo ser aproveitados em órgão ou entidade da administração federal direta, autárquica ou fundacional.

Parágrafo único. Os membros da Polícia e do Corpo de Bombeiro Militar continuarão prestando serviços ao estado de Rondônia, na condição de cedidos , submetidos às disposições legais e regulamentares a que estão sujeitas as corporações, observadas as atribuições de funções compatíveis com o grau hierárquico.

Artigo 12. O Termo de Opção produzirá efeitos a partir da publicação, em Diário Oficial da União, da relação dos servidores incluídos no quadro em extinção a que se refere o artigo 2º, quando será considerado ato irretratável.
Artigo 13. Fica constituída Comissão Interministerial para promover a análise técnica dos requerimentos de opção e da documentação apresentada pelos servidores, composta por dois representantes titulares e dois suplentes dos seguintes órgãos:
I – Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, que exercerá a Presidência da Comissão:
II – Casa Civil da Presidência da República;
III – Ministério da Fazenda;
IV – Advocacia Geral da União.
Parágrafo primeiro – Os integrantes da referida Comissão interministerial, inclusive seu presidente, serão designados por ato do secretário- executivo do Ministério do Planejamento, orçamento e Gestão, mediante indicação dos secretários –executivos ou autoridades equivalentes de cada órgão.
Parágrafo II – A Secretaria de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, orçamento e Gestão prestará suporte técnico e operacional aos trabalhos da Comissão Interministerial.

Parágrafo 3º – Durante o período em que integrarem a Comissão Interministerial, os representantes de que tratam os incisos de I a IV do caput ficarão dispensados do exercício das atribuições inerentes aos respectivos cargos efetivos ou em comissão, dedicando-se integralmente às atividades a cargo da Comissão.
Artigo 14 – Fica instituída Comissão Externa de Acompanhamento, com a finalidade de observar os trabalhos da Comissão Interministerial, composta por:
I – Três representantes e três suplentes do Estado de Rondônia; e
II – Cinco representantes e cinco suplentes das entidades representativas dos servidores do Estado de Rondônia;
Parágrafo único. Os integrantes da Comissão de que trata o caput serão designados por ato do secretário –executivo do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, mediante indicação do governador do Estado de Rondônia e do dirigente máximo da entidade representativa dos servidores do Estado de Rondônia, conforme o caso.
Artigo 15 – Este Decreto em vigor na data da sua publicação.

Brasília,                   de                                    de 2010; 189º da Independência e 122º da República

3 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

A vida continua…

Com Leandro, Hugo e Borges. Sem Léo, Tcheco e Maxi Lopes…

A alma castelhana queria um time melhor mas não tem $$$ diz a diretoria

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Cunha e Angra dos Reis : o momento é de solidariedade

Os pontos em vermelho marcam a região atingida pelos desmoronamentos

Tenho um amigo que possue uma pousada em Cunha/SP. É o Marcos Santilli, fotógrafo premiadíssimo, ex-diretor do MIS/SP e autor de um dos livros mais bonitos que existe sobre a Madeira-Mamoré. Preocupado com as notícias desencontradas da mídia, em especial a televisiva, mandei um e-mail para ele, pedindo notícias. O seu relato merece ser publicado porque combina exatamente com o sentimento que eu tenho por toda a região, que mais do que nunca, precisa do turismo para sobreviver. São milhares de pessoas que dependem do turismo, que só é forte nesta época do ano, para segurar a onda durante o resto da temporada. Só para ter uma idéia , na Ilha Grande e na Enseada do Bananal em Angra há mais de uma centena de pousadas, algumas bem distantes do local da tragédia. Os cancelamentos de reservas beiram os 80 %. Assim, a taxa de ocupação fica pior que abril, maio, época de baixa temporada. Houve a(s) tragédia(s) , a ocupação das encostas tem que ser urgentemente repensada não só pelo poder público como pelos habitantes, a hora é de partir para a reconstrução do que foi destruído pelas águas, mas o que não se pode neste momento é criar um clima de medo generalizado, prejudicando ainda mais a economia da região.

Vamos ao relato do Marcos:

Querido Beto,

Obrigado por sua solidariedade e atenção. Estou mandando esta mensagem aos amigos, para que possamos narrar o que vivemos nessta passagem de ano.

Água escorrendo pelas encostas em volume desproporcional. foto:Marcos Santilli

Cunha tambem sofreu pelas chuvas não tão fortes, mas ininterruptas, que nos sinalizam outros tempos, além de uma mera e convencional passagem de ano.

Por sua altitude, aqui tem relativamente poucos problemas com o escoamento de águas, comparados aos locais mais baixos. A coisa estoura em deslizamentos localizados e previsíveis, pontes de madeira em sua imensa área rural (maior município do estado), represas e principalmente, e infelizmente, pouca prevenção e informação, o que ocorre no país inteiro.

Tivemos problemas de deslizamentos, sendo um deles fatal para uma familia, como noticiou extensivamente a midia. Na cidade, a má ocupação causou danos a diversas famíias. Impediu temporariamente a circulação em praticamente todas as estradas do munícipio, a maioria de terra.

Da Pousada para São Paulo e Rio, ficamos isolados apenas no dia 1º e parte do dia 2. Ficamos sem luz e telefone por cerca de duas horas, mas com muitas velas cobertos por boa música. De resto poucos danos no jardim.

Nossa preocupação voltou-se para onde toda esta serra derrama suas águas, o que de fato ocorreu, com estes rios ganhando volume nas nascentes e força nas vertentes das altitudes para os vales povoados do grande Paraíba. Além, é claro, da outra vertente da serra, Parati e Angra.

O Reveillon

A Pousada situa-se nas primeiras águas do rio Paraibuna. Pensávamos o que seria esta explosão nas nascentes do próprio Paraíbuna e do próximo Paraitinga, formadores do Paraíba.

Dois dias antes do reveillon, houve um “preview” da fúria das águas da passagem do ano. Minha equipe, bastante assustada, abandonou os preparativos da festa, para tomarmos providências caso este fenômeno se repetisse. Os velhos moradores nunca viram precedente em sua tradição oral. Atentos à previsão do tempo não vimos razões para preocupação, nem informações deste primeiro vagalhão e tínhamos esperança de celebrar ao ar livre caso as chuvas esparsas anunciadas não nos atingissem. Desligamos as redes de energia que abastecem a área do lago e abaixo. Esquecemos os arranjos finais de flores e outros detalhes e evacuamos móveis da sauna, equipamentos do deck, piscina natural e o barquinho.

Ao anoitecer do dia 31 as chuvas persistentes e o nível das águas nos córregos, rios, pontes e represas nos espantavam. Todas as instalações da Pousada dos Anjos são elevadas, em terreno secularmente estável, inatingíveis a inundações. Apenas a velha sauna e piscina natural, intocados há  mais de 40 anos, estão em nivel abaixo do lago. Deliciosa ceia e bebidas haviam sido intencionalmente super dimensionadas, produzidas e servidas pelo Restaurante Drão, Fernando, garçons, cozinheiros,  equipe de produção, incluindo motorista, etc.

Hóspedes e convidados instalavam-se ao som de uma banda de jazz maravilhosa, formada por Hector Costita, Lelo Izar, Josevaldo,  e a cantora Cristina que improvisavam musica brasileira. O DJ de Lux intercalava-se ao jazz. Havíamos recoberto o restaurante, cozinha, sala de home theater, com um grande toldo, criando uma varanda lounge de ligação com a Oca, a biblioteca.

A maravilhosa ceia foi servida no fogão de lenha, celebração, música, alegria, dança, passou-se alegremente a meia-noite sob chuva contínua. Quando a maioria dos trinta hóspedes  já descansava, por volta das três horas, a festa continuava e chegou um grupo de dezesseis familiares e amigos impedidos de retornar ao sítio que tem na Barra do Bié. O mesmo aconteceu com os convidados e a banda. Foi quando percebemos que havia algo grave ocorrendo. Chegavam molhados, assustados mas depois vários dançaram alegremente, incrementando a continuidade da festa e, apesar de tudo, celebrando o novo ano. Logo mais chegaram outros “refugiados”, depois outros, até que tínhamos 30 acolhidos, instalados nos diversos ambientes intactos onde rolava a festa. Alguns jogavam cartas, outros ouviam noticiário na sala de home theater. Dormiam nos bancos, sofás, outros nas redes da oca. Providenciamos toalhas, cobertores e agasalhos. Até o clarear ainda se dançava. O café da manhã foi produzido coletivamente, farto e tranquilo, com grande solidariedade entre todos. Chegavam alguns hóspedes que se confraternizaram e o ambiente continuou suave. Servimos novamente a ceia por volta das 14hs. Chegaram alguns a Cunha, de onde voltaram com queijos, pães e petiscos. Estava recuperado o acesso a cidade. Para deixar Cunha, somente na tarde do dia 2, quando ligaram Paulo e Carolina, da Dutra.

Todos aqui passaram da forma mais light possível na situação inevitável de não poder voltar para casa. Ninguém passou necessidade, por acaso haviam 3 médicos fantásticos presentes, além do melhor que nossa pousada nos oferece: nossos hóspedes. Fizemos novas amizades e fortalecemos laços diante da compreensão e grandeza na vivência em comum dessa excepcionalidade da natureza.

Neste momento estamos todos torcendo e tentando ajudar os que estão em dificuldade no nosso município e nos vizinhos, mas abertos e ansiosos pela chegada dos novos hóspedes, lembrando que o acesso foi reestabelecido, e a cidade espera não sofrer o abandono do turismo, imprescindível à sua normalização.

Abraços, na certeza de que o ano será muito melhor do que iniciou,

Marcos Santilli e Katia Scavacini

Nota da Redação:  A Pousada dos Anjos fica na Rod. SP 171, trecho Cunha-Paraty, no km 57.

O telefone prá contato é o (12)31118019.

Tem também o e-mail contato@pousadadosanjos.com.br e o site http://www.pousadadosanjos.com.br

Reveillon na Pousada dos Anjos, em Cunha/SP. foto:Marcos Santilli

Deixe um comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Ganhe até 15 mil ! Prova da SEFIN/RO pode ser barbada, dizem "concurseiros profissionais

Que mega-sena da virada, que nada !

Os “concurseiros profissionais”, esta nova categoria emergente na sociedade deste Brasil varonil, estão vibrando é com o Concurso da SEFIN/RO, que abrirá 50 vagas com salários iniciais de R$ 10.962,10 (podendo chegar a 15 paus) para o cargo de Auditor Fiscal de Tributos Estaduais de Rondônia.

Não se fala outra coisa nos bares que reúnem forasteiros, desempregados, mal empregados, duros, lisos, noivos com casamento marcado, com consórcio do carro atrasado, filho recém-nascido,  formandos e quejandos.

Foram muitos anos de espera, mas finalmente o concurso deu as caras com um edital mais do que esperado : 16 matérias com conteúdo bem introdutório, sendo as disciplinas específicas , como era de se esperar, com um grau bem maior de dificuldade.

Segundo um destes “concurseiros” de fora do Estado que não quis se identificar “ o fato da realizadora do concurso ser a Fundação Carlos Chagas é animador, pois ela costuma se apegar ao conteúdo literal da lei, sem grandes surpresas. Talvez possamos ter uma prova meio tipo Ctrl C + Ctrl V , com questões já abordadas, mesmo com outro viés,  em outros certames que já participamos”.

Os felizardos deverão ser lotados em Porto Velho, Ariquemes, Rolim de Moura , Guajará –Mirim e Vilhena.

As provas ocorrem no dia 14 , terceiro domingo de março em Porto Velho, Ji-Paraná, Rolim de Moura e Vilhena.

As inscrições começam dia 6 de janeiro e vão até 10 de fevereiro pelo site da Secretaria de Estado de Finanças (SEFIN) www.sefin.ro.gov.br.

Os candidatos devem ter concluído curso superior nas áreas de Direito, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas ou Administração.

O preço da inscrição custa a  bagatela de 119 reais e 5 vagas estão reservadas para portadores de deficiência física.

Puxa, por que não abrir logo 100 vagas ? Será que o Estado não precisa ?

2 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Ganhe até 15 mil ! Prova da SEFIN/RO pode ser barbada, dizem “concurseiros profissionais

Que mega-sena da virada, que nada !

Os “concurseiros profissionais”, esta nova categoria emergente na sociedade deste Brasil varonil, estão vibrando é com o Concurso da SEFIN/RO, que abrirá 50 vagas com salários iniciais de R$ 10.962,10 (podendo chegar a 15 paus) para o cargo de Auditor Fiscal de Tributos Estaduais de Rondônia.

Não se fala outra coisa nos bares que reúnem forasteiros, desempregados, mal empregados, duros, lisos, noivos com casamento marcado, com consórcio do carro atrasado, filho recém-nascido,  formandos e quejandos.

Foram muitos anos de espera, mas finalmente o concurso deu as caras com um edital mais do que esperado : 16 matérias com conteúdo bem introdutório, sendo as disciplinas específicas , como era de se esperar, com um grau bem maior de dificuldade.

Segundo um destes “concurseiros” de fora do Estado que não quis se identificar “ o fato da realizadora do concurso ser a Fundação Carlos Chagas é animador, pois ela costuma se apegar ao conteúdo literal da lei, sem grandes surpresas. Talvez possamos ter uma prova meio tipo Ctrl C + Ctrl V , com questões já abordadas, mesmo com outro viés,  em outros certames que já participamos”.

Os felizardos deverão ser lotados em Porto Velho, Ariquemes, Rolim de Moura , Guajará –Mirim e Vilhena.

As provas ocorrem no dia 14 , terceiro domingo de março em Porto Velho, Ji-Paraná, Rolim de Moura e Vilhena.

As inscrições começam dia 6 de janeiro e vão até 10 de fevereiro pelo site da Secretaria de Estado de Finanças (SEFIN) www.sefin.ro.gov.br.

Os candidatos devem ter concluído curso superior nas áreas de Direito, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas ou Administração.

O preço da inscrição custa a  bagatela de 119 reais e 5 vagas estão reservadas para portadores de deficiência física.

Puxa, por que não abrir logo 100 vagas ? Será que o Estado não precisa ?

2 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Bem no fundo

No fundo, no fundo,
bem lá no fundo,
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto
a partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela – silêncio perpétuo
extinto por lei todo o remorso,
maldito seja quem olhar pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais
mas problemas não se resolvem,
problemas têm família grande,
e aos domingos saem todos a passear
o problema, sua senhora
e outros pequenos probleminhas.

PAULO LEMINSKI

Baixa da União, numa tarde de 2010, de pouca inundação...

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

MPB e tacacá num domingo em Porto Velho

Domingo a tarde em Porto Velho, o sol faz que vem e não vem. Uma boa dica é curtir a excelente MPB que o cantor Joais faz no Mirante II a partir das 5 da tarde. E melhor , sem a mínima chance de escutar tecno-breganejo-poperô porque ele não toca, nem com reza forte.

Joais toca sexta,sábado e domingo no Mirante II e às quartas no Canteiros Bar.

De quebra, você tem uma das melhores vistas do rio Madeira e do por-do-sol. Pontualmente às 18 horas se um estrondo mais forte acontecer não se engane, não é o tambor de um boi-bumbá.

Depois vai um tacacá? Um dos melhores, senão o melhor de Porto Velho, é feito por, pasmem, um gaúcho e uma cearense. Na verdade, o segredo da receita está guardado na memória da Suely e o César, como todo bom gremista, dá sempre a palavra final .

César e Suely, do Tacacá em Casa, na Feira do Porto nos fins de semana e na Av. Farqhuar 3214, a partir das 17 hs, de terça a sexta.

A menina Maria Clara Maloney da Silva aprovou , com ar de satisfação, o tacacá do César e da Suely.

A netinha da Professora Úrsula Maloney , Maria Clara

2 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações

Homens de Perto

Zé Vitor Castiel, Rogério Beretta e Oscar Simch em ação

Aviso aos navegantes que estiverem pelo Sul. Se a peça estiver em cartaz, não percam. É diversão garantida, de primeira !

Um baita sucesso do Tuti que o Brasil começa a conhecer

1 comentário

Arquivado em Efêmeras Divagações

Eleições 2010 – Rondônia

Deixe um comentário

Arquivado em Notícias

Mototaxistas : Lista completa dos classificados em Porto Velho

Os mototaxistas recebem o certificado de classificação do Processo Seletivo, na próxima segunda feira, 07 de junho, às 09:00hs, na frente da Prefeitura Municipal de Porto Velho, no Palácio Tancredo Neves, na avenida D. Pedro II.

Confira a lista dos classificados:

EDITAL – Publicação do resultado de classificação final

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 001/SEMTRAN/2010 – Seleção de pessoas físicas para exploração do Serviço de Transporte Individual de Passageiros com uso de motocicleta – MOTOTÁXI, mediante permissão da Prefeitura do Município de Porto Velho.

CLASSIFICAÇÃO PROTOCOLO PROPONENTES HABILITADOS

1 0328 ABENAEL MENDES DA SILVA
2 0129 ABSAI MOREIRA SAMPAIO
3 0038 ADAILTON CASEMIRO DOS SANTOS
4 0447 ADAILTON GUIMARÃES GARAY
5 0758 ADAIR MORAIS DE SOUZA
6 0172 ADÃO DE OLIVEIRA SILVA
7 0282 ADEILDO GONZAGA TENÓRIO
8 0583 ADEILSON OSVALDO DE ARAÚJO
9 0480 ADELMO DOS SANTOS FRANCISCO
10 0036 ADEMAR LEANDRO DE MOURA
11 0765 ADEMILTON DA ROCHA RODRIGUES
12 0718 ADEMIR GONSALVES PEREIRA
13 0661 ADEMIR TEIXEIRA DE OLIVEIRA
14 0048 ADENILDO BARROS DE LIMA
15 0402 ADENIS DA SILVA MIRANDA
16 0089 ADILSON DOMINGOS MONTEIRO
17 0812 ADILSON FERREIRA MACHADO
18 0956 ADMILSON SOUZA SILVA
19 0219 ADRIANO FIGUEIREDO SIQUEIRA
20 0293 ADRIANO NICÁCIO NEPOMUCENO
21 0612 AGRIPINO MORAIS DE ARAÚJO NETO
22 0025 ALAILSOM MARCOS DE JESUS
23 0259 ALAN BRANDÃO BRAGA
24 0559 ALBERTO PEREIRA DA SILVA
25 0518 ALCIR MARTINS DOS SANTOS
26 0238 ALDEMIR RODRIGUES
27 0790 ALDO MOURA
28 0073 ALESSANDRO REIS DA CONCEIÇÃO FERREIRA
29 0472 ALEX CONSTANTINO COSTA
30 0800 ALEX FABIANO FERREIRA CASTILHO
31 0831 ALEX VIEIRA NOVAIS
32 0730 ALEXANDRE LINHARES LIMA
33 0795 ALEXANDRE MELO RIBEIRO
34 0604 ALEXON SANTOS DE OLIVEIRA
35 0597 ALONSO JUSTINIANO SOARES
36 0126 ÁLVARO LIMA DE SOUZA
37 0280 AMARILDO GONZAGA DE CASTRO
38 0548 AMARILDO MENDES DOS SANTOS
39 0898 AMILCAR MOREIRA SAMPAIO
40 0844 AMILSON BOTELHO CARVALHO
41 0429 ANANIAS SILVA FERREIRA
42 0370 ANCELMO DA SILVA PENASCO
43 0853 ANDERSON ALVES PEREIRA
44 0431 ANDERSON MACEDO
45 0264 ANDERSON RIBEIRO DE MENEZES
46 0869 ANDRÉ PEREIRA DA SILVA
47 0689 ANELIPIS DANIEL DE ALENCAR
48 0816 ÂNGELO DOS SANTOS
49 0147 ANIBAL DE MORAES NORONHA
50 0502 ANIBAL FERREIRA LEITE
51 0821 ANSELMO PEREIRA DE SOUZA
52 0760 ANTÔNIO CÂNDIDO DE SOUZA
53 0748 ANTÔNIO CARLOS ALENCAR DA SILVA
54 0009 ANTÔNIO CLÁUDIO LINHARES DE MESQUITA
55 0588 ANTÔNIO CLÉGIO DUARTE JUNIOR
56 0490 ANTÔNIO DA COSTA LIMA
57 0114 ANTÔNIO DA SILVA CRUZ
58 0131 ANTÔNIO DE OLIVEIRA LOPES
59 0664 ANTÔNIO DE OLIVEIRA TEIXEIRA
60 0115 ANTÔNIO DE SOUZA RODRIGUES
61 0410 ANTÔNIO DOS REMÉDIOS DE A.RODRIGUES
62 0005 ANTÔNIO EVERLAND AVELINO GOMES
63 0605 ANTONIO FRANCISCO BRILHANTE DE SOUZA
64 0351 ANTÔNIO JADI MEIRA DE ANDRADE
65 0007 ANTÔNIO JOSÉ DE SÁ
66 0545 ANTÔNIO LUIZ GOBBI
67 0184 ANTÔNIO MARCOS DOS SANTOS
68 0704 ANTÔNIO MIRANDA DESMAREST
69 0324 ANTÔNIO MONTEIRO DA COSTA
70 0303 ANTÔNIO MONTEIRO GUARAES
71 0700 ANTÔNIO NACÉLIO ALEXANDRE ROLIM
72 0339 ANTÔNIO PEDRO PIMENTA DA SILVA
73 0265 ANTÔNIO RAIMUNDO COSTA VALE
74 0633 ANTÔNIO RAIMUNDO DA CONCEIÇÃO
75 0097 ANTONIO SILVA CORREIA
76 0449 ANTÔNIO VALDECI DA SILVA LOPES
77 0525 ANTÔNIO VIEIRA DOS SANTOS
78 0767 ARIOVALDO CHAMORRO
79 0500 ARLEY PEREIRA ALVES
80 0695 ARNOLDO ROCHA DOS SANTOS
81 0621 ARTUR JOSÉ DE SOUZA FILHO
82 0295 ARTUR MARTINS DE OLIVEIRA
83 0509 ASCENDINO MAIA DE OLIVEIRA
84 0320 AURÉLIO PEREIRA DE SOUZA
85 0623 AURIBERTO MOREIRA DA CRUZ
86 0589 BENEDITO DINES SANCHES FARIAS
87 0074 BENEVEL ALVES SALLES
88 0428 BRENO RODRIGO BRITO ONOFRE
89 0358 CÁCIO VALÉRIO GALVÃO AMORIM
90 0434 CARLITO MANOEL DA CRUZ
91 0345 CARLOS ALBERTO RAMOS DOS SANTOS
92 0755 CARLOS ANDRÉ DA SILVA
93 0890 CARLOS BENTO VIDAL
94 0321 CARLOS DONIZETE DE LIMA
95 0637 CARLOS GEAN LOPES MAIA DE LISBOA
96 0934 CARLOS JOSÉ DA SILVA
97 0737 CARLOS ROBERTO PARRILHA
98 0302 CASIMIRO DE BRITO RIBEIRO
99 0907 CELIM BANHÔN DAÇA
100 0727 CELSIMAR DA SILVA MOURA
101 0122 CÍCERO DA SILVA DE SOUSA
102 0066 CINÉZIO DIVINO MORAIS
103 0838 CLAUDEONES DE SOUZA
104 0020 CLAUDICÉLIO BARBOSA DOS SANTOS
105 0743 CLÁUDIO ALVES PEREIRA
106 0562 CLÁUDIO MELO DOS SANTOS
107 0723 CLÁUDIO TOMÁS DE AQUINO
108 0055 CLEDIOMAR FERREIRA VIEIRA
109 0871 CLEDSON SENA PEREIRA
110 0614 CLEVERSON FREIRE MAGALHÃES
111 0078 CLEVERSON REIS VERAS
112 0566 CLODOALDO NUNES DOS SANTOS
113 0805 CLÓVIS MESSIAS DE LANA
114 0256 DAIANE PIMENTA FERNANDES
115 0297 DALVO LOPES DE OLIVEIRA
116 0468 DAMIÃO BIZERRA DA SILVA
117 0867 DANI ALISSON DO NASCIMENTO SILVEIRA
118 0105 DANIEL NASCIMENTO FERREIRA JUNIOR
119 0421 DANIEL PINTO DE ANDRADE
120 0187 DANIEL VAZ DE JESUS
121 0013 DANIEL VIEIRA DA SILVA
122 0130 DAURI GONÇALVES DOS SANTOS
123 0496 DAVI DA SILVA SANTOS
124 0386 DAVID FERREIRA CAVALCANTE FILHO
125 0581 DELCIDES MEIRELES
126 0199 DELCY DE OLIVEIRA SANTANA
127 0862 DENES ROBERTO SILVA DE OLIVEIRA
128 0579 DERLI BARBOSA DE SOUZA
129 0445 DEUSIMAR DANIEL DE SOUZA
130 0091 DEVANIR FERREIRA SILVA
131 0242 DEVANIR MORAIS
132 0271 DILSON ALVES ASCUI
133 0216 DINOVAM DOS SANTOS
134 0857 DIONIZIO PESSOA DE ARAUJO FILHO
135 0888 DIOVANI CESAR PRIOR
136 0182 EDELSON NATALINO ALVES DE JESUS
137 0473 EDILSON CORDEIRO DA ROCHA
138 0497 EDILSON DE SOUSA SALAZAR
139 0623 EDILSON ESTEVÃO SEVERINO
140 0292 EDILSON FERREIRA COELHO
141 0654 EDILSON GOMES DOS SANTOS
142 0051 EDILSON JERÔNIMO DE MATOS
143 0881 EDIMILSON FERREIRA MACHADO
144 0913 EDIMILTON OLIVEIRA DE MORAIS
145 0571 EDINELSON ALVES RODRIGUES
146 0590 EDIVALDO GOMES DE MELO
147 0467 EDIVALDO MORENO LACERDA
148 0305 EDIVALDO SAMPAIO FONSECA
149 0266 EDIVANE MORAIS DE ALMEIDA
150 0369 EDMAR AZEVEDO BARROS
151 0202 EDMAR FERREIRA SILVA
152 0911 EDMILSON ALVES BARBOSA
153 0177 EDMILSON RIBEIRO FERREIRA
154 0952 EDNO RIBEIRO SALOMÃO
155 0582 EDRISLANDE MONTEIRO DA PENHA
156 0016 EDSON DA SILVA ALCÂNTARA
157 0124 EDSON MARQUES DA SILVA
158 0450 EDSON NASCIMENTO DE PONTES
159 0145 EDSON NOGUEIRA SILVA
160 0868 EDUARDO FURTADO DOS SANTOS
161 0671 EDVAL EUGÊNIO DA SILVA
162 0283 ELIANDRO SCUSSEL MORAES
163 0692 ELIANE REZENDE DE ANDRADE
164 0619 ELIAS BONIFÁCIO DE ALMEIDA
165 0738 ELIAS LEMOS DO VALE
166 0148 ELIAS RIBEIRO DE LIMA NETO
167 0777 ELIAS RIBEIRO SALOMÃO
168 0215 ELIAS SOARES
169 0501 ELÍDIA WERLE
170 0437 ELIEZIO FERREIRA DE ALBUQUERQUE
171 0897 ELIOMAR PEREIRA BRITO
172 0150 ELIS MARQUES FARIAS
173 0493 ELISMAR DOS SANTOS BARROSO
174 0401 ELIVAL RODRIGUES DA SILVA
175 0260 ELIVALDO LIMA CORREIA
176 0058 ELIZEU MARCIAL DAVI
177 0728 ELMIR LOPES DA SILVA
178 0381 ENEIAS ASSIS DE SOUZA
179 0828 ENÉIAS BACELAR MATOS
180 0194 ERISMAR DE SOUSA SILVA
181 0158 ERIVAN DO NASCIMENTO SILVA
182 0254 ERNESTO RAMOS BUENO
183 0104 EUDIMAR BEZERRA DA SILVA
184 0859 EURICO REZENDE DE MEIRELES
185 0899 EVANDRO JOSÉ DA COSTA
186 0208 EVANDRO VIEIRA DE OLIVEIRA
187 0932 EVERALDO PEREIRA CASTELO
188 0127 EWERTON BARBOSA LIMA
189 0809 EXPEDITO DE LIMA SANTOS
190 0015 FABIANO SOARES DOS SANTOS
191 0785 FÁBIO CORREIA DE LIMA
192 0670 FÁBIO MARCELO DA SILVA
193 0311 FÁBIO SIMÕES DA SILVA
194 0198 FERNANDO HÉLIO DE SOUSA ARAÚJO
195 0346 FIRMINO FRANCISCO DA SILVA
196 0159 FLÁVIO FRANCISCO DA ROCHA
197 0008 FLÁVIO LIMA DE SOUZA
198 0003 FLÁVIO ROQUE DOS SANTOS
199 0658 FLORISMAR DOS SANTOS
200 0221 FRACIMON PAULO DE SOUZA
201 0721 FRANCIEDSON FREITAS DA SILVA
202 0879 FRANCIMEIRY DIAS SILVEIRA
203 0337 FRANCINEI DIAS SILVEIRA
204 0093 FRANCISCO ABREU ROSAS
205 0593 FRANCISCO AGUIAR DA SILVA
206 0314 FRANCISCO ANTÔNIO DE SOUZA
207 0170 FRANCISCO BRASIL BARROS
208 0222 FRANCISCO BRITO BEZERRA
209 0792 FRANCISCO CAMURÇA MAIA
210 0517 FRANCISCO COSMO RODRIGUES FURTADO
211 0418 FRANCISCO DAS CHAGAS BATISTA DOS SANTOS
212 0526 FRANCISCO DAS CHAGAS LIMA DA SILVA
213 0088 FRANCISCO DAS CHAGAS SILVA
214 0033 FRANCISCO DE ASSIS BARROS MOREIRA
215 0542 FRANCISCO DE ASSIS OLIVEIRA DE ARAÚJO
216 0186 FRANCISCO DE SOUSA SILVA
217 0316 FRANCISCO EDGAR ALVES SIMÕES
218 0460 FRANCISCO EDMON MONTEI FERNANDES MOTA
219 0017 FRANCISCO FREITAS GONÇALVES
220 0019 FRANCISCO JONAS DE CARVALHO TORRES
221 0192 FRANCISCO JOSÉ DA SILVA NETO
222 0846 FRANCISCO PINHO DE OLIVEIRA
223 0289 FRANCISCO RONNE VON GOMES
224 0791 FRANCISCO SOUZA MORAES
225 0544 GECEROM MACHADO AZEVEDO
226 0912 GENILSON ANTONIO BARBOSA
227 0856 GENIVALDO SANTOS DE OLIVEIRA
228 0263 GEOVANI LINO DE BARROS
229 0644 GEOVANIO BENTO DA SILVA
230 0284 GERALDO BARBOZA ROCHA
231 0532 GETÚLIO PEREIRA DA SILVA
232 0648 GIDEÃO CARNEIRO LIMA
233 0368 GILDETE LUIZ FERREIRA
234 0570 GILGLÉCIO DE SOUZA XAVIER
235 0054 GILMAR COELHO
236 0880 GILMAR LIMA DE AGUIAR
237 0415 GILMAR MONTEIRO MARCELINO
238 0228 GILSILEY RAMOS DA SILVEIRA
239 0768 GILSON FLAUSINO DA SILVA
240 0245 GILSON PEREIRA DE ALMEIDA
241 0515 GILVAN BENTO DA SILVA
242 0462 GLACIMEIRE DE SENA SILVA
243 0079 GLAUBER BATISTA DE MELO
244 0220 GLAUDSON CORREIA LIMA DOS SANTOS
245 0876 GLEICYANY GAIOSO DOS SANTOS
246 0632 GLEISON CARNEIRO DA SILVA
247 0213 GLEISSON ROCA DE SOUSA
248 0204 GUILHERMAM GADELHA DE FARIAS
249 0310 GUTEMBERG PEREIRA ROYSAL
250 0284 HÉLIO BATISTA DE ALMEIDA
251 0251 HÉLIO OLIVEIRA DO NASCIMENTO
252 0044 HÉLIO TIMOTEO PEREIRA
253 0014 HENRY MARCOS SANTOS VALE
254 0075 HERIVELTO PINTO DE SOUSA
255 0422 HERMENEGILDO DA SILVA PEREIRA
256 0485 HILÁRIO MAMANI CHOQUES
257 0220 HILDIBERTO DE JESUS FROES PEREIRA
258 0330 IDANIR AFONSO SANTIAGO
259 0174 IDELFONSO ALVES DE SOUZA BRASIL
260 0353 IEDA DOS SANTOS NASCIMENTO DE SOUZA
261 0594 ILÁRIO SARMENTO
262 0477 IRINEI PEREIRA DA SILVA
263 0352 IRINEU DE OLIVEIRA SANTO
264 0754 IRISVALDO MALTA DA SILVA
265 0108 ISAIAS CAROLINO VIEIRA
266 0162 ISAIAS FRANCISCO DUTRA
267 0535 ISAIAS PEREIRA JUSTINO
268 0491 ISAQUE FERNANDES RIBEIRO
269 0660 ISMAEL SANTANA
270 0973 ISRAEL ARAUJO DE SOUZA
271 0257 IVAIR GONÇALVES DE LARA
272 0618 IVONIL SILVÉRIO DE FREITAS
273 0068 IZAIAS LOPES DA SILVA
274 0203 IZIEL GOMES DO NASCIMENTO
275 0405 JACOB DA SILVA RAPOUSO
276 0360 JADIR PEREIRA LEITE
277 0625 JAILTON HOLANDA
278 0072 JAIR CAROLINO VIEIRA
279 0424 JAIR NEVES PINHEIRO
280 0471 JAIRTON LIMA DIAS
281 0519 JAMERSON CRUZ SHOCKNESS
282 0327 JARDE DA SILVA RABELO
283 0749 JARDEL MAYKON SOUSA
284 0301 JEAN FERREIRA DA CUNHA
285 0935 JEFERSON RICARDO GOMES
286 0307 JEFFERSON DE LIMA GOMES
287 0249 JERÔNIMO JOEL DE MEDEIROS
288 0153 JESUALDO BRILHANTE DE FARIAS
289 0641 JILMAR DA LAQUA
290 0045 JOACYR NUNES DINIZ
291 0243 JOÃO AGUIAR DA SILVA
292 0106 JOÃO ALVES DE JESUS
293 0240 JOÃO ALVES LIMA
294 0463 JOÃO APARECIDO PEREIRA
295 0519 JOÃO BARROZO DE ARAÚJO
296 0701 JOÃO BATISTA DE LIMA RAPUSO
297 0200 JOÃO BATISTA DE O. FILHO
298 0634 JOÃO BATISTA DE SOUZA
299 0643 JOÃO BATISTA DOS SANTOS ROCHA
300 0141 JOÃO BOSCO DA SILVA ALVES
301 0874 JOÃO CANUTO FILHO
302 0095 JOÃO DE SOUZA PEREIRA
303 0123 JOÃO GUEDES DA SILVA SOBRINHO
304 0551 JOÃO MARIA DE SOUZA
305 0171 JOÃO MODESTO DA SILVA
306 0702 JOÃO NAZARENO NASCIMENTO PIRES
307 0577 JOÃO RICARDO HUACO
308 0092 JOAQUIM FRANCISCO DE MORAIS
309 0392 JOAQUIM TAVARES MENEZES
310 0378 JOEL BECERRA MONTENEGRO
311 0659 JOEL VIANA DE ALMEIDA
312 0322 JOMAR NUNES
313 0361 JONAS ALVES AZEVEDO
314 0173 JONAS DOS SANTOS
315 0200 JONATAM FERNANDES MOTA
316 0132 JONATHAS DO ESPIRITO SANTO BANDEIRA
317 0077 JORGE APARECIDO DA SILVA
318 0146 JORGE OLIVEIRA ALENCAR
319 0179 JORGE SANTOS DE ARAÚJO
320 0825 JORGE SANTOS SOUZA
321 0004 JOSAFÁ DA SILVEIRA CUNHA
322 0847 JOSAFÁ TRAJANO DIAS
323 0455 JOSALÓ CORDEIRO DA SILVA
324 0156 JOSÉ ANTÔNIO DOS SANTOS FEITOSA
325 0298 JOSÉ APARECIDO COELHO
326 0118 JOSÉ APARECIDO DOS SANTOS ARAUJO
327 0626 JOSÉ AUGUSTO COSTA ASSUNÇÃO
328 0183 JOSÉ AUGUSTO VIRGINIO LIMA
329 0440 JOSÉ BASÍLIO DE OLIVEIRA FILHO
330 0325 JOSÉ CALIXTO DA COSTA
331 0376 JOSÉ CARDOSO MALTA
332 0712 JOSÉ CARLOS DE SOUZA
333 0436 JOSÉ CARLOS MAIA CORREA
334 0354 JOSÉ CARLOS PINHEIRO DE ALMEIDA
335 0335 JOSÉ CLÁUDIO CARVALHO PINTO
336 0679 JOSÉ DA SILVA
337 0134 JOSE DE SOUZA PEREIRA
338 0125 JOSÉ DOMINGOS DE ARAÚJO
339 0626 JOSÉ EDMAR PEREIRA DE MOURA FILHO
340 0285 JOSÉ FAMELLI DOS SANTOS
341 0120 JOSÉ FERREIRA SANTANA
342 0116 JOSÉ MARCOS DE OLIVEIRA ANDRÉ
343 0294 JOSÉ MARIA MARTINS
344 0385 JOSÉ MARIA PANTOJA DOS SANTOS
345 0157 JOSÉ MARIA PRESTES LEITE
346 0165 JOSÉ ODIMAR DA SILVA BARROS
347 0522 JOSÉ PEREIRA DA SILVA FILHO
348 0154 JOSÉ PEREIRA DE SOUSA
349 0595 JOSÉ ROBERTO DE ALENCAR
350 0492 JOSÉ RODRIGUES DA SILVA
351 0071 JOSÉ RODRIGUES VIEIRA FILHO
352 0069 JOSÉ ROQUILANE DA SILVA MAIA
353 0499 JOSÉ SARAIVA DA COSTA
354 0128 JOSÉ SEBASTIÃO DA CONCEIÇÃO
355 0032 JOSÉ VANIRIS BRITO PANTOJA
356 0598 JOSEMAR SANTOS DE AGUIAR
357 0642 JOSIAS CUSTÓDIO DE ALMEIDA
358 0901 JOSIVAN MAMEDE DAS CHAGAS
359 0960 JOSUÉ FARIAS DE MATOS
360 0230 JUARES FERREIRA DE MELO FILHO
361 0858 JUAREZ MARTINS LISBOA
362 0070 JUCINEY VIANA DOS SANTOS
363 0430 JULIO MARIANO DE ABREU COSTA
364 0355 JURACI FELISISSO FERREIRA
365 0666 JUSSIELIO CARLOS PEREIRA
366 0181 KENNEDI CRISTIAN MARTINS PAIXÃO
367 0086 KLEITON DA SILVA MENDONÇA
368 0164 LAFAIETE BARREIRA DE JESUS
369 0680 LAURO ALMEIDA CUNHA
370 0811 LAURO BANHÔN DAÇA
371 0804 LAURO PEREIRA DA SILVA
372 0657 LEANDRO FIGUEREDO PARDINHO
373 0155 LEANDRO SILVA CARDOZO
374 0850 LEOCI BEZERRA DE ARAÚJO
375 0366 LINDON JONSON PAES DE OLIVEIRA
376 0394 LOURENÇO PINHEIRO DE SOUSA NETO
377 0441 LOURISNEI LIMA DE ABREU
378 0318 LUCIANO MOTA DA SILVA
379 0873 LUCIANO NASCIMENTO ORELIO FERREIRA
380 0674 LÚCIO ANTÔNIO MIRANDA DA SILVA
381 0201 LUCIONEI SILVA DOS SANTOS
382 0209 LUCIVALDO SILVA DE LIMA
383 0101 LUIS CARLOS COSVOSKI
384 0031 LUIS EVAMBERTO DE SOUZA
385 0273 LUIZ CARLOS DA SILVA
386 0340 LUIZ CARLOS ANDRADE COSTA
387 0040 LUIZ CARLOS RUIZ
388 0225 LUIZ CLAUDIO SANTOS MELO
389 0037 LUIZ DE MORAIS SILVA
390 0913 LUIZ ROSANDY SOUZA FERREIRA
391 0332 LUZINÉ PEREIRA DE CARVALHO
392 0060 MADSON MURILO DE SOUSA REIS
393 0404 MAGNO DA SILVA COSTA
394 0083 MANOEL BATISTA DE OLIVEIRA
395 0638 MANOEL BONFIM PINHEIRO
396 0270 MANOEL DOMINGOS DA SILVA
397 0180 MANOEL EDILSON CAVALCANTE
398 0296 MANOEL FERREIRA CABRAL
399 0678 MANOEL HÉLIO LIMA DA SILVA
400 0196 MANOEL NASCIMENTO DE ARAÚJO
401 0448 MANOEL RODRIGUES DA CONCEIÇÃO
402 0262 MARCELINO ANTONIO DE OLIVEIRA
403 0543 MARCELO DA SILVA
404 0142 MARCELO LEMOS PANTOJA
405 0624 MARCELO SILVA DOS SANTOS
406 0082 MÁRCIO FERNANDO DE OLIVEIRA
407 0226 MARCIO RODRIGUES GARCIA
408 0786 MÁRCIO SILVESTRE LOPES
409 0248 MARCONDES ALVES DE SOUZA
410 0802 MARCOS ANTÔNIO DA CRUZ
15 0923 SALMON FERNANDES NUNES
412 0233 MARCOS CAETANO SOARES
413 0168 MARCOS DIAS ARAÚJO
414 0902 MARCOS GLEISSON PAULO DA SILVA
415 0601 MARCOS GONÇALVES DIAS
416 0139 MARCOS HENRIQUE FERREIRA BORGES
417 0575 MARCOS JUVENICIO PEREIRA DE LIMA
418 0059 MARCOS QUENES MUNIZ VIANA
419 0885 MARCOS RAMOS DA SILVA
420 0374 MARCOS ROBERTO GONÇALVES
421 0291 MARIA IVANEIDE DOS REIS DA SILVA
422 0920 MARINALDO FROZ AMORIM
423 0348 MARIVALDO DE OLIVEIRA SOUZA
424 0371 MARLON SANTOS BATISTA DE OLIVEIRA
425 0784 MARONILSON SANTOS DE OLIVEIRA
426 0631 MATEUS DE SOUZA SILVA
427 0047 MAURI DA SILVA
428 0705 MAURÍCIO PEREIRA DOS SANTOS
429 0810 MAURO SÉRGIO DE SOUZA DE OLIVEIRA
430 0234 MÁXIMO FARIAS RODRIGUES
431 0359 MIGUEL ARCANJO CORTEZ
432 0717 MIGUEL EVANGELISTA DOS SANTOS
433 0498 MIGUEL MALALA ANDRADE
434 0740 MILTON CÉSAR BARBOSA VENTURA
435 0895 MIQUEIAS ANTONIO ALVES DA SILVA
436 0696 MIQUÉIAS VLÁXIO DE OLIVEIRA
437 0312 MOISÉS DOS SANTOS MELO
438 0852 NABEL DE MARCHI PEREIRA
439 0842 NELSINEI FRANCISCO MEDEIROS
440 0363 NICOLAU SOARES CUELLLAR
441 0567 NILMON MARQUES SANTOS
442 0495 NILSON OLIVEIRA DOS SANTOS
443 0761 NILTON LIMA DA SILVA JUNIOR
444 0894 NIUTON LUIZ PONTES SALCEDO
445 0018 NIVALDO JOSÉ NOGUEIRA FERREIRA
446 0541 NIVALDO PEREIRA FREIRE
447 0507 NONATO ARAÚJO PAIXÃO
448 0348 OLAIR PEREIRA LEITE
449 0741 OLINDO ALVES DA SILVA
450 0797 ORLANDO BONIFÁCIO
451 0840 OSAIAS ALVES DA SILVA QUEIROZ
452 0870 OSMAR BATISTA OLIVEIRA
453 0133 OSMAR COELHO
454 0193 OSMILTON CÂNDIDO DA SILVA
455 0530 OZEIAS BRAZ ODORICO
456 0364 OZIEL FERREIRA ROBERTO
457 0387 PAULO BISPO SANTOS AGUIAR
458 0276 PAULO CAJAZEIRA DE SOUZA
459 0564 PAULO SÉRGIO DE LIMA
460 0252 PAULO SOUSA CALDAS
461 0278 PEDRO BELO
462 0849 PEDRO BOTELHO
463 0459 PEDRO GERALDO POLETO
464 0533 PEDRO LIMA JUNIOR
465 0061 PEDRO LIMA RODRIGUES
466 0094 PEDRO OSVALDO BEZERRA DIAS
467 0268 PEDRO VIEIRA BERNARDINO
468 0640 PLÍNIO VIEIRA DAS NENVES
469 0253 RAFAEL TAVARES MENEZES
470 0628 RAIDIOCLECIANO CORDEIRO DA SILVA
471 0884 RAIMISARANLEI CORDEIRO DA SILVA
472 0103 RAIMUNDO BARBOSA FILHO
473 0012 RAIMUNDO DA SILVA BARRETO
474 0317 RAIMUNDO DE ANDRADE LUSTOSA
475 0136 RAIMUNDO DE CASTRO RIBEIRO
476 0539 RAIMUNDO DELGADO DE SÁ FILHO
477 0729 RAIMUNDO DO ROSÁRIO RIBEIRO BRAGA
478 0433 RAIMUNDO JORGE DE ARAUJO
479 0694 RAIMUNDO MACHADO FILHO
480 0513 RAIMUNDO MACIEL DE LIMA
481 0247 RAIMUNDO NONATO ALVES DE SOUSA
482 0926 RAIMUNDO NONATO BRAGA DE SOUZA
483 0799 RAIMUNDO NONATO FERREIRA DE SOUZA
484 0977 RAIMUNDO NONATO LIMA MENDES
485 0372 RAIMUNDO NONATO SANTOS
486 0319 RAIMUNDO PASSOS BELEZA
487 0223 RAIMUNDO PINHEIRO DA SILVA
488 0030 RAIMUNDO SOUZA SOBRINHO
489 0510 RAIMUNDO VITAL FILHO
490 0603 RAMON JOAS RODRIGUES CHAVEIRO
491 0611 RAYNERIO DA SILVA COSTA
492 0735 REGINALDO DO NASCIMENTO BEZERRA
493 0140 REGIOMAR RIBEIRO BRASIL
494 0121 REINILDO DE SOUZA AMARAL
495 0524 RENATO CARVALHO GUEDES
496 0708 RENATO DE SOUZA VIEIRA
497 0432 RENÊ SOUZA RODRIGUES
498 0686 RICARDO DA SILVA MOREIRA
499 0063 RICARDO PEREIRA DA SILVA
500 0241 RICARDO SEBASTIÃO DA SILVA
501 0687 RICHARD NOBRE VARGAS
502 0822 RILTON CAMPOS DA SILVA
503 0373 RIVALDO DE SOUZA SILVA
504 0587 ROBERTO ANTÔNIO DE OLIVEIRA
505 0662 ROBERTO MOREIRA DE ARAÚJO
506 0630 ROBERTO SOUZA
507 0306 ROBSON FERREIRA DE SOUZA
508 0620 ROBSON SILVEIRA DE SOUZA
509 0946 RODRIGO FERREIRA BEZERRA
510 0419 ROGÉRIO BEZERRA DA SILVA
511 0206 ROGÉRIO DA SILVA GOMES
512 0176 ROMEL CHAVES GUIMARÃES SILVA
513 0349 ROMILDO MENDES
514 0391 ROMILSON DA SILVA MIRANDA
515 0600 RONALDO DA SILVA LEITE
516 0269 RONALDO JOSE BRITO
517 0304 RONALDO LIBERATO SÁ
518 0212 RONIEL ALENCAR FAIAL
519 0085 ROOSEVELT MORAES LIMA
520 0342 ROSA MARIA TORQUARTO DE SOUZA
521 0596 RUBENS CARDOSO DE SOUZA
522 0586 RUBENS FERREIRA BATISTA
523 0062 SAMUEL DOMINGOS DE LIMA
524 0210 SANDRA SILVA
525 0275 SANDRO JOSÉ FEITOSA GOMES
526 0195 SEBASTIÃO BATISTA FILHO
527 0197 SÉRGIO ALVES DE SOUZA
528 0647 SÉRGIO DOS SANTOS FEREIRA
529 0483 SIDNEI DA SILVA COELHO
530 0231 SILAS QUEIROZ DOS SANTOS
531 0137 SILAS VIEIRA DA CONCEIÇÃO
532 0720 SILVIO LEAL DOS SANTOS
533 0336 SÍLVIO SABINO DE SOUZA
534 0474 SIMÁRIO VIEIRA SANTOS
535 0389 SINEIDE BRITO DE SENA
536 0261 TELISCACIO MARTINS OLIVEIRA
537 0962 TIAGO MONTEIRO DE CASTRO ALVES
538 0452 TONY DA SILVA DE SOUZA
539 0521 UELITON JESUS OLIVEIRA DE SOUZA
540 0011 ULIASMAR MARQUES TEIXEIRA
541 0880 VAGNER DE CARVALHO
542 0568 VALDECI DE SOUZA COSTA
543 0002 VALDECI FERREIRA DA SILVA
544 0214 VALDECI SARAIVA LINHARES
545 0504 VALDECIR APARECIDO DA SILVA
546 0900 VALDENIR TAVEIRA DOS REIS
547 0169 VALDIR SANTANA
548 0788 VALMIR BATISTA NEVES
549 0309 VALMIR GOMES MAGALHÃES
550 0107 VALTAIR DE SOUZA
551 0580 VALTENI FREIRE DE ARAÚJO
552 0287 VALTENI SOUSA DE ALMEIDA
553 0049 VANDERLEI BORGES DOS SANTOS
554 0144 VANDERLEI RODRIGUES STEFANON
555 0286 VANDO SILVA PEIXOTO
556 0560 VANUSA DA SILVA COSTA
557 0546 VENÍCIO BRITO OLIVEIRA
558 0645 VERIDIANO ARAÚJO DE MESQUITA JUNIOR
559 0916 VICENTE DE PAULO CAMILO DE SOUZA
560 0250 VICENTE PEREIRA DE SOUZA
561 0866 VICENTE ROCHA DO NASCIMENTO
562 0356 VILMAR ALCIDES DA SILVA
563 0390 VILSON MOREIRA ARAUJO
564 0333 WAGNER DA SILVA PUÁ
565 0100 WALDIVAN OLIVEIRA DE ALMEIDA
566 0886 WANDERLEY ANTERO DE SOUZA FILHO
567 0456 WELITON DE OLIVEIRA
568 0218 WELLINGTON WAGNER COSTA SANTOS
569 0279 WENDER SÁTIRO MORAIS DE MENDONÇA
570 0053 WILSON CARNEIRO DA SILVA
571 0024 WILSON FERREIRA
572 0576 WILSON JOSÉ CORTEZ BEZERRA
573 0038 ZAQUEL CUSTÓDIO MUNIZ
574 0282 ZEZITO DA SILVA

CLASSIFICADOS QUE COMPÕEM A LISTA DE REMANECENTES

CLASSIFICAÇÃO PROTOCOLO PROPONENTES HABILITADOS PONTOS
575 0470 FRANCISCO ELIAS DO NASCIMENTO FILHO 8
576 0780 JOSUÉ VIDAL NOGUEIRA 8
577 0029 AGRINALDO SILVA LIMA 8
578 0175 ALCIDES DE SOUZA PEREIRA 7
579 0395 BRUNO FREITAS REGO 7
580 0021 DANIEL CARLOS COELHO 7
581 0362 EDIVAN GONÇALVES DA SILVA 7
582 0398 FÁBIO CRISTIANO DOS SANTOS CAMINHA 7
583 0344 FRACINEY SILVA DE MACEDO 7
584 0796 FRANCISCO REGISCLEI MELO ALBUQUERQUE 7
585 0466 JOÃO LUIZ SILVA DOS SANTOS JUNIOR 7
586 0606 JOSÉ ROBERTO LOBATO MONTEIRO 7
587 0438 MAURICIO SANTANA ALBANEZ 7
588 0653 WANDERLEY GASPARINI NASCIMENTO 7
589 0410 ANDSON FRANCISCO MARTINS DA SILVA 7
590 0508 ELIOMAR SILVA NASCIMENTO 7
591 0794 EMERSON GANDOFI PAVOSKI 7
592 0006 JONATAS DE SOUZA XAVIER 7
593 0382 ANTONIO BATISTA DE CASTRO 6
594 0487 ELTON DE ARAÚJO CARNEIRO 6
595 0207 FRANCISCO BEZERRA VIANA 6
596 0766 FRANCISCO LEANDRO DA COSTA 6
597 0143 JAFE BATISTA SODRÉ 6
598 0065 JETER DA SILVA 6
599 0081 JUSCELINO BATISTA ROCHA 6
600 0713 JUVENAL RODRIGUES SOBRINHO 6
601 0552 MANOEL SILVINO DE AGUIAR 6
602 0439 SALOMOM ERNANDES NUNES 6
603 0512 SIVANDRO DOS SANTOS FERREIRA 6
604 0409 VANDA MARIA MIRANDA SILVA 6
605 0267 ELAINE GOMES DE ABREU 6
606 0554 TICIANO DE ALMEIDA COSTA 6
607 0505 ALTAIR ALMEIDA ALVES 6
608 0781 FRANK PEREIRA FEITOSA 6
609 0979 HERCULES LIMA DOS SANTOS 6
610 0928 JUAREZ MEDEIROS DA CRUZ 6
611 0426 ALBERTINO LIMA DA SILVA 5
612 0929 ALCINIRA DA SILVA COSTA 5
613 0423 ALEX GONDIM DA MOTTA 5
614 0034 ANTÔNIO ALVES DA SILVA 5
615 0793 ANTÔNIO JOSÉ CAVALCANTE OLIVEIRA 5
616 0610 ANTÔNIO JOSÉ LOPES DE SOUZA 5
617 0056 ANTONIO OLIVEIRA DA SILVA 5
618 0752 ARQUIMEDES NASCIMENTO SIQUEIRA 5
619 0584 AUDAIR DOS SANTOS 5
620 0617 CARLOS TEIXEIRA DA CONCEIÇÃO 5
621 0516 CLÁUDIO DA SILVA 5
622 0558 CLEMILSON ELIZIÁRIO DE ARAÚJO 5
623 0377 DAVI FRANÇA MACEDO 5
624 0028 DOMINGOS PRESTES LEITE 5
625 0693 DOMINGOS TEODORO DA SILVA 5
626 0845 ELVIS DOS SANTOS OLIVEIRA 5
627 0851 ENIVALDO FERNANDES DE SOUZA 5
628 0529 FRANCISCO GERALDO FILHO CARVALHO RODRIGUES 5
629 0734 FLÁVIO NEDE PINHEIRO BARROS 5
630 0585 FRANCISCO VANGINALDO SOARES BARROS 5
631 0099 FRANK DIAS 5
632 0905 GERSON BARROS CASSUPÁ 5
633 0959 GESSIOMAR VIEIRA DE LIMA 5
634 0119 HILDO JERÔNIMO FILHO 5
635 0098 IVISON RODRIGUES DA SILVA 5
636 0950 JACIRA SILVINO 5
637 0561 JAIR MAGALHÃES BATISTA 5
638 0783 JEASI MOREIRA SAMPAIO 5
639 0665 JECEONES SILVA BARBOSA 5
640 0076 JOÃO BATISTA OLIVEIRA 5
641 0827 JOÃO FARIAS DE MATOS 5
642 0400 JORGE CAMPOS MOREIRA 5
643 0396 JOSAFA COSME SILVA 5
644 0379 JOSÉ ANTÔNIO DE FREITAS 5
645 0117 JOSÉ CLAUDEMAR SERRA GALVÃO E SILVA 5
646 0556 JOSÉ GLAUBI DE OLIVEIRA GOMES 5
647 0413 JOSÉ HAMILTON DA SILVA 5
648 0817 JOSÉ MARCOS DA SILVA 5
649 0023 JOSENILDO VIEIRA DE SOUZA 5
650 0403 LUCIANO BRASIL BARROS DE ALMEIDA 5
651 0877 LUCIVALDO RAMOS LIMA 5
652 0258 LUIZ CARLOS ABREU CARVALHO 5
653 0160 MANOEL LIMA DE SOUZA 5
654 0607 MARCELINO DE VASCONCELOS COSTA 5
655 0744 MICHEL MUNIZ RIOJAS 5
656 0615 NILTON JOSÉ SILVA SANTOS 5
657 0684 ODLANIER DE SOUZA FRAZÃO 5
658 0494 ORLEILSON LAMEIRA XAVIER 5
659 0764 OTONI MEIRA MARQUES DOS SANTOS 5
660 0882 PAULO CRUZ MACEDO 5
661 0457 PEDRO FERREIRA 5
662 0746 RAIMUNDO DESMAREST MATES 5
663 0096 RAIMUNDO GEOCIMAR CARVALHO DAS CHAGAS 5
664 0936 RONALDO TORQUATO DE SOUZA 5
665 0608 RONNE BELEZA HITZSCHKY 5
666 0613 SANDRO SILVA SANTOS 5
667 0027 SIDNEI PEREIRA MOTA 5
668 0933 VAGNER MASCARENHAS FARIAS 5
669 0919 ADRIELSON DE SOUZA 5
670 0591 ALEX DA SILVA COSTA 5
671 0149 ANTONIVALDO FARIAS DOS SANTOS 5
672 0331 EDNALDO NASCIMENTO COSTA 5
673 0801 EDSON ARAÚJO DA COSTA 5
674 0966 EVICLEY PEREIRA DA SILVA 5
675 0722 IVANETE FERNANDES RIBEIRO 5
676 0698 MARCELO FIGUEREDO SIQUEIRA 5
677 0323 PAULO SÉRGIO LOPES BARRETO 5
678 0236 RAIMUNDO NONATO FERREIRA PEREIRA 5
679 0520 ALTINO SCHMIDT DE OLIVEIRA 5
680 0288 LUIZ PINHEIRO DE ÁVILA JUNIOR 5
681 0675 NETELOI DA CRUZ SILVA 5
682 0435 RAIMUNDO OZIMAR LEMOS 5
683 0782 RODRIGO LINHARES DE SOUSA 5
684 0244 ALECSANDRO RODRIGUES FUKUMURA 4
685 0555 ANTÔNIO CARNEIRO SILVA 4
686 0022 ANTÔNIO EDIVAN MOITA 4
687 0914 BRUNO DE ARAÚJO DE MEDEIROS 4
688 0506 CLAUDINEI DA CUNHA 4
689 0836 DARY NASCIMENTO DA CONCEIÇÃO 4
690 0808 ELINALDO CAETANO SILVA 4
691 0534 EMERSON GOMES BOTHELHO 4
692 0663 EMILSON FERREIRA DE ARAÚJO 4
693 334 EZEQUIAS PEREIRA MEIRELES 4
694 0299 FRANCISCO EDMAR FERREIRA DE OLIVEIRA 4
695 0290 FRANCISCO FLÁVIO DE SOUZA LEITÃO 4
696 0826 JAMES NIRVAN DE SOUZA 4
697 0399 JESSÉ FERNANDES FEIJÓ 4
698 0087 JOÃO BATISTA ARRUDA DA SILVA 4
699 0563 JOÃO MARIA TEIXEIRA PAZ 4
700 0949 JORDIÃO BENTO 4
701 0486 JÚLIO RIBEIRO JUNIOR 4
702 0211 LUCIANO MENEZES PEREIRA 4
703 0041 LUCIVALDO FERREIRA DA SILVA 4
704 0417 MARCELO RODRIGUES PAIVA 4
705 0443 MÁRCIA DOS SANTOS MIRANDA 4
706 0725 MARCOS AURÉLIO RODRIGUES GOMES 4
707 0779 MICIAS COSTA BARROSO 4
708 0329 NILSON MESQUITA 4
709 0411 NORMANDO RIBEIRO SOARES 4
710 0408 RAIMUNDO ARAUJO DA CUNHA 4
711 0762 RAIMUNDO LABORDA DOS SANTOS 4
712 0052 RAIMUNDO NONATO DE CARVALHO 4
713 0635 RONALD PEREIRA PIMENTEL 4
714 0798 RUI GABRIEL RODRIGUES DA SILVA 4
715 0511 WALDILÚCIO DOS SANTOS SIQUEIRA 4
716 0185 WILLIAMS SILVA GUILHERME 4
717 0042 CÍCERO PEREIRA DA SILVA 4
718 0682 FRANCISCO DAS CHAGAS LIMA 4
719 0536 LINDEYDE ANTÔNIO LIMA 4
720 0357 LUCÉLIA RIBEIRO DA SILVA 4
721 0388 RAILSON SOUZA DA COSTA 4
722 0878 RODOLFO PORTELA FERREIRA 4
723 0084 ROSAN DA CRUZ BARROSO 4
724 0763 SANDRO MORET SANCHES 4
725 0742 WENDER CHARLES DE SOUZA MELO 4
726 0523 ADRIANO RIBEIRO BARBOSA 4
727 0967 CARLOS ALBERTO TORRES 4
728 0751 EDUARDO DE MELO PEREIRA 4
729 0537 JOSÉ IDALMIR SARAIVA DOS SANTOS 4
730 0789 MICHELME MARTINS MONTEIRO 4
731 0896 MARCOS ANTONIO PEREIRA MALAQUIAS 4
732 0469 SIVALDO LOPES 4
733 0578 ANDERSON SILVA DOS SANTOS 3
734 0565 ANDRÉ TEIXEIRA MACHADO FUKUMURA 3
735 0745 ARILDO CAMILO DA ROCHA 3
736 0627 ÁTILA MESSIAS UCHOA DE LIMA 3
737 0872 AUGUSTO RIBEIRO SALOMÃO 3
738 0090 EDCARLOS MARQUES DE ANDRADE 3
739 0255 ELIANDRO REZENDE DE ANDRADE 3
740 0906 FÁBIO CLEBSON DA SILVA 3
741 0489 FLÁVIO LOPES 3
742 0839 FRANCISCO DAS CHAGAS ALEXANDRE DA SILVA 3
743 0412 GELSON MARTINS DAVEL 3
744 0113 IRICÉLIO DA SILVA CHAVES 3
745 0350 JERRY EDUARDO FARIAS SOUZA 3
746 0341 JONATAS RIBEIRO 3
747 0772 JUAREZ DA CONCEIÇÃO SILVA 3
748 0239 JURANDY DE JESUS CORREA AMARAL 3
749 0475 MÁRCIO RODRIGUES COSTA 3
750 0191 MÁRIO LUIZ SILVÉRIO 3
751 0965 MOACIR MIGUEL SCHAEDLER 3
752 0875 NILSON SILVA DE MOURA 3
753 0481 OSVALDO FERNANDES DA SILVEIRA 3
754 0699 OTACÍLIO DA SILVA MAIA 3
755 0080 PAULO VIANA FRANÇA 3
756 0043 RAIMUNDO TEODORO DE MESQUITA 3
757 0865 REGINALDO ALVES MEIRELES 3
758 0833 VALDECIR SILVA SANTOS 3
759 0478 EDMUNDO RODRIGUES 3
760 0035 ISRAEL FRANCISCO DO NASCIMENTO 3
761 0736 JANY JOSÉ DE OLIVEIRA 3
762 0697 LUIZ GONZAGA LEITE MONTEIRO 3
763 0931 MAURÍCIO ALVES DE CASTRO 3
764 0673 ROMÉRITO LIMA DA SILVA 3
765 0948 VALDECI BELARMINO PINHEIRO 3
766 0237 VALMIR NUNES DUARTE 3
767 0750 CARLOS PEREIRA BRAVO 3
768 0274 DAVI ANDRADE MALALA 3
769 0903 GERSON ARAÚJO DA SILVA 3
770 0724 IZAC LOURENÇO DA SILVA 3
771 0710 JOEL GOUVEIA DA SILVA 3
772 0383 JOSÉ EDIVALDO VALENTE CARDOSO 3
773 0819 JUNIOR FEITOSA BARBOSA 3
774 0855 OZIMAR RODRIGUES DE MATOS 3
775 0756 PAULO ASTROGÉSIMO BARBOSA ALVES 3
776 0039 PAULO CASTRO DE OLIVEIRA 3
777 0569 RIVELINO LADISLAU COSTA 3
778 0891 TIAGO DE LIMA CAMPOS 3
779 0622 AIRTON SANTANA 2
780 0550 ANTÔNIO RUFINO CARDOSO 2
781 0573 DERVALDO OLIVEIRA DO NASCIMENTO 2
782 0050 FRANCISCO ROSINEI MARQUES 2
783 0454 JACKSON DA SILVA FREIRE 2
784 0954 JONAS ANDRÉ DA SILVA 2
785 0458 JUCINEY GUIMARÃES DE MAIA 2
786 0921 SILVIO FERREIRA MENDONÇA 2
787 0135 ALCIDES GASQUES ROMERO 2
788 0668 JOANA LOBATO NUNES 2
789 0955 MARCELO CRISTIANO OLIVEIRA ANDRADE 2
790 0739 EDSON PEREIRA 2
791 0464 ELIS PINHEIRO DE SOUZA 2
792 0787 INÁCIO RODRIGUES FIGUEREDO 2
793 0553 JOSÉ LOPES DE ALMEIDA 2
794 0479 JOSÉ NELSON FILHO 2
795 0557 RAIMUNDO DO NASCIMENTO SOUZA 2
796 0904 BENJAMIN VIDAL NOGUEIRA JUNIOR 1
797 0465 CLARISVALDO LUBE 1
798 0824 DÁRIO DA SILVA CHAVES 1
799 0538 JORDEVAL LOPES DE SOUZA 1
800 0719 ELIELTON JOSÉ DUARTE VIEIRA 1
801 0602 JOSÉ LEILSON DOS SANTOS REIS 1
802 0451 RAIMUNDO NONATO DA CRUZ 1
803 0531 JORGE LUIS F. DA COSTA 1

Fonte: ASCOM /PMPV

2 Comentários

Arquivado em Efêmeras Divagações